segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Stefan Molyneux: «O mito do socialismo escandinavo» (com legendas)


Via Legendas Libertárias (YouTube)

     Quando confrontados com o facto de os países socialistas terem todos degenerado em corrupção generalizada, ditadura, fome e pobreza extremas, violações sistemáticas dos direitos humanos e dezenas de milhões de mortos, muitos esquerdalhistas tentam defender-se apontando os países escandinavos, em particular a Suécia e a Noruega, como "exemplos de socialismo que deu certo".

Neste vídeo, o grande Stefan Molyneux arrasa por completo esse mito, recorrendo a factos e a números concretos, que mostram inequivocamente que a prosperidade dos países escandinavos se deve à sua liberdade económica -que é das maiores do mundo- e não às suas políticas socialistas. Por exemplo, o PIB per capita da Suécia tem decrescido desde 1950, à medida que os impostos nesse país foram sendo aumentados. Mas ao contrário do que muitos julgam, a carga fiscal máxima, em termos percentuais, não foi atribuída às empresas, mas sim aos trabalhadores! Com efeito, a carga fiscal das empresas norte-americanas era, até à recente reforma fiscal do Presidente Trump, superior à das empresas suecas!

Os motivos enunciados pelo Sr. Molyneux são, aliás, alguns dos mais fortes motivos pelos quais eu sou nacionalista mas não nacional-socialista. Há ainda outra razão de peso: o Estado -e por 'Estado' refiro-me evidentemente à máquina governativa, não à Nação- não é apenas a fonte de todos os vícios, burocracias e ineficiências, é sobretudo a causa primordial de todas as opressões, aprisionamentos e genocídios.

Antes que apareça aqui algum cabrão nazi chupa-piças do führer de bigodinho a chamar-me neoliberal, esclareço que não sou a favor da abolição do Estado. O Estado deve existir, mas deve ter um papel essencialmente de regulação, de forma a impedir que se formem monopólios e que o poder económico -logo legislativo, porque é o dinheiro que determina a política de facto- seja concentrado em grupos de pessoas restritos.

10 comentários:

Lura do Grilo disse...

Também esquecem que a Noruega tem imensos rendimentos do petróleo.

Afonso de Portugal disse...

É verdade. Mas é claro, os defensores dos "amanhãs que cantam" adoram omitir esses "pormenores"...

Pedro disse...

O estado não pode ser nem muito grande, nem muito pequeno. Um estado muito pequeno cria um vácuo de poder que será preenchido por grandes corporações que não dão a mínima para nacionalismo. Neoliberalismo é tão ruim quanto socialismo, são dois caminhos diferentes que chegam ao mesmo resultado.

Afonso de Portugal disse...

Embora concorde com o caro Pedro em termos gerais, julgo -e à medida que os anos passam vou-me convencendo cada vez mais disso- que é mil vezes preferível ter um Estado pequeno a um Estado grande. É evidente que um estado demasiado pequeno cria os problemas que o Pedro diagnosticou, mas por isso mesmo é que eu disse, no texto desta posta, que a função do Estado deve ser sobretudo regular.

Esta discussão não é nada trivial, porque o problema é definir exactamente onde é que deve acabar o Estado e onde é que deve acabar a influência do mundo empresarial. A minha visão é tão simples quanto isto: o dinheiro dos nossos impostos devia servir única e exclusivamente para manter o país em funcionamento. É imoral que haja canais de televisão pagos com o dinheiro dos contribuintes, assim como fundações, parcerias público-privadas e "instituições de caridade" financiadas pelo Estado. É inaceitável, por exemplo, que os partidos políticos recebam dinheiro do Estado, ou que haja câmaras municipais a financiar festarolas, festivais e outros "eventos culturais" que apenas visam a formatação e a domesticação do povo.

E claro, nenhuma empresa devia receber dinheiro do Estado, muito menos os bancos e clubes de futebol. Se não conseguem sobreviver sem o dinheiro dos contribuintes, então têm mesmo de ir à falência! Os políticos culpados de corrupção deviam ser exonerados para sempre da vida política, assim como todos os governantes que levassem seu país à bancarrota ou a um pedido de ajuda financeira internacional.

Pedro disse...

É importante acrescentar que as empresas privadas também podem censurar e tirar a liberdade das pessoas. Tem o Google e o Facebook como exemplos.

Anónimo disse...


https://www.jn.pt/justica/interior/hospital-do-porto-abre-inquerito-a-selvatica-agressao-a-quatro-profissionais-9116946.html

Terão sido "indivíduos"? acho que vamos ficar assim como que sem saber...

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

Precisamente. Ainda recentemente a Google foi multada em 21 milhões de dólares na Índia por privilegiar determinados sites e informação em detrimento de outros no seu motor de busca e também por abuso de posição dominante. Há anos que o poder cada vez desmesurado da Google devia ter sido alvo de regulação por parte das autoridades norte-americanas, mas nos EUA prevalece a visão estupidamente neoliberal da liberdade quase absoluta para as grandes corporações. O resultado está à vista: menos liberdade para os cidadãos.

Raghnar disse...

Eu nisto estou com o Afonso, Estado pequeno, com missão simples e ferramentas adequadas para desempenhá-la como deve ser. Quando é muito "gordo", além de controlar a vida das pessoas através de "apoios", segue sempre a velha máxima do "quem parte e reparte fica com a melhor parte". Sempre...

Entretanto, no "paraíso bolivariano":

https://www.dn.pt/mundo/interior/lei-proibe-dormir-e-mendigar-nas-ruas-do-estado-venezuelano-de-carabobo-9116069.html?utm_source=dn.pt&utm_medium=recomendadas&utm_campaign=beforeArticle&_ga=2.113993038.832717951.1518615109-234825472.1472192844

Eu não tinha reparado, mas um comentário chamou-me a atenção para isto. Na legenda da imagem, onde se vê malta a remexer no lixo, a malta está "à procura de lixo reciclável para vender", não à procura de comida. Até o cão, que deve estar a precisar de comprar cigarros.

Bardamerda com a manipulação...

RAMIRO LOPES ANDRADE disse...

Amigo Afonso

Veja só aonde vai chegar a loucura na Suécia.

http://www.anovaordemmundial.com/2018/02/bispo-sueco-da-as-boas-vindas-a-chamada-de-oracao-muculmana-para-o-bem-da-sociedade.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+anovaordemmundial%2FPNpa+%28A+Nova+Ordem+Mundial%29

Bispo Sueco dá as Boas Vindas à Chamada de Oração Muçulmana para o Bem da Sociedade

Aprovada a aplicação para que o refrão "Allahu Akbar" seja transmitido por alto-falantes no subúrbio sueco

Um bispo sueco respondeu a um pedido para que a transmissão de chamada de oração muçulmana no subúrbio imigrante de Araby, em Växjö, dando assim, as boas vindas ao movimento como um sinal positivo de multiculturalismo.

----------------------------------------

Isto vai acabar muito mal mesmo.

Abraços.

Ramiro

Afonso de Portugal disse...

Raghnar disse...
«Quando é muito "gordo", além de controlar a vida das pessoas através de "apoios", segue sempre a velha máxima do "quem parte e reparte fica com a melhor parte". Sempre...»

Exacto, é isso que nos mostra a história dos países socialistas e também -por muito que isso desagrade aos nazionaliztaz- a história das ditaduras de direita, desde o Chile de Pinochet à Alemanha de Hitler. A mim surpreende-me que ainda haja tanta gente que acredita na virtude suprema do Estado, como se o Estado pudesse existir separado dos políticos que compõem os governos ou dos boys e das girls que infestam as instituições públicas. A fé no Estado é uma característica que me deixa imediatamente de pé atrás em relação às pessoas que a professam, porque essas pessoas são ignorantes da História, sobretudo das circunstâncias que levaram às grandes mortandades do século passado.


«Eu não tinha reparado, mas um comentário chamou-me a atenção para isto. Na legenda da imagem, onde se vê malta a remexer no lixo, a malta está "à procura de lixo reciclável para vender", não à procura de comida. Até o cão, que deve estar a precisar de comprar cigarros.»

Fantástico! O descaramento dos mé(r)dia "tugas" continua a bater recordes! Muito obrigado pelo link, caro Raghnar, vou aproveitá-lo para fazer uma posta!


Ramiro Lopes Andrade disse...
«Amigo Afonso
Veja só aonde vai chegar a loucura na Suécia.
»

Alguns clérigos cristãos são ainda piores que os iminvasores muçulmanos, caro Ramiro! Traidores miseráveis, canalhas que vendem o seu próprio país e a sua própria Igreja em nome do universalismo religioso! Mereciam a forca, todos eles!

Obrigado pelo link, amigo! Abraço!