quarta-feira, 7 de março de 2018

Google apanhada a discriminar os homens brancos


O Al-Público deu esta notícia por engano. O pobre coitado que a redigiu deverá ser despedido muito em breve ou, pelo menos, alvo de uma forte reprimenda e corte salarial. Um muito obrigado! ao incansável Filho da Truta (FdT), por no-la ter aqui trazido:
«O YouTube – que é [infelizmente] propriedade do Google – está a ser processado por um antigo funcionário, que acusa a empresa de ter decidido deixar de contratar homens brancos e asiáticos para posições técnicas, numa estratégia para promover a diversidade dos trabalhadores.»

Ah, está explicada a publicação da notícia: é que os asiáticos também foram discriminados, pelo que a denúncia é inteiramente razoável do ponto de vista da defesa do politicamente correcto. Se os discriminados fossem apenas homens brancos, esta notícia seria evidentemente impublicável.
«A empresa foi posta em tribunal em Janeiro por Arne Wilberg, um homem branco de 40 anos, que trabalhou no Google durante nove anos, quatro dos quais como recrutador no YouTube. Wilberg alega ainda ter sido despedido por se ter queixado das regras de contratação a vários superiores. O caso foi noticiado pelo jornal Wall Street Journal.
 Sexo e raça/etnia dos trabalhadores do monopólio estalinista que dá pelo nome de Google.
De acordo com o processo, o departamento de recrutamento do YouTube recebeu no ano passado instruções para cancelar todas as entrevistas a candidatos que não fossem mulheres, negros ou hispânicos. Também terá definido, pelo menos a partir de 2016, quotas para a contratação de minorias. A confirmarem-se, estas práticas violam as leis americanas.
Em resposta, o Google garantiu que faz contratações com base nas competências. “Temos uma política clara de contratar candidatos com base no mérito, não na sua identidade”, afirmou uma porta-voz da empresa ao Wall Street Journal. “Ao mesmo tempo, tentamos assumidamente encontrar um grupo diversificado de candidatos qualificados para as posições abertas, uma vez que isto nos ajuda a contratar as melhores pessoas, a melhorar a nossa cultura e a construir produtos melhores.”»

Claro que sim, Google, todos sabemos que os melhores tendem a ser todos mulheres, negros e "hispânicos", então não? Os brancos sempre tiveram fama de incompetentes! E os asiáticos então, nem se fala!!!
«Em Janeiro, um engenheiro recorreu à justiça alegando ter sido despedido por ter difundido pela empresa um texto sobre diferenças de género que gerou grande controvérsia, dentro e fora da empresa. James Damore afirmou que a empresa discrimina contra homens brancos e conservadores.»

Para quem eventualmente não esteja ao corrente do caso James Damore, o Paul Joseph Watson fez um vídeo que eu próprio traduzi e legendei (ver abaixo).

____________
Ver também: 

Paul Joseph Watson sobre a censura orwelliana da Google
Julian Assange (Wikileaks) alerta para o perigo de estarmos a caminhar para o totalitarismo
Mais duas empresas a boicotar: a Google e a Apple!
Por que foi a conta Google do Prof. Jordan Peterson temporariamente suspensa? (com legendas)
Black Piegon Speaks: «O Google está a subverter a eleição a favor da pérfida bruxa Hilária»

2 comentários:

Anónimo disse...

"Um muito obrigdo ao incansavel FdT" quem corre por gosto não cansa :D

Mas a verdade é que para mim não cuata mesmo nada tirar uns minutos por dia no meio do trabalho ou da hora de "relax" para dar uma olhadela ao que se passa no circo me(r)diatico e fazer uns copy past.

Mais trabalho e concerteza dores de cabeça dá actualizar um blog quase diariamente e ainda colocar uns videos num canal do youtube.

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

FdT disse...
«Mais trabalho e concerteza dores de cabeça dá actualizar um blog quase diariamente e ainda colocar uns videos num canal do youtube.»

Sim, e é precisamente por isso que ajuda muito quando vocês me trazem aqui links. Sempre são alguns minutos que poupo! :)