terça-feira, 13 de março de 2018

Ainda sobre os "Africanos de Bragança"


      Ainda a propósito da posta de ontem sobre a AEAB, reparei há pouco que o site futeboleiro zerozero tem uma fotografia antiga da equipa dos Africanos. Já tem alguns anos, mas a composição étnica do plantel actual não deve andar muito longe disto:

Transmontanos de gema, pá!

Já agora, se algum dos meus leitores tiver tempo e disponibilidade para isso, peço-lhe que faça o seguinte exercício: vá até ao  site futeboleiro zerozero e recolha outras fotos de equipas das distritais portuguesas. Desconfio seriamente que estes "Africanos de Bragança" estão longe de ser um caso isolado... e prometo publicar aqui no TU todas as fotos deste género que os leitores me trouxerem!

Porque o futebol é isto mesmo, não passa disto mesmo: entretenimento básico para gente básica. Uma procissão infindável de emoções primárias, que são habilmente desfiladas para cativar e domesticar hordas de atrasados mentais, pessoas incapazes de se indignar com o estado cada vez mais lamentável deste país, mas sempre prontas para insultar e até agredir o seu semelhante só por ser de um clube de futebol diferente do seu. 

E claro, quando se junta a enorme tristeza cavernícola que é o futebol ao ensino superior, como neste caso deprimente dos "Africanos de Bragança" (como se um africano pudesse ser de Bragança, ou do Porto, ou de Lisboa, ou de Olhão), o resultado só pode ser aberrações repugnantes como esta, autênticos crimes contra a identidade do povo português!

4 comentários:

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

Caro Amigo Afonso

Suas tiradas sarcásticas estão cada vez melhores.

" Porque o futebol é isto mesmo, não passa disto mesmo: entretenimento básico para gente básica. Uma procissão infindável de emoções primárias, que são habilmente desfiladas para cativar e domesticar hordas de atrasados mentais, pessoas incapazes de se indignar com o estado cada vez mais lamentável deste país, mas sempre prontas para insultar e até a agredir o seu semelhante só por ser de um clube de futebol diferente do seu. "

Brilhante demonstração do que acontece em Portugal Banânia.
Mas temos que acrescentar;

- as novelas morangos com merda
- os programas de tv com maricas e feministas de enojar qualquer um
- fados e ........
- religão com muita fartura

Um povo alienado, e ignorante é mais facilmente manipulado.
Quanto a miscigenação da raça portuguesa com estes porcos africanos e islâmicos, a procissão ainda vai no adro.
Todos pagaremos muito caro, e a Europa vai pelo ralo abaixo.
Tenho certeza que o Xé Povinho vai continuar assim até ao gran finale, encharcados em merda até ao nariz.

Mas o pior que tudo, é que nós os esclarecidos seremos arrastados, quer queiramos ou não.
Eu tenho as minhas precauções em andamento .........

Abraços.

Ramiro Lopes Andrade
Hétero / Islamofobico / Homofófico / Nacionalista

Afonso de Portugal disse...

Ramiro Lopes Andrade disse...
«Suas tiradas sarcásticas estão cada vez melhores.»

Obrigado, caro amigo Ramiro! Perante tanta destruição do nosso Portugal com a apatia generalizada dos portugueses, temos mesmo de usar da ironia, do sarcasmo e do humor em geral para não ficarmos malucos!


«- as novelas morangos com merda
- os programas de tv com maricas e feministas de enojar qualquer um
- fados e ........
- religão com muita fartura
»

Tudo verdade, sendo que da religião só vem a parte pior, que é o incentivo à miscigenação e ao amor ao "próximo". A moral, a disciplina e a ordem social, que são as coisas boas da religião, passam cada vez menos na televisão e até nas igrejas!


«Mas o pior que tudo, é que nós os esclarecidos seremos arrastados, quer queiramos ou não.»

Sem dúvida. É por isso que eu insto os nacionalistas a procurar outros como eles, não apenas aqui na internet, mas sobretudo no mundo real. Temos de começar a associar-nos porque, quando a hora da destruição final chegar, vamos precisar uns dos outros!

Abraços!

Anónimo disse...

Sem dúvida. É por isso que eu insto os nacionalistas a procurar outros como eles, não apenas aqui na internet, mas sobretudo no mundo real. Temos de começar a associar-nos porque, quando a hora da destruição final chegar, vamos precisar uns dos outros!
_____________

Palavras sábias Afonso de Portugal.

Mesmo parecendo que não, nós nacionalistas não somos tão poucos quanto isso o problema é que somos muitos menos que as ovelhas e que os que querem o mal de Portugal, o que acontece também é que muitos dos nossos ou estão amorfos e adormecidos, embora perfeitamente conscientes que a razão está do nosso lado, mas pensam que não têm força para resistir de tanto mal que vêem diariamente.

assinado
Paulo

Afonso de Portugal disse...

Paulo disse...
«(...) não somos tão poucos quanto isso o problema é que somos muitos menos que as ovelhas e que os que querem o mal de Portugal»

Concordo, mas acho que os nacionalistas portugueses têm outro grave problema: têm uma grande dificuldade em associar-se uns aos outros. Basta uma ligeira diferença de opinião para rejeitarem os seus camaradas. Há nacionalistas cristãos que rejeitam pagãos ou ateus e vice-versa. Há nacionalistas que não querem associar-se a quem não fale da questão judaica, e outros que não querem associar-se a quem não fale na questão islâmica. Há nacionalistas que encaram o aborto e a homossexualidade como direitos conquistados e irrevogáveis, há outros que acham estas coisas aberrações. É complicado... as pessoas têm muita dificuldade em separar o acessório do essencial.


«pensam que não têm força para resistir de tanto mal que vêem diariamente.»

É por isso que é urgente que os nacionalistas conheçam pessoas de carne e osso. O simples facto de se interagir com outros nacionalistas, o saber que eles são reais e que não estamos sozinhos faz uma grande diferença. Uma diferença que pode representar o abandono do niilismo e do desespero contraproducentes para abraçar formas de luta mais efectivas.

Ninguém tem desculpa: em Portugal há um Partido Nacionalista organizado. Não é perfeito, mas é um primeiro passo para conhecermos outros mais ou menos como nós e, quem sabe, até mesmo como nós! O que é preciso é que os nacionalistas tenham a coragem de sair da sua zona de conforto, em vez de ficarem a mandar umas larachas impotentes na internet