terça-feira, 1 de agosto de 2017

Um precedente perigoso...


     Nos EUA, um casal perdeu a custódia dos filhos por, alegadamente, não ter inteligência suficiente para os criar. Duvido muito que não haja milhares ou até milhões de casais com níveis de inteligência baixos a quem não são retirados os filhos. Esta história cheira a esturro...

«Eric Ziegler, de 38 anos, e Amy Fabbrini, de 31, perderam a custódia dos filhos alegadamente devido ao seu baixo grau de inteligência. O caso passou-se em Oregon no estado do Oregão, nos Estados Unidos. O filho mais velho foi retirado ao casal poucos dias após o seu nascimento, sucedendo o mesmo com o mais novo, segundo o jornal norte-americano The Oregonian.


A retirada deveu-se às várias queixas apresentadas por familiares, que alegavam que estaria em risco o bem-estar das crianças. O próprio pai de Amy afirmou que a mesma "não tinha instinto maternal". Na origem está o alegado baixo QI (Quociente de Inteligência) do casal, Eric, com 66 pontos, e Amy, com 72, ambos abaixo da média, compreendida entre 90 e 110. O casal foi submetido a um teste que apurou estes valores, após as denúncias de que foi alvo.

Contudo, nem todas as pessoas que rodeiam o casal concordam com esta decisão. O especialista Sherrene Hagenbach, que presta acompanhamento ao casal, declarou que "após múltiplas sessões a observar Amy e Eric a interagir com os filhos não foi encontrada qualquer razão para que as crianças lhes fossem retiradas e entregues ao cuidado do Estado", avança o mesmo jornal.»

Retirar os filhos a um casal devido à baixa inteligência dos progenitores parece-me uma medida absolutamente orwelliana, para não dizer de uma crueldade verdadeiramente anti-humana. E não digo isto de ânimo leve: não é preciso recuar nem 50 anos para descobrirmos inúmeros casais pela Europa fora que, tendo esse nível de inteligência, souberam criar os seus filhos devidamente.

Até porque as assistentes sociais servem precisamente para vigiar este tipo de situações, acompanhando o desenvolvimento das crianças ao longo dos anos e verificando se o seu progresso, em cada etapa do seu desenvolvimento, cumpre os objectivos adequados.

Não, o que eu receio que se passe aqui é, infelizmente, um fenómeno típico dos regimes marxistas: o confisco de crianças por parte do Estado, para que o Estado as (des)eduque de acordo com os seus objectivos totalitários. Ainda por cima este casal é branco e, como diz a preta deste vídeo, gravado para a estação de fake news MSNBC "temos de combater a noção de que os filhos pertencem aos pais, porque os vossos filhos pertencem ao colectivo".



Já sei que muitos dos caros leitores vão dizer que estou a ser paranóico, mas não estou: este género de abusos por parte do Estado começa sempre pelos mais fracos. Os Estados totalitários começam sempre por limitar os direitos dos mais vulneráveis (que não são necessariamente os mais pobres!). Só depois avançam para o resto da sociedade. Já tivemos inúmeros casos no Reino Unido em que os filhos são retirados aos pais -alguns deles portugueses- apenas por alegações de terceiros! Eu não acredito que estejamos apenas perante incidentes isolados, há aqui uma clara tendência que, receio bem, irá agravar-se no futuro.

7 comentários:

Raghnar disse...

Ainda há dias li uma notícia, que não encontro de momento, em que um petiz fez queixa na polícia porque a mãe lhe deu uma bofetada por não largar o telefone "esperto" da mão. E o pior é que foi levada a sério, vou procurar a notícia para ser mais preciso sobre os efeitos da queixa.

Para quem leu o 1984 de Orwell, o mundo real cada vez mais se assemelha à distopia descrita pelo autor. Fico progressivamente mais convencido que as suas funções como espião lhe providenciaram conhecimentos que utilizou para projectar a sociedade do futuro, a aplicação prática da utopia socialista. Esperemos ainda haver homens com tomates para impedi-la...

Lura do Grilo disse...

É a colectivização do ser Humano

Ivan Baptista disse...

Não, não está a ser paranoico Afonso.. a eugenia existe e está de boa saúde! Não sei se isto tem alguma coisa a ver com «Estados totalitários», mas uma coisa de que eu me apercebo,ou persinto, é que tal como o Afonso disse e bem- «há aqui uma clara tendência que, receio bem, irá agravar-se no futuro.»
A coisa vai-se fazendo de forma subtil, tímida, assim ao de leve, mas com alguns indícios aqui e ali, em que se nota de que nem tudo é assim para o optimista! :/
Lá porque o casal tenha algum tipo de limitação, isso numa sociedade que se diz ser livre, não é ou não deveria ser permitido este tipo de tratamento desumano! Então e o casal não tem direito a constituir uma família e ser feliz ? Pode parecer mentira, mas é possivel ser-se mais responsável com pouco, do que nalguns casos, com todas as capacidades super-humanas.
Ser-se inteligente,para mim, não é sinônimo de se ser boa gente ou até mesmo mais responsável. É que nem toda a gente nasceu para doutor ou ingenheiiro,carago! Não queria relativizar, mas essa merda da eugenia,na prática, não é uma coisa assim tão exacta. Não é porque se venha de uma arvore genealógica bonita,i.e, que se venha com uma descendência igualmente bonita, e inteligente ou vice versa.. Existem casos, em que os pais são medianos e os filhos são sobredotados,pois como isto é possível ? :O
Esterilizar pessoas, retira-lhes a custódia dos filhos, internar pessoas e dar-lhes um atestado de doença mental, entre outras barbaridades do gênero, é só uma desculpa para "higienizar a sociedade!
É claro que há casos e casos. i.e Quando certo tipo de pais procuram fazer mais crianças, multiplicando-as por 7(estou a exagerar é claro, 7 é um numero muuuito alto :) ), então isso ai já é outra história. Mas todo o ser humano assim como tem o direito á vida, também tem o direito de ser feliz.

Afonso de Portugal disse...

Raghnar disse...
«Ainda há dias li uma notícia, que não encontro de momento, em que um petiz fez queixa na polícia porque a mãe lhe deu uma bofetada por não largar o telefone "esperto" da mão. E o pior é que foi levada a sério, vou procurar a notícia para ser mais preciso sobre os efeitos da queixa.»

Sim, eu também vi isso, foi em Espanha:

http://www.jn.pt/mundo/mundo-insolito/interior/menino-de-11-anos-leva-mae-a-tribunal-8652062.html

É completamente absurdo! O juiz acabou por absolvê-la mas, como ela lamentou pouco depois, como pode uma mãe educar o seu filho se depois acaba em tribunal por uma simples bofetada? Além de que o miúdo tem claros traços de psicopatia... algum miúdo normal levaria os seus próprios pais a tribunal por uma simples bofetada?

http://www.jn.pt/mundo/interior/mae-absolvida-por-estalo-a-filho-de-11-anos-sente-se-inferior-8654473.html


«Fico progressivamente mais convencido que as suas funções como espião lhe providenciaram conhecimentos que utilizou para projectar a sociedade do futuro, a aplicação prática da utopia socialista. Esperemos ainda haver homens com tomates para impedi-la...»

O problema é que isto está a ser feito a um nível tão elevado que o povo nem se apercebe. Por exemplo, o que sabe o povo acerca do que se passa nos gabinetes do Ministério da Educação, onde as matérias a serem leccionadas são decididas? O que sabe o povo da idiossincrasia dos nossos juízes e advogados, que mandaram uma fulana três anos para a cadeia apenas por palavras, mas soltaram um animal que tinha violado repetidamente as suas sobrinhas? O que sabe o povo da canalhice de alguns empresários "tugas" sem escrúpulos, que estão a contratar nepaleses, malaios e paquistaneses a preço de chuva para trabalhar na agricultura?

Os tradicionalistas só agora estão a acordar para a necessidade de combater o mundialismo no plano cultural, mas a esmagadora maioria dos cidadãos está muito longe de acordar. Aqui em Portugal, então, o cenário é realmente desolador. As pessoas acreditam piamente no que vêem na televisão e/ou lêem nos jornais, acham que sem a UE haverá guerra na Europa e estão convencidas de que todos os nacionalismos são nazis. Ainda há muito trabalho a fazer e, infelizmente, temos demasiados autistas no movimento nacionalista incapazes de perceber a colossalidade do desafio.

Afonso de Portugal disse...

Lura do Grilo disse...
«É a colectivização do ser Humano»

Mas o mais grave é que não é um fenómeno novo na história da humanidade, nem sequer recente! Comecei agora as férias e estou finalmente a colmatar uma das minhas lacunas educativas, que é nunca ter lido o “Arquipélago Gulag” do Alexander Soljenítsin. O que ele conta sobre os primórdios da ex-URSS é muito, mas mesmo muito semelhante àquilo a que estamos a assistir presentemente no Ocidente: o policiamento do pensamento, a interdição de certa linguagem e a obrigatoriedade de uma linguagem própria, a insistência na reverência à “sabedoria” das elites, a diabolização sistemática da classe média “privilegiada” e “burguesa”… o paralelo é assustador!


Ivan Baptista disse...
«A coisa vai-se fazendo de forma subtil, tímida, assim ao de leve, mas com alguns indícios aqui e ali, em que se nota de que nem tudo é assim para o optimista! :/ »

Exactamente, caro Ivan, eles estão como aquela velhota na praia que vai ao banho mas a água está muito fria… primeiro mete os pés, depois molha as pernas, depois as coxas, depois os braços… mas há-de chegar o dia em que, se ninguém a impedir, vai mesmo acabar por tomar banho!


«Lá porque o casal tenha algum tipo de limitação, isso numa sociedade que se diz ser livre, não é ou não deveria ser permitido este tipo de tratamento desumano! Então e o casal não tem direito a constituir uma família e ser feliz ? Pode parecer mentira, mas é possivel ser-se mais responsável com pouco, do que nalguns casos, com todas as capacidades super-humanas.»


Sobretudo porque eu tenho a certeza –mas a certeza absoluta!– que há milhões de casais no ocidente nas mesmas circunstâncias! Não é preciso pensar muito: há inúmeros países africanos em que o QI médio da população e inferior a 70:

https://iq-research.info/en/page/average-iq-by-country

Ora, muitas dessas pessoas imigraram para Ocidente. Alguém lhes tirou os filhos? Não! E estamos a falar da média do QI, o que significa que há-de ver muitas pessoas com QI de 60 e até menos… portanto, há qualquer coisa neste caso do Oregão que está mal contada! Mas mesmo muito mal contada!!!


«Ser-se inteligente,para mim, não é sinônimo de se ser boa gente ou até mesmo mais responsável.»

Claro que não… aliás, os psicopatas tendem a ter uma inteligência acima da média, portanto…


«É que nem toda a gente nasceu para doutor ou ingenheiiro,carago!»

E ainda bem, porque o mundo precisa de gente que seja capaz de fazer outras coisas!


«Existem casos, em que os pais são medianos e os filhos são sobredotados,pois como isto é possível ? :O»

Porque a inteligência, apesar de hereditária, tem de ser estimulada durante infância para poder ser desenvolvida. Os psicólogos já demonstraram que quem não for devidamente estimulado nos seus primeiros anos de vida não poderá ser um adulto excepcional quando crescer. O cérebro humano tem um calendário próprio… se este calendário não for observado, o cérebro não atinge todo o seu potencial.

Aliás, é a mesma coisa com a altura humana. A altura é herditária, mas os filhos com melhor alimentação crescem sempre mais do que os pais, a menos que tenham problemas de absorção intestinal. É por isso que as gerações actuais são quase sempre mais velhas do que os seus pais.


«Esterilizar pessoas, retira-lhes a custódia dos filhos, internar pessoas e dar-lhes um atestado de doença mental, entre outras barbaridades do gênero, é só uma desculpa para "higienizar a sociedade!»

Concordo e julgo que é precisamente isso que se está a passar aqui: em nome dos direitos das crianças, rouba-se as crianças aos pais para que elas sejam (des)educadas em conformidade com as normas do Estado. É totalitarismo disfarçado de humanidade! E é precisamente por isso que é particularmente perverso…

Armor King disse...

No Cuckna.......quero eu dizer no Canadá, eles passaram a pouco tempo uma leia (autoria dos progressistas liberais) em que dá autoridade ao estado para retirar crianças aos pais se estes não aceitarem E acomodarem a identidade de gênero que a criança diz ser, ou seja se um menino disser que é uma menina, ou um cão ou seja lá o que for, os pais são coercidos a pagar por bloqueadores hormonais e operação de mudança de sexo se não quiserem perder a custódia da criança/jovem, mas como um mal não vem só, eles nas escolas andam a "ensinar" as crianças desde a pré-escola sobre sexo e transgenerismo, por isso a probabilidade que essa situação possa acorrer aumenta.

Ainda me questionei como é estes senadores e deputados podiam considerar as palavras e as escolhas de uma criança que sabe pouco ou nada do mundo numa matéria tão importante como o sexo,sagradas? Felizmente obtive a minha resposta, de acordo com uma pedopsicóloga: "- As crianças mudam de ideias em relação a muitas coisas e não devos ligar-lhes, mas quando se trata de sexo devemos preocupar-nos e intervir", liberalismo e doença mental mesmo!

Afonso de Portugal disse...

Armor King disse...
«dá autoridade ao estado para retirar crianças aos pais se estes não aceitarem E acomodarem a identidade de gênero que a criança diz ser»

Sim, por acaso já sabia, é completamente orewlliano. Aliás, nem mesmo Orwell anteviu uma cosia assim. Essa legislação chama-se "Lei 89". O Doutor Jordan Peterson deu uma excelente entrevista sobre essa aberração neste vídeo:

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2017/05/jordan-peterson-sobre-covardia-dos.html


«Ainda me questionei como é estes senadores e deputados podiam considerar as palavras e as escolhas de uma criança que sabe pouco ou nada do mundo numa matéria tão importante como o sexo,sagradas?»

O esquerdalho sabe que tem de sacrificar as crianças para obter a sociedade que deseja. Para eles, as crianças são apenas um sacrifício necessário.


«As crianças mudam de ideias em relação a muitas coisas e não devos ligar-lhes, mas quando se trata de sexo devemos preocupar-nos e intervir", liberalismo e doença mental mesmo!»

Eu já pensei que fosse uma doença mental, mas hoje estou muito mais pessimista... é maldade mesmo, maquiavelismo puro, porque eles sabem perfeitamente aquilo que estão a fazer e os resultados que vão atingir. Eles simplesmente não se importam, não querem saber...