sexta-feira, 7 de julho de 2017

Diversidade vibrante: "jovem" espanca criança de 5 anos até à morte!


Pormenores interessantes:
  • a criança, mestiça, era filha de uma mulher branca; 
  • essa mulher branca namorava com o "jovem" que matou a criança;
  • o CM tem publicado várias fotos em que os criminosos são brancos, mas não publicou nenhuma foto deste "jovem"; deve ser apenas coincidência! 😉

«Marvyn Iheanacho [apelido tipicamente inglês], um homem de 38 anos [o Daily Mail diz que tem 39], assassinou o filho da namorada, Alex Malcolm, de cinco anos, enquanto estavam a brincar no Parque de Mountsfield, em Londres. A causa está no facto de a criança ter perdido o sapato. O homem é acusado de ter assassinado a criança e espera julgamento, que acontecerá no Tribunal de Woolwich Crown, perto da zona onde o incidente aconteceu.»

Marvyn Iheanacho: típico bléque mada foca com cara de atrasado mental
(mas há muitas mulheres brancas que gostam mesmo disto)

«Iheanacho afirma ter transportado Alex, já inconsciente, até casa da namorada. A mãe da criança, Lilya Brehatambém foi violentamente atacada depois de, desesperada, tentar obter ajuda médica para o filho. Mal viu o filho naquele estado, Lilya entrou em pânico e começou a gritar. Queria desesperadamente telefonar para os serviços de emergência. Avisada para parar de gritar, Lilya foi "calada à força", quando o namorado se sentou em cima dela e tentou sufocá-la com as mãos no seu pescoço. Apesar de todos os esforços médicos, Alex acabou por morrer, tendo em conta a gravidade dos seus ferimentos.

Eventualmente, algum tempo depois, Lilya conseguiu telefonar para os serviços de emergência. Quando confrontado pelos médicos sobre a razão do estado físico da criança, Iheanacho afirmou que ele havia caído de um baloiço.»

A inútil da esquerda não conseguiu resistir ao chocolate. A criança da direita pagou com a vida por isso!

«O procurador Eleanor Laws afirma que Iheanacho tinha levado a criança a passear, numa viagem até Catford, para visitarem um amigo e comprarem alguns DVD’s. No caminho, os dois decidiram parar no Parque de Mountsfield, perto das redondezas, para descontrair. Acontece que o homem ficou extremamente enfurecido quando Alex, a criança de cinco anos, lhe disse que tinha perdido o sapato.

A testemunha, uma mulher chamada Sarah Strugnell, conta o que ouviu, dizendo que o homem estava muito furioso com a criança, que se mantinha calma. "Ouvi cerca de oito murros, no total", revela a testemunha.

Os médicos decidiram reencaminhar a criança para o Kings College Hospital, em Brixton, Londres, para recorrerem a uma operação com o fim de aliviar a pressão sobre o cérebro. Contudo, a operação não foi bem-sucedida e, pouco depois, a criança foi declarada morta.

O homem de 38 39 anos continua a declarar-se inocente da acusação de assassinato e não tece nenhum comentário à imprensa. O julgamento continua.» 

Como é mais do que evidente, o Marvyn é um autêntico monte de merda empilhado em forma de gente. Mas o que dizer sobre a Lilya, que escolheu o Marvyn como companheiro?...

27 comentários:

Anónimo disse...

A culpa não é dela (que é de facto uma meretriz) mas sim de quem encheu a ilha britanica de jovens coloridos. Provavelmente em cada 10 gajos com menos de 30 anos que andam nas ruas de Londres uns 7 sao coloridos. Entao estao à espera de que? Que estas tipas se envolvam com brancos?

Ass:FdT

Afonso de Portugal disse...

Vou ter de discordar respeitosamente, caro FdT. A culpa é delas, sim! Se eu andasse na rua e só visse mulheres "jovens", perguntava-me imediatamente: «Onde estão as mulheres "velhas"? Porque não saem à rua?». E fazia tudo ao meu alcance por descobrir onde é que elas paravam, não me contentava em ficar com uma "jovem".

Mas a esmagadora maioria das mulheres brancas não quer saber disso para nada. Longe da vista, longe do coração delas. Pior do que isso, muitas delas admiram os "jovens" precisamente por terem tomado as ruas das capitais europeias, como se isso resultasse de uma dominância genuína e não do facto de os jovens brancos terem sido efeminados e atomizados.

Não pretendo com isto desculpar o comportamento dos jovens brancos que se isolam em casa ou no trabalho, não praticam exercício regularmente, não se sabem defender e não fazem por andar em grupo na rua. Mas as jovens brancas não são inocentes nenhumas, porque permitem que os seus instintos primários levem a melhor sobre elas sem pensarem duas vezes.

João disse...

São os frutos de anos de marxismo. De um lado, o apaneleiramento do homem ocidental. Dou outro, o elogio do outro. Com os europeus cada vez mais abichanados as mulheres procuram no preto e no árabe o que não têm no branco. É a natureza em acção.

CENSURADO AGAIN disse...

atlantico leste é uma desgraça so gerou raça defeituosa

Anónimo disse...

"Não pretendo com isto desculpar o comportamento dos jovens brancos que se isolam em casa ou no trabalho, não praticam exercício regularmente, não se sabem defender e não fazem por andar em grupo na rua."

Mas eu nem sequer estava a culpar os jovens brancos, estou a "culpar" as pessoas brancas em geral, sobretudo das gerações anteriores, que acharam e continuam a achar que substituir os brancos por não-brancos através das sucessivas e imparáveis migrações vindas do "3ºmundo" é a resposta certa para os problemas da humanidade.

"Vou ter de discordar respeitosamente, caro FdT. A culpa é delas, sim! Se eu andasse na rua e só visse mulheres "jovens", perguntava-me imediatamente: «Onde estão as mulheres "velhas"? Porque não saem à rua?». E fazia tudo ao meu alcance por descobrir onde é que elas paravam, não me contentava em ficar com uma "jovem"."

Pois, talvez...mas o cerne da questão é o seguinte: o homem, seja branco ou não, tem uma libido muito mais rápida que a mulher, portanto por questões históricas/culturais e biológicas, é função do homem "esquartejar" e conquistar a mulher e não o contrario. Por isso, mesmo que o caro Blogueiro tenha o bom gosto de preferir manter-se leal ao seu ADN, convenhamos que qualquer bela e jovem mulher branca é bem mais assediada por escurinhos do que nós homens brancos, somos diretamente assediados por mulheres escurinhas.

Assim sendo, nos dias de hoje fica mais "fácil" para a mulher branca ir na cantiga do bandido, sobretudo se ela viver num esterco "cosmopolita", ou mesmo num meio rural europeu com muitos alogenos (um flagelo em crescendo).

A ocasião faz o ladrão, e portanto com a misturada demográfica, ainda para mais num mundo onde os brancos são minoria, o processo natural é a diluição do branco. Por isso é que eu culpo mais quem permitiu a mistura do que culpo as mulheres brancas que vivem cheias de escurinhos á volta e acabam por se envolver com eles.

Não esquecer também que por vezes, mesmo que as mulheres brancas resistam e até estejam num relacionamento com um branco, as mesmas são alvo de ataques sexuais por parte dos alogenos, e esse flagelo é mais uma vez responsabilidade de quem coletivamente permitiu as migrações/invasões.

Aproveito para trazer aqui uma vergonha e duas chamadas de atenção:

A primeira é este vídeo providenciado pelo FC Porto:

http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/lugar-anual-estadio-do-dragao-2017-2018-.aspx

Sim! Fazer de um país europeu o Brasil é que é bom e bonito!

A primeira chamada de atenção é para o programa "linha da frente" que vai passar na RTP, que se vai focar no tema dos migrantes do "3ºmundo" que estão a fazer trabalho agrícola no Alentejo. Infelizmente não consegui encontrar nenhum link, mas vi um "preview" sobre o programa na TV e fiquei chocado com a quantidade de alogenos que andam a trabalhar nos campos do Alentejo. Mais chocante é a justificação dada por parte dos empresários que os contratam "NÃO HÁ PORTUGUESES DISPONIVEIS PARA FAZER ESTES TRABALHOS".

Tenho que fazer esta reflexão: Uma Nação em que não existe vontade por parte dos empresários/poder politico para dar preferência e melhores salários aos trabalhadores Nacionais, e por outro lado, uma Nação onde de facto acredito que não haja grande massa humana jovem com vontade para fazer certos trabalhos, é uma Nação que merece a substituição populacional.

Já agora referir que achei curioso o seguinte facto: a esmagadora maioria dos trabalhadores vinham da Asia e da America do Sul. O que há primeira vista significa que os pretinhos de África estão a ficar tão importante que já nem se sujeitam a sujar as mãos...

A 2º chamada de atenção vai para as manifestações violentas em Hamburgo devido á cimeira do G-20. Os Ativistas de esquerda e Anarquistas, aparentemente, na sua maioria BRANCOS E ALEMÃES viraram literalmente o centro daquela cidade do avesso. Isto naturalmente, e por razões obvias, também é algo que merece reflexão...

Ass: FdT

Afonso de Portugal disse...

João disse...
«São os frutos de anos de marxismo. De um lado, o apaneleiramento do homem ocidental. Dou outro, o elogio do outro. Com os europeus cada vez mais abichanados as mulheres procuram no preto e no árabe o que não têm no branco. É a natureza em acção.»

São de facto os frutos do marxismo, mas não só. O caro João repare que o panfleto da direitinha aqui do rectângulo, o Observador liberalóide, alinha convictamente na cantiga. Veja-se por exemplo esta vergonha de artigo publicado ontem:

http://observador.pt/especiais/nao-facas-a-cadeira-dele-sexismo-assedio-discriminacao-e-racismo-nas-universidades-portuguesas/


Censurado Again disse...
«atlantico leste é uma desgraça so gerou raça defeituosa

Hum? A quem, em concreto, é que você se refere quando fala em Atlântico Leste? A propósito, você ainda não explicou aquela história dos "8% de Planck"...


FdT disse...
«(...) o cerne da questão é o seguinte: o homem, seja branco ou não, tem uma libido muito mais rápida que a mulher, portanto por questões históricas/culturais e biológicas, é função do homem "esquartejar" e conquistar a mulher e não o contrario. Por isso, mesmo que o caro Blogueiro tenha o bom gosto de preferir manter-se leal ao seu ADN, convenhamos que qualquer bela e jovem mulher branca é bem mais assediada por escurinhos do que nós homens brancos, somos diretamente assediados por mulheres escurinhas.»

Por acaso isso nunca me aconteceu, mas acredito perfeitamente no FdT e também no Ivan Baptista, que já me disse ter sido abordado por negras na região da Grande Lisboa. Quanto ao resto da sua análise, ela é absolutamente certeira... e é precisamente por isso que eu ODEIO o marxismo-feminismo, porque nega a realidade das diferenças biológicas entre sexos, das preferências sexuais e da selecção natural. Pior do que isso, CASTRA os rapazes desde tenra idade, ao ensinar a mentira de que não existem diferenças substancais entre homens e mulheres. É MENTIRA! Existem e compreendê-las é absolutamente crucial para nos relacionarmos com elas de uma forma saudável! E é precisamente daí que vem a minha revolta: continua a haver, na nossa sociedade, pessoas apostadas em destruir a sexualidade do homem ocidental. Em tranformá-lo num eunuco amorfo e patético. O link que eu indiquei ao João é um exemplo desses, aqui em Portugal.

Afonso de Portugal disse...

«A ocasião faz o ladrão, e portanto com a misturada demográfica, ainda para mais num mundo onde os brancos são minoria, o processo natural é a diluição do branco. Por isso é que eu culpo mais quem permitiu a mistura do que culpo as mulheres brancas que vivem cheias de escurinhos á volta e acabam por se envolver com eles.»

Claro que não podemos culpar apenas as mulheres... e sim, o grosso da culpa está nos promotores da iminvasão. Mas atenção, muitas das mulheres brancas que namoram, casam e têm fihos com "jovens" são muitas vezes mais fanaticamente anti-brancas do que o resto dos ocidentais!!! E temos de as castigar de alguma forma. Eu, por exemplo, recuso-me terminantemente a falar com uma mulher branca quando sei que o seu parceiro é negro. Mais: se visse uma mulher dessas em apuros na rua, não mexeria um dedo para a ajudar.

Quanto a vídeo do FC Porto, não me surpreende memo nada: eu tenho feito uma campanha contra o futebol aqui no TU (etiqueta "Triste Futebol") por entender que o futebol é um dos maiores veículos de iminvasão do Ocidente. As contratações, as transferências, as declarações contra o racismo da UEFA e da FIFA, as campanhas anti-racismo, as naturalizações ilegítimas, os casamentos entre jogadores alógenos e nativas e os vídeos como esse fazem-me ter NOJO, repito, NOJO do futebol! E perdi o respeito pelos dirigentes do FC Porto em 2001 quando, depois daquele jogo Potugal x Angola em Alvalada em que os os "jovens" arrancaram metade das cadeiras do estádio, o mafioso Pinto da Costa saiu em defesa dos angolanos. Aquilo desfez-me o coração, mas foi um abrir de olhos necessário! Hoje nem sequer reconheço como racialistas as pessoas que vibram com os alógenos em campo. Isso é absolutamente incoerente, dize-se racialista e torcer pelas equipas pretoguesas é digno de atrasados mentais!

«(...) um "preview" sobre o programa na TV e fiquei chocado com a quantidade de alogenos que andam a trabalhar nos campos do Alentejo. Mais chocante é a justificação dada por parte dos empresários que os contratam "NÃO HÁ PORTUGUESES DISPONIVEIS PARA FAZER ESTES TRABALHOS".»

Eu também já tinha visto um programa desse género, mas na SIC-N... nepaleses, bangladechianos, paquistaneses... uma coisa verdadeiramente surreal! Só que o que está em causa não é que os portugueses esteja "indisponíveis", mas sim que não estão disponíveis para trabalhar por tuta-e-meia, o que é inteiramente diferente.


«Uma Nação em que não existe vontade por parte dos empresários/poder politico para dar preferência e melhores salários aos trabalhadores Nacionais, e por outro lado, uma Nação onde de facto acredito que não haja grande massa humana jovem com vontade para fazer certos trabalhos, é uma Nação que merece a substituição populacional.»

O grande problema é que o Ocidente está todo assim! É por isso que é muito difícil travar a imigração. Os patrões querem escravos e os nativos tornaram-se demasiado instruídos (não é preguiçosos, é mesmo instruídos, no sentido de saberem melhor os seus direitos) para continuarem a trabalhar em condições de precaridade e com salários miseráveis. Só mesmo as gentes do terceiro-mundo é que se sujeitam a isso, porque os seus países de origem são tão maus que é preferível ser um quasi-escravo no primeiro-mundo do que outra coisa nos buracos de onde saíram!

Afonso de Portugal disse...

«Isto naturalmente, e por razões obvias, também é algo que merece reflexão...»

Já vi centenas -literalmente centenas- de vídeos de manifestações antifas no YouTube e no LiveLeak e uma coisa que salta à vista é que a esmagadora maioria dos manifestantes esquerdalhistas são brancos. Mesmo nas manifestações do Black Lives Matter, pelo menos metade dos presentes são brancos! É um fenómeno que me custa bastante a compreender, sobretudo pelo grau de fanatismo anti-branco e anti-ocidental extremo que se vê nessas pessoas. É como se estivessem perdidamente apaixonados pela perspectiva da sua auto-destruição.

Não conhecendo essas pessoas, só posso especular o que as motiva: problemas psicológicos, infâncias infelizes, inadaptação ao sistema, lavagem cerebral intensiva, crença cega nas virtudes do desejado paraíso marxista. O Prof. Jordan Peterson, Professor Catedrático de psicologia da Universidade de Toronto, já mencionou várias vezes que há diversos estudos e evidência estatística que indica que os esquerdistas, sobretudo os esquerdistas jovens, tendem a ser significativamente mais infelizes do que as pessoas de direita. Isso pode explicar a sua atitude perante o Ocidente: é visto como o sistema que os fez miseráveis e que, por isso mesmo, eles aspiram a destruir.

Anónimo disse...

"Por acaso isso nunca me aconteceu, mas acredito perfeitamente no FdT e também no Ivan Baptista, que já me disse ter sido abordado por negras na região da Grande Lisboa. Quanto ao resto da sua análise, ela é absolutamente certeira..."

Penso que o caro Blogueiro interpretou mal o que eu escrevi, eu também nunca fui propriamente assediado por mulheres negras, alias um dos propósitos do meu comentário foi mesmo insistir na ideia de que os homens negros tentam seduzir (quando não coagir) as mulheres brancas ao máximo, coisa que naturalmente as mulheres negras não fazem em relação aos homens brancos. Claro que há sempre excepções, mas eu falo geralmente.


"é precisamente por isso que eu ODEIO o marxismo-feminismo, porque nega a realidade das diferenças biológicas entre sexos, das preferências sexuais e da selecção natural. Pior do que isso, CASTRA os rapazes desde tenra idade, ao ensinar a mentira de que não existem diferenças substancais entre homens e mulheres. É MENTIRA! Existem e compreendê-las é absolutamente crucial para nos relacionarmos com elas de uma forma saudável! E é precisamente daí que vem a minha revolta: continua a haver, na nossa sociedade, pessoas apostadas em destruir a sexualidade do homem ocidental. Em tranformá-lo num eunuco amorfo e patético."

Eu também estou plenamente de acordo consigo nessa questão, da diferença entre Homem e Mulher. É assustador como a cada dia que passa dizer publicamente que mulher e homem = diferente, é cada vez mais uma blasfémia, não sei onde é que isto vai parar...vivemos numa Europa em que num dia temos a noticia de que um grupo de muçulmanos passou a "controlar" mais um bairro da Suécia ou Inglaterra, ou cometeu um ato covarde de terror, e no dia seguinte temos a opinião publica branca a apelidar todos os homens brancos heterossexuais de "homofóbicos" e a pedir mais direitos e mais crianças "sem género" etc, e a fazer paradas gay, vive-se uma realidade muito estranha.

" muitas das mulheres brancas que namoram, casam e têm fihos com "jovens" são muitas vezes mais fanaticamente anti-brancas do que o resto dos ocidentais!!! E temos de as castigar de alguma forma. Eu, por exemplo, recuso-me terminantemente a falar com uma mulher branca quando sei que o seu parceiro é negro."

Eu sei, mas acredite no que eu lhe digo (porque disto estou 100% certo): se os jovens brancos pararem de falar e se relacionar com jovens mulheres brancas que tiveram algum relacionamento ou aventura com algum escurinho, então aí é que os casamentos entre brancos vão descer para niveis minimos, pois no mínimo uns 30% das jovens brancas ocidentais , anda ou já andou metida com algum desses índividuos.

"...As contratações, as transferências, as declarações contra o racismo da UEFA e da FIFA, as campanhas anti-racismo, as naturalizações ilegítimas, os casamentos entre jogadores alógenos e nativas e os vídeos como esse fazem-me ter NOJO, repito, NOJO do futebol!"

Bem sei, bem sei...

Ass: FdT

Anónimo disse...

"O grande problema é que o Ocidente está todo assim! É por isso que é muito difícil travar a imigração. Os patrões querem escravos e os nativos tornaram-se demasiado instruídos (não é preguiçosos, é mesmo instruídos, no sentido de saberem melhor os seus direitos) para continuarem a trabalhar em condições de precaridade e com salários miseráveis."

É de facto um problema transversal a toda a Europa. Á baixa taxa de natalidade dos povos brancos, junta-se o facto de os "poucos" brancos que têm nascido nas ultimas décadas não terem vontade de "sujar as mãos" na lavoura devido ás ambições naturais que a alta instrução universitária trás. Como relativamente jovem adulto Europeu que sou falo por mim: no seio da minha família fui estimulado e pressionado desde pequeno pelos meus pais e avós a "estudar" para ser "doutor" e ser bem sucedido na vida num "grande centro urbano" e como eu foram os meus primos, amigos etc

É claro que depois fica aberto o pretexto para o excedente populacional do "3ºmundo" entrar na Europa de modo a preencher essas vagas laborais, e os empresários agradecem...

"Já vi centenas -literalmente centenas- de vídeos de manifestações antifas no YouTube e no LiveLeak e uma coisa que salta à vista é que a esmagadora maioria dos manifestantes esquerdalhistas são brancos. Mesmo nas manifestações do Black Lives Matter, pelo menos metade dos presentes são brancos! É um fenómeno que me custa bastante a compreender, sobretudo pelo grau de fanatismo anti-branco e anti-ocidental extremo que se vê nessas pessoas."

Exacto, eu fico logo a pensar: "Mas como é que estes brancos alemães não mostraram tanta agressividade após as medidas imigracionistas da Merkel e posteriores ataques sexuais em Colonia etc?"

Dá-me ideia de que na Alemanha existe um movimento anarquista e/ou de extrema esquerda bastante robusto e interventivo, e a maioria dos militantes são jovens brancos. Os alemães que nasceram nos anos 80/90 tiveram quiçá a infância e adolescência mais privilegiada do mundo, não lhes faltava nada (talvez apenas sol na mioleira...) portanto não seria expectável que os jovens alemães nascessem revoltados com o "sistema", antes pelo contrário, seria expectável que defendessem a todo o custo a saudável continuidade da sua Nação e da sua estirpe. Até podiam eventualmente crescer com preocupações ambientais etc (falei do ambiente pois tem sido uma bandeira politica da extrema-esquerda com a qual em parte concordo) mas não seria expectável que "altruistamente" quisessem milhões de migrantes do 3º mundo a estragar-lhes o país.

Por outro lado, na chamada "Europa de Leste" essas mesmas gerações de jovens nasceram com mais dificuldades e limitações sociais e económicas, e no entanto os mesmos preocupam-se mais com a defesa da estirpe e a defesa da Pátria/território perante a invasão migrante vinda da savana e do deserto.

Diga-se no entanto, que tenho a sensação de que em muitos centros urbanos da "Europa de Leste" há um crescente movimento anarquista, mundialista e esquerdista entre os jovens, mas que AINDA não atingiu as proporções que tem na Alemanha.

Ass: FdT

Ivan Baptista disse...

LOL AHAHAhahahaha

Ei Afonso, não me lembro de ter dito que se metiam comigo, o que eu acho que disse, é que é bem mais fácil de me meter com outras diferentes nacionalidade ou exóticas mulheres. Também é possível uma Portuguesa se meter comigo mas depois disso, o que toda a mulher procura num homem é o sentimento de segurança, poder e afins.
Antes pelo contrário, como eu não sou naturalmente nada disso as mulheres desistem de mim. Por mais que tente não consigo ser suficientemente corajoso, seguro, assertivo entre tantas outras coisas a que o Afonso referiu.
Por mais que tente ser um homem há séria, sou muito cobardolas e cheio de cagufa !
Quando ainda eu era um jovem adolescente, era muito parecido com um dos integrantes da ex-banda juvenil Tokio Hotel ! Pronto, só não me lembro de pintar as unhas ou por rímel nos olhos entre muitas outras paneleirices pegadas. Mas lembro-me de ser um miúdo bonito :) hehehe Lembro-me de colegas minhas de escola me assediarem, e infelizmente, alguns colegas meus também, por pensarem que eu era mais uma gaja :)
Mas prontos, são tempos que já lá vão. Hoje em dia é que me sinto exactamente o oposto. É que tou muito diferente, mas para pior,"snif":..(

Tal como o Afonso e aposto também com uma boa parte da mais ou menos nossa geração, também eu venho de uma família muito de ideais progressistas e muito modernas, urbano e cosmopolita ! Sei lá porquê, por muita sorte ou muito azar, a minha infância e adolescência foi vivida no quotidiano urbano, assim para o dinâmico, moderno e sofisticado! Pois foi cá um enriquecimento :)
Outro pormenor, é que nunca fui de grandes posses. Ao contrário dos outros putos que andavam de fatinho de treino e ténis de marca, andava sempre pouco apresentável, não havia dinheiro para essas coisas e só recebi um fatinho da marca Rebook uma única vez. Os outros meus coleguinhas de turma tinham tudo isso a dobrar ou a triplicar e mais um par de botas.
Como eu ficava mais naquela, em de não me meter em grandes confusões, nunca fui de andar em grupos, nunca me relacionei com os jovens mais sofisticados e dinâmicos na arte urbana. Pá, secalhar até fiz mal, é que se andasse com essas boas companhias, provavelmente pintaria arte nas paredes com spray´s e a saberia de cor as rimas de música yip e yop ou lá o quê, mais ainda, teria também uma pronúncia assim mais para o transatlântico :)
Por aquilo que me apercebo e como o FdT escreveu e bem, os movimentos anarquistas e/ou de extrema esquerda, são na sua maioria militantes jovens brancos nascidos nos 80 e 90 e alem do mais, são mais privilegiados do que a geração dos seus pais, não lhes falta nada.
E na minha opinião,independentemente da classe social,estatuto social, habilitações literárias, educação ou falta dela, o que também nos define a personalidade é o nosso meio envolvente. Por isso mesmo é que não é de admirar muito, que os anarquistas mais dinâmicos, sofisticados e urbanos, sejam tão agressivos ou até mesmo violentos para com o sistema.

Veja só esta noticia Afonso - https://www.noticiasaominuto.com/mundo/827084/heroi-da-ponte-de-londres-protagoniza-video-xenofobo-e-racista

Eu também não acho bem o que o Roy Larner fez, mas aquele grupo de activistas é simplesmente demencial! >:(
Os Europeus chegaram a um ponto, em que já não há volta a dar, é que estão a ficar completamente cegos! Enfim.

Leitora disse...

Eu também vi na TV destruição feita por esquerdalhas na Alemanha.

Só digo algo: GAYS.
Deve ter uma quantidade parecida ou talvez até menor de "manisfestantes" nessa destruição de ontem por causa do g20, do que pessoas na parada gay da Alemanha.
Gays são brancos e de esquerda. É preciso dizer mais alguma coisa? Eles odeiam tudo que a direita representa - capitalismo, Cristianismo, conservadorismo e etc

Leitora disse...

Também não podemos esquecer da HIPOCRISIA - Protestando contra o capitalismo --- porque ganhou 30 euros pra ir na manifestação. Resumindo se vendeu por dinheiro, o que é ainda mais baixo que trabalhar honestamente. Ajuda comprada também existe.

Leitora disse...

Vocês falam tanto em "mulher brnca não sei o que".. vc quer q a mulher branca fique sozinha enquanto os homens brancos ficam juntos? Blergh aliás... para vomitar:
https://galeri12.uludagsozluk.com/594/e%C5%9Fcinsellik-de%C4%9Fil-homofobi-hastal%C4%B1kt%C4%B1r_816153.jpg
http://blog-pt.hostelbookers.com/wp-content/uploads/2011/05/Parada-Gay-Londres.jpg
http://1.bp.blogspot.com/-soDXI1JqUVQ/Tg7EbdppfuI/AAAAAAAAAHw/CZ4E1wyrs-4/s1600/berlin+true.jpg
http://scd.br.rfi.fr/sites/brasil.filesrfi/imagecache/rfi_16x9_1024_578/sites/images.rfi.fr/files/aef_image/2017-07-01t224347z_660327599_rc1d4522e080_rtrmadp_3_spain-worldpride-parade.jpg
Digite parada gay alemanha - e ainda mostra de outros países - no Google e veja que 90% dos presentes são homens brancos.

Afonso de Portugal disse...

FdT disse…
« Penso que o caro Blogueiro interpretou mal o que eu escrevi (…)um dos propósitos do meu comentário foi mesmo insistir na ideia de que os homens negros tentam seduzir (quando não coagir) as mulheres brancas ao máximo, coisa que naturalmente as mulheres negras não fazem em relação aos homens brancos.»

Sim, o Ivan já esclareceu que eu o tinha percebido mal a ele e, pelo visto, também o percebi mal a si! :) Seja como for, a questão fundamental é a seguinte: porque é que os homens negros são em geral tão agressivos e os brancos são em geral tão passivos?


«(…) vivemos numa Europa em que num dia temos a noticia de que um grupo de muçulmanos passou a "controlar" mais um bairro da Suécia ou Inglaterra, ou cometeu um ato covarde de terror, e no dia seguinte temos a opinião publica branca a apelidar todos os homens brancos heterossexuais de "homofóbicos" e a pedir mais direitos e mais crianças "sem género" etc, e a fazer paradas gay, vive-se uma realidade muito estranha.»

Claro, porque uma coisa complementa a outra! É precisamente por isso que é urgente denunciar o Marxismo Cultural e a Teoria Crítica, porque a maioria das pessoas não percebe a relação entre os dois fenómenos, imigração e desagregação social. As engenharias sociais pós-modernistas e neomarxistas têm como grande objectivo amansar os ocidentais. E estão a resultar!


«(…) se os jovens brancos pararem de falar e se relacionar com jovens mulheres brancas que tiveram algum relacionamento ou aventura com algum escurinho, então aí é que os casamentos entre brancos vão descer para niveis minimos, pois no mínimo uns 30% das jovens brancas ocidentais , anda ou já andou metida com algum desses índividuos.»

Bem, pela minha experiência pessoal, 30% será talvez um número talvez demasiado elevado. Vejo cada vez mais mulheres brancas com negros, mas julgo que ainda estamos muito longe dessa percentagem, pelo menos aqui, no Norte de Portugal.
A questão fundamental para mim é que uma mulher dessas não serve como parceira de longo prazo. Como seria ter filhos com uma fulana dessas? Como seria educá-los com uma mãe a ensinar-lhes que “somos todos iguais” e que lhes contasse histórias vibrantes como “quando eu era nova tive um namorado pretinho”?

Felizmente, julgo que não há o risco de os homens brancos deixarem de falar com essas rameiras. Há tantos homens brancos desesperados, com baixa auto-estima e socialmente incompetentes, que muitos deles até aceitarão casar com uma Floribella e criar as filhas do Djaló como se fossem deles!

Afonso de Portugal disse...

FdT disse…
«Como relativamente jovem adulto Europeu que sou falo por mim: no seio da minha família fui estimulado e pressionado desde pequeno pelos meus pais e avós a "estudar" para ser "doutor" e ser bem sucedido na vida num "grande centro urbano" e como eu foram os meus primos, amigos etc.

É claro que depois fica aberto o pretexto para o excedente populacional do "3ºmundo" entrar na Europa de modo a preencher essas vagas laborais, e os empresários agradecem...
»

Essa é uma realidade que só se resolve através da conjugação de três estratégias: (1) ter mais filhos e (2) incentivar o desenvolvimento a indústria do país e (3) limitar a dependência do exterior. Quando uma nação tem muitos filhos, a probabilidade de haver pessoas dispostas a fazer determinados trabalhos aumenta. E quando tem indústria para absorver os trabalhadores menos qualificados, o sonho de ser doutor passa a ser facultativo ou, pelo menos, passa a estar menos generalizado. E quando se importa apenas aquilo que não pode produzir internamente, maximiza-se a utilização dos recursos endógenos da nação, fazendo com a maior parte da riqueza produzida internamente não saia para o exterior. Mais riqueza cá dentro = ainda mais capacidade de investimento e desenvolvimento futuro.

Claro que nenhuma destas medidas tem grandes hipóteses de vir a ser tomada no Portugal presente porque, para além de estarmos sob controlo dos globalistas, ainda temos a agravante de estarmos dominados por uma cultura de corrupção.


«Os alemães que nasceram nos anos 80/90 tiveram quiçá a infância e adolescência mais privilegiada do mundo, não lhes faltava nada (talvez apenas sol na mioleira...) portanto não seria expectável que os jovens alemães nascessem revoltados com o "sistema", antes pelo contrário, seria expectável que defendessem a todo o custo a saudável continuidade da sua Nação e da sua estirpe.»

Por isso mesmo, meu caro: quem nunca teve de trabalhar a sério para ter o que tem, não lhe dá o valor merecido. Pelo contrário, quanto mais se tem, mais se quer ter! E isso vê-se perfeitamente na atitude dos Guerreiros da Justiça Social: eles não passam fome, nem privação material, mas demonstram padecer de uma inveja e de um ressabiamento verdadeiramente patológico em relação àqueles que têm algo que eles não têm. As feministas, por exemplo, exigem ganhar tanto quanto os homens, mas sem trabalharem o mesmo. Os negros exigem quotas para empregos específicos, mesmo quando não têm a mesma inteligência e nível de competência dos brancos. Os comunas exigem que a riqueza dos “burgueses” seja redistribuída por todos… mas só enquanto não lhes toca redistribuir a eles! ;)


«Diga-se no entanto, que tenho a sensação de que em muitos centros urbanos da "Europa de Leste" há um crescente movimento anarquista, mundialista e esquerdista entre os jovens, mas que AINDA não atingiu as proporções que tem na Alemanha.»

Se os europeus de Leste forem inteligentes, aprenderão com o que se está a passar na Europa Ocidental e tomarão as devidas medidas. As instituições neomarxistas têm de perder todos os fundos do Estado… e mesmo os fundos privados devem ser limitados ao máximo. Além disso, a identidade dos seus financiadores deve ser devidamente identificada e tornada pública, para que toda a comunidade possa ver quem está a financiar o quê!

Afonso de Portugal disse...

Ivan Baptista disse…
«Ei Afonso, não me lembro de ter dito que se metiam comigo, o que eu acho que disse, é que é bem mais fácil de me meter com outras diferentes nacionalidade ou exóticas mulheres.»

Bem, eu ia jurar que o Ivan me tinha dito mesmo que as negras o tinham abordado, mas aqui quem sabe a história do Ivan é o Ivan. Provavelmente, fui eu que percebi mal. :)


«Por mais que tente não consigo ser suficientemente corajoso, seguro, assertivo entre tantas outras coisas a que o Afonso referiu.
Por mais que tente ser um homem há séria, sou muito cobardolas e cheio de cagufa !
»

Ahahahah, mas ó Ivan, essas coisas desenvolvem-se ajustando a nossa atitude e dando tempo ao tempo! Acaso o Ivan é menos homem do que os outros? Eu tenho a certeza que não! Portanto, o problema está todo na sua cabeça!... A coragem e a segurança na sedução vêm com a prática. Eu também já fui alto nabo com as mulheres até aos 20 e muitos anos, mas depois comecei a mudar ao aperceber-me que havia muitos homens que não valiam a ponta de um corno e que estavam sempre rodeados por mulheres! E foi aí que tive uma epifania:O sucesso com as mulheres tem mais a ver com a atitude do sedutor do que com o seu valor intrínseco e competência de facto. E nenhuma mulher merece o nosso respeito até que demonstre merecê-lo, respeitando-nos!

Estou a falar muito a sério, Ivan: a coragem e a segurança com as mulheres advêm de mudarmos a nossa forma de olharmos para elas e, sobretudo, de praticarmos a arte da sedução com muitas delas! A sociedade ensina-nos a mentira que as mulheres são especiais, sensíveis, mais estáveis, mais humanas… tudo treta, evidentemente, mas a esmagadora maioria dos homens ocidentais passa grande parte da sua vida a agir como se as mulheres fossem suas superiores. E depois claro, elas acabam por tratá-los como se fossem meros capachos!…

O segredo está em tratá-las, desde o início, como se fôssemos superiores a elas. Note que isto é diferente de se considerar realmente superior ou de as tratar mal, não é isso que eu defendo. Eu defendo agir como se soubéssemos que tudo o que elas possam dizer ou fazer nos vai ser indiferente. E tem mesmo de ser indiferente! Eu acredito nisso convictamente, no poder supremo da atitude. A insegurança dos homens perante as mulheres resulta de as encararmos como juízes que determinam o nosso valor intrínseco. Mas elas não têm essa competência, conhecimento de causa do que é ser homem e muito menos qualquer tipo de legitimidade para nos fazerem sentir mal connosco próprios! Perceber isto separa o homem que tem sucesso com as mulheres do homem que não tem: o homem que tem sucesso com as mulheres vê a sedução como um jogo. Ele sabe que as mulheres só devem ser bem tratadas DEPOIS de nos terem tratado bem. Se uma mulher é simpática para connosco, devemos recompensá-la sendo simpáticos para com ela. Se uma mulher é antipática para connosco, devemos puni-la por isso, devolvendo-lhe a antipatia. É uma questão de termos auto-respeito por nós próprios.

Claro que a inteligência desempenha um papel muito grande nisto tudo: o bom sedutor sabe retribuir afecto, mas também sabe colocar as pessoas no seu devido lugar sem rancor, sem ressentimento e, mais importante, sem encarar as coisas como uma afronta pessoal. Esta é a chave para a coragem e para a segurança. E claro, para que isso suceda, é preciso ter experiência de vida e muita humildade para ter presente que há sempre algo que podemos aprender!

Por isso, caro Ivan, cague nas mulheres! Adore-as, mas cague nelas! Encare-as como um jogo de computador: quando não passamos de nível, tentamos outra vez! Não podemos é ter medo do jogo ou pior, odiar o jogo! ;)

Afonso de Portugal disse...

Ivan Baptista disse...
«Mas prontos, são tempos que já lá vão. Hoje em dia é que me sinto exactamente o oposto. É que tou muito diferente, mas para pior,"snif":..(»

Ahahahah Bem, eu não posso garantir com certeza absoluta por não ser guei mas, pela fotografia sua que o Lá Lá Cardo divulgou, o Ivan não parece ter razão de queixa! :P

A boa notícia é que os homens não precisam de ser bonitos para serem desejados pelas mulheres! :) O Ivan nunca ouviu dizer que “os homens querem-se feios e a cheirar a cavalo”? Pode parecer um exagero, mas tem muito de verdade! O homem tem é de ser másculo, autoconfiante, decidido, como se fosse dono do mundo inteiro ou pudesse vir a sê-lo! Se for bonito, tanto melhor. Mas ser bonito é a cereja no topo do bolo, não é o bolo em si!


«Outro pormenor, é que nunca fui de grandes posses. Ao contrário dos outros putos que andavam de fatinho de treino e ténis de marca, andava sempre pouco apresentável, não havia dinheiro para essas coisas e só recebi um fatinho da marca Rebook uma única vez. Os outros meus coleguinhas de turma tinham tudo isso a dobrar ou a triplicar e mais um par de botas.»

Concordo que a falta de dinheiro pode ser um entrave com muitas mulheres… mas não com aquelas que realmente valem a pena! Uma mulher com dois dedos de testa sabe que é preferível ter um homem pobre mas ambicioso do que um homem rico pouco poupado. Pela minha experiência, as mulheres usam muitos homens ricos como carteiras ambulantes, só os querem para lhes pagar coisas. Mais vale ser pobre do que ser um desses bananas.
Eu, por exemplo, sempre dividi todas as contas com todas as minhas namoradas; só quando elas não tinham dinheiro no momento é que eu paguei por inteiro e, mesmo assim, exigi que me pagassem mais tarde. Muitas não gostaram da atitude e houve uma que me deixou por causa disso. Pois ainda bem que ela se foi embora, porque eu não era o pai dela, não tinha obrigação de lhe pagar nada!!!

Eu a minha namorada actual vivemos na mesma casa há já alguns anos mas, mesmo assim, ainda dividimos as despesas proporcionalmente aos nossos ordenados. Eu ganho cerca de 30% mais do que ela, por isso contribuo com um bocadinho mais, mas sempre deixei bem claro que não ando neste mundo para cuidar dela financeiramente! Só faria isso por uma mulher tradicional que abdicasse de trabalhar para cuidar da casa e dos filhos… mas como isso já não existe, temos pena, “somos todos iguais” e divide-se tudo! Afinal, é isso que o feminismo prega, certo? ;)


« Como eu ficava mais naquela, em de não me meter em grandes confusões, nunca fui de andar em grupos, nunca me relacionei com os jovens mais sofisticados e dinâmicos na arte urbana. Pá, secalhar até fiz mal, é que se andasse com essas boas companhias, provavelmente pintaria arte nas paredes com spray´s e a saberia de cor as rimas de música yip e yop ou lá o quê, mais ainda, teria também uma pronúncia assim mais para o transatlântico :)»

Uuuugh… isso é que não, Ivan! :( Os “bollycaos” são a forma de “cuco” mais rasteira que existe! E caramba, deve haver muitos lugares onde predominam os brancos! Olhe, um bom lugar para fazer amigos é um ginásio ou um centro de artes marciais… é um dos poucos lugares onde se consegue ser másculo sem ser censurado por ninguém! :)

Afonso de Portugal disse...

Ivan Baptista disse...
«E na minha opinião,independentemente da classe social,estatuto social, habilitações literárias, educação ou falta dela, o que também nos define a personalidade é o nosso meio envolvente. Por isso mesmo é que não é de admirar muito, que os anarquistas mais dinâmicos, sofisticados e urbanos, sejam tão agressivos ou até mesmo violentos para com o sistema.»

Dou-lhe toda a razão na questão do meio envolvente, caro Ivan. Eu acho que é tudo uma questão de irresponsabilidade. Essas pessoas (antifas e afins) não sabem o que é trabalhar para ganhar a vida, por isso não dão valor ao que têm. Querem que os outros cuidem delas, querem direitos sem deveres e responsabilidades. E odeiam tanto o sistema que estão dispostos a destruí-lo, convencidos que isso vai trazer a mudança a que aspiram. Só que não vai! Pelo contrário, se algum dia isso vier a acontecer, se o sistema que eles tanto odeiam cair, eles estarão entre as primeiras vítimas do holocausto que virá a seguir!

Aliás, eu vejo a mesma atitude imbecil dos antifas em muitos dos “nossos” nazionaliztaz. Acham que isto tem tudo de ir abaixo para as pessoas “acordarem”! Julgam que chegámos aqui por acaso ou por exclusiva responsabilidade dos judeus… só que não chegámos, a realidade é muito mais complicada do que isso! Chegámos aqui porque o povo português deu primazia ao bem-estar económico a curto e médio prazos sobre tudo o resto (raça, nação, cultura, etc). E o nacionalismo só poderá constituir-se como alternativa aos partidos do sistema no dia em que puder assegurar a continuidade dessa prosperidade e bem-estar económico!


«Eu também não acho bem o que o Roy Larner fez, mas aquele grupo de activistas é simplesmente demencial! >:( Os Europeus chegaram a um ponto, em que já não há volta a dar, é que estão a ficar completamente cegos! Enfim.»

O grande paradoxo é que, muito provavelmente, o Sr. Larner ajudou as pessoas na ponte de Londres precisamente por ser “xenófobo”. É que os “xenófobos” tendem a estar mais atentos à ameaça islâmica e a ter mais simpatia para com as vítimas da islamização. Obrigado pelo link, vou usá-lo para fazer uma posta!


Leitora disse…
«Só digo algo: GAYS.

Ahahahaha Credo, Leitora, isso não será uma generalização abusiva?


«Gays são brancos e de esquerda. É preciso dizer mais alguma coisa? Eles odeiam tudo que a direita representa - capitalismo, Cristianismo, conservadorismo e etc»

Sim, regra geral isso é verdade. Mas não consigo acreditar que todos os antifas sejam gueis. É estatisticamente muito improvável!


«Também não podemos esquecer da HIPOCRISIA - Protestando contra o capitalismo --- porque ganhou 30 euros pra ir na manifestação. Resumindo se vendeu por dinheiro, o que é ainda mais baixo que trabalhar honestamente. Ajuda comprada também existe. »

Bem, eles protestam contra o capitalismo porque é a única coisa que entendem. Isto é, eles foram formatados para espumar à simples menção do capitalismo, não para pensar seriamente acerca do capitalismo. Aliás, se você reparar nas manifestações antifas ou de guerreiros da (in)justiça social, você verá que os slogans e as palavras de ordem são sempre os mesmos: “morte ao capitalismo”, “abaixo o patriarcado”, “liberdade para as mulheres”, “direitos para os transgénero”, “não ao imperialismo”, “abaixo a ditadura da civilização ocidental”, etc.

Afonso de Portugal disse...

Leitoraz disse...
«Vocês falam tanto em "mulher brnca não sei o que".. vc quer q a mulher branca fique sozinha enquanto os homens brancos ficam juntos?»

Leitora, a genética humana diz-nos que, ao longo da história, as mulheres sempre se reproduziram muito mais do que os homens. Ao longo da história da humanidade, 90% das mulheres que viveram tiveram filhos, apenas 50% dos homens que viveram tiveram filhos. Isto para dizer a você que eu tenho a certeza absoluta que há imensos homens brancos neste mundo que estão sozinhos e que jamais terão filhos. Só que as mulheres brancas não querem esses homens, porque vocês vêem eles como derrotados. A culpa não é vossa, é deles. Mas ao mesmo tempo, não é bem deles, porque eles foram ensinados a ser fracos pela sociedade dos últimos 50 anos.

Quantos aos gueis, por favor, Leitora, a população LGBT rondará apenas os 5%, nas melhor das hipóteses. E as mulheres também são lésbicas! O problema das mulheres bancas que gostam de “jovens” não tem nada a ver com os gueis, mas sim com o facto de as circunstâncias sociais actuais favorecerem a maior pró-actividade e agressividade dos negros. Os negros andam em grupo, os brancos não. Os negros não têm vergonha de agir como homens, os brancos têm. Os negros vêem-se a si próprios como a melhor coisa do mundo, os brancos acham-se a pior coisa do mundo. Os negros sabem que as mulheres e os homens são muito diferentes, biológica e emocionalmente, os brancos julgam que os homens e as mulheres são exactamente iguais (ou quase). Estou a falar em termos gerais, evidentemente, mas estas tendências existem e levaram à situação actual que, receio bem, tenderá a agravar-se no futuro…

Leitora disse...

https://scontent.fbfh4-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/19884450_446842442366365_6797800466415255215_n.jpg?oh=9c071c7a15c5a355658a60b920b60a62&oe=59FC9688


Olhe essa foto. Essa foto foi planejada.
E nela tem a indicação clara da autoria das manifestações de CAOS.
Consegue ver o que é ?

Ivan Baptista disse...

" fotografia sua que o Lá Lá Cardo divulgou"

Não sou eu Afonso, a foto a que o Afonso se refere e de que o "artista divulgou, não é minha, é de um primo meu. Alem do mais, acho que já é altura de parar de mencionar o sujeito. Também eu não gostei lá muito da atitude dele comigo, mas parece que ele já não é nenhuma ameaça para ninguém. Ele que fique lá com as suas audiências, e nós só temos que continuar, porque a vida continua.

" Só faria isso por uma mulher tradicional que abdicasse de trabalhar para cuidar da casa e dos filhos… mas como isso já não existe, temos pena, “somos todos iguais” e divide-se tudo! Afinal, é isso que o feminismo prega, certo? ;) "

O feminismo vai para alem disso Afonso, veja só estes artigos de opinião:

- http://24.sapo.pt/opiniao/artigos/feministas-e-cavalheiros

- http://expresso.sapo.pt/blogues/bloguet_lifestyle/Avidadesaltosaltos/2016-09-05-O-feminismo-nao-e-machismo-ao-contrario

O que estas duas senhoras apregoam, é igualdade de gêneros e o blá blá blá do costume. Mas o que eu entendo, é o que estas duas fascinistas, querem é que todos os homens sejam feministas, que os putos venham a ser ensinados e a vir a ser «Feministas»! Mas será que ninguém lhes disse ou contou, de que ao contrário destas duas feministas exigem ...de que hoje em dia, ninguém obriga a ninguém a aceitar o machismo ? Culpar as gerações mais novas como geração machista, faz algum sentido ? Num futuro próximo, no fim do mundo, lá mais próximo do apocalipse, ainda se vai proibir ou vai-se evitar os nascimentos masculinos! Pode parecer ficção cientifica, mas acho que já tivemos bem mais longe disso acontecer :)



"Dou-lhe toda a razão na questão do meio envolvente, caro Ivan. Eu acho que é tudo uma questão de irresponsabilidade. Essas pessoas (antifas e afins) não sabem o que é trabalhar para ganhar a vida, por isso não dão valor ao que têm. Querem que os outros cuidem delas, querem direitos sem deveres e responsabilidades. E odeiam tanto o sistema que estão dispostos a destruí-lo, convencidos que isso vai trazer a mudança a que aspiram. Só que não vai! Pelo contrário, se algum dia isso vier a acontecer, se o sistema que eles tanto odeiam cair, eles estarão entre as primeiras vítimas do holocausto que virá a seguir!"

Muitas dessas pessoas também são pessoas responsáveis e etc...O que disse, é que o meio envolvente transforma a personalidade da pessoa. É como se tivermos a falar de uma assimilação a uma diferente cultura. E isso não implica ser-se irresponsável ou incompetente. Implica apenas a vir achar-se "melhor" ou mais "aceitável" pessoa.
Para eles, o "sistema" é opressor, injusto e etc... É como se vivessem numa outra diferente dimensão ou realidade. É como se por exemplo, o Afonso fosse o "único" crente ou ateu, num mundo de uma "maioria" "opressora" á sua crença.
Por mim, que sejam o que quiserem, só não acho bem é a forma de implicar contra o sistema com violência.

"Uuuugh… isso é que não, Ivan! :( Os “bollycaos” são a forma de “cuco” mais rasteira que existe!"

Esses sim, são escumalha parasita e irresponsável que não teem mais nada que fazer. Para mim, é cacetada neles até aprenderem a ser gente normal... como as pessoas.

Ivan Baptista disse...

http://observador.pt/especiais/nao-facas-a-cadeira-dele-sexismo-assedio-discriminacao-e-racismo-nas-universidades-portuguesas/

Á pois, tinha-me esquecido de ler esse artigo.. o estilo dela é tipo Flowerpower, hipster ou Hippie lol :^)

Afonso de Portugal disse...

Leitora disse…
Olhe essa foto. Essa foto foi planejada.
E nela tem a indicação clara da autoria das manifestações de CAOS.
Consegue ver o que é ?


Não consigo ver. O link não abre. Tem a certeza que postou correcto? Ou isto é mais uma das suas armações?


Ivan Baptista disse…
«acho que já é altura de parar de mencionar o sujeito.»

Eu mencionei-o em consequência de ter relembrado a sua fotografia (que afinal não era sua). Foi uma questão de clarificar um contexto, não de atacar o artista. Seja como for, o artisita já me atacou tantas vezes -e não em caixas de comentários- que eu ainda lhe fiquei a dever algumas...


«(…) mas parece que ele já não é nenhuma ameaça para ninguém.»
Veremos. Ele parece ter acalmado, mas isso não significa que tenha desistido. A verdade é que ele continua a mencionar o FireHead pelo seu nome verdadeiro, apesar de o FireHead já não estar na blogosfera Isso indicia que ele é do tipo que não perdoa. E se não perdoa, vai voltar a atacar se a oportunidade surgir.


«http://24.sapo.pt/opiniao/artigos/feministas-e-cavalheiros»

Uma valente merda de artigo, como sempre. Todos os artigos dessa Patrícia Reis metem nojo, não há excepção. Tenho pena, muita pena do desgraçado do miúdo que tem uma mãe assim. Uma manipuladora desavergonhada. Felizmente, o rapaz parece ser esperto. Aceitou o dinheiro e disse à mãe exactamente o que ela queria ouvir. Antes assim!
O último parágrafo é pura e simplesmente absurdo. Ser homem não tem nada –asbolutamente nada- a ver com ser feminista, muito menos com segurar uma porta à nossa mãe. Além de que as feministas só defendem a “paridade” pare certos trabalhos, não há “paridade” na construção civil, na pichelaria, no tratamento de esgotos e nas plataformas petrolíferas. A “paridade” é só para os cargos de administração e de dirigente político. Entretanto, o número de mulheres nas universidades supera largamente o número de homens. Mas dessa falta de “paridade”, as feministas já não querem saber…


«http://expresso.sapo.pt/blogues/bloguet_lifestyle/Avidadesaltosaltos/2016-09-05-O-feminismo-nao-e-machismo-ao-contrario»

Este artigo consegue a proeza de ser ainda mais ridículo do que o anterior. A Paula Cosme Pinto, outra criatura conhecida por não primar propriamente pela inteligência, muito menos pela beleza, utiliza uma das falácias mais gastas da imundice feminista: “vão ver a definição de feminismo no dicionário”, pá!

Mete a definição no cu, Paulinha! Ela foi escrita e publicada por pessoas hipócritas como tu! Feminismo não é o que está escrito no dicionário, ma sim aquilo que as feministas fazem na prática. E o que elas fazem na prática não tem nada, rigorosamente nada a ver com a igualdade!

Afonso de Portugal disse...


De resto, o artigo da Paula-com-cérebro-de-Pinto nem sequer é original. Há centenas de artigos como este em inglês e foi neles que ela se inspirou. Só que esses artigos já foram estilhaçados por inúmeros pensadores antifeministas: Warren Farrell, Camille Paglia, Christina Hoff Summer,s Paul Elam, Karen Straughan, Bernard Chapin, Milo Yiannopoulos, etc.

De resto, nem sequer é lícito que os direitos das mulheres sejam positivos ou benéficos para a sociedade como um todo. Por exemplo, basta olhar para a taxa de natalidade dos países feministas e dos países islâmicos para constatarmos rapidamente a valente merda que é o feminismo.


«Mas será que ninguém lhes disse ou contou, de que ao contrário destas duas feministas exigem ...de que hoje em dia, ninguém obriga a ninguém a aceitar o machismo ? Culpar as gerações mais novas como geração machista, faz algum sentido ?»

Claro que contou, caro Ivan, só que elas simplesmente não querem saber! E não querem saber porque o objectivo delas é precisamente CASTRAR as novas gerações de homens! O feminismo faz parte da agenda diluidora de identidades e actua de duas formas: (1) vira as mulheres brancas contra os seus homens; (2) efemina os homens brancos, o que dá vantagem sexual aos alógenos. É precisamente isso que as feministas pretendem, que as mulheres brancas acabem na cama dos alógenos!


«Num futuro próximo, no fim do mundo, lá mais próximo do apocalipse, ainda se vai proibir ou vai-se evitar os nascimentos masculinos! Pode parecer ficção cientifica, mas acho que já tivemos bem mais longe disso acontecer :)»

A versão dos anos 90 da série de TV “Twillight Zone” tinha um episódio assim. Os homens tinham sido todos exterminados ou congelados e as mulheres guardavam o seu esperma para efeitos da reprodução. Eu adorei a série original (dos anos 60), mas a série dos anos 90 era um autêntico manual de doutrinação neomarxista! Um nojo de dar a volta ao estômago!


«O que disse, é que o meio envolvente transforma a personalidade da pessoa. É como se tivermos a falar de uma assimilação a uma diferente cultura. E isso não implica ser-se irresponsável ou incompetente. Implica apenas a vir achar-se "melhor" ou mais "aceitável" pessoa.»

Sim, é verdade, Ivan… a pressão social condiciona muito as pessoas, sobretudo quando são mais novas. Mas repare, chega a uma altura das nossas vidas em que temos de compreender que certas estratégias não funcionam. Por exemplo, um homem que não tem sucesso com as mulheres ao longo de vários anos tem de ter a inteligência de parar, reflectir e concluir que alguma coisa tem que estar errada com a sua estratégia e com a sua forma de ver o mundo. Ou seja, algo tem de mudar nele, não nas mulheres!
O que eu não perdoo aos GJS é precisamente isso: eles exigem que os outros, que o mundo inteiro mude em função deles… só que ninguém tem o direito de exigir isso! Muito menos tem o direito de partir para a violência quando as pessoas não acedem!


«Por mim, que sejam o que quiserem, só não acho bem é a forma de implicar contra o sistema com violência.»

Exactamente. Nem têm o direito de criminalizar comportamentos naturais como a sedução. Mas é precisamente isso que está a acontecer no Ocidente: em França, já há multas para os homens que olhem “ostensivamente” para uma mulher. E no Canadá, foi aprovada uma lei que obriga as pessoas a tratar os outros pelo “género” que eles exigirem, sendo que há mais de 70 “géneros” reconhecidos legalmente!


«Á pois, tinha-me esquecido de ler esse artigo.. o estilo dela é tipo Flowerpower, hipster ou Hippie lol :^)»

No Al-Público há um artigo do género em que ela aparece com as típicas malhas cor-de-rosa das feministas. Enfim, uma alienada militante…

Leitora disse...

"Não consigo ver. O link não abre. Tem a certeza que postou correcto? Ou isto é mais uma das suas armações?"

Afonso, porque você acha que faço alguma armação?
é um link do foicebook.
Encontrei outro da mesma foto:
https://gallery.igen.fr/1499595520136072514738549-jpt_accroche.jpg

Afonso de Portugal disse...

Bem, essa imagem é claramente falsa... tão falsa que qualquer pessoa vê logo que é falsa! Parece até ser um 'meme' criado por um miúdo... qual o contexto dessa imagem?


«Afonso, porque você acha que faço alguma armação?»

Porque você insitiu que a palavra "infowars" aparecia na versão antiga de um artigo da Wikipédia em que não aparecia!