sexta-feira, 2 de junho de 2017

Um imã islâmico diz a verdade sobre o atentado de Manchester! (com legendas)


      Neste vídeo, os caros leitores poderão testemunhar um fenómeno muito raro, quase tão raro como eclipse solar total: um muçulmano a dizer a verdade sobre o belicismo do credo do "profeta" pedófilo! A entrevista decorre num canal de televisão australiano e o imã em causa denuncia também a grande facilidade com que a propaganda islamista é difundida naquele país. Um louvor ao imã Tawhidi! Independentemente do que pensemos acerca do Islão, há que reconhecer que ele é um homem corajoso! E a ser tão sincero, não sei se terá muitos anos pela frente...

3 comentários:

João disse...

Algo me diz que este senhor não deve ser muito popular entre os muçulmanos da Austrália...

Bilder disse...

E entretanto nos mé(r)dia continua-se a passar a mensagem da "tolerância"(que como se pode constatar todos os dias, facilmente se confunde com imbecilidade): http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/raca-religiao-ou-cultura-portugal-e-dos-paises-menos-intolerantes-do-mundo-166809 ,como nota extra refiro que podem (aqueles que quiserem ser completamente "formatados",vulgo lavagem cerebral,em "tolerância multi-etc e tal)ler o jornal Público para melhor e mais completa "imbecilização".

Afonso de Portugal disse...

João disse...
« Algo me diz que este senhor não deve ser muito popular entre os muçulmanos da Austrália...»

E com razão! O sujeito parece-em um tanto ao quanto "islamofóbico"! Nem sequer sabe o básico: o Islão é a "religião da paz"!... Enfim, parece que hoje em dia qualquer um consegue ser imã...


Bilder disse...
«(...) continua-se a passar a mensagem da "tolerância"(que como se pode constatar todos os dias, facilmente se confunde com imbecilidade)»

O título está giro... Portugal é um dos países menos intolerantes do mundo"? E agora em português: "Portugal é um dos países com mais cornos-mansos do mundo". :)


«(...) ler o jornal Público para melhor e mais completa "imbecilização".»

O Al-Público é qualquer coisa de surreal. Eu faço questão de passar por lá de vez em quando para esfregar os olhos e convencer-me que aquela "gente" existe mesmo! Não se pode é abusar, senão começamos a compreender a perspectiva do Breivik e de outros como ele...