quinta-feira, 8 de junho de 2017

Assombroso: criminalista e professor universitário maçom diz que a nova mesquita em Lisboa "é um risco"!


Do canal de YouTube do Vox Populi (que recomendo vivamente aos leitores deste blogue):

«José Manuel Anes ex-presidente do OSCOT, disse em entrevista à TSF que está muito apreensivo com a Nova Mesquita do Martim Moniz, porque representa um risco, uma vez que será frequentada por pessoas vindas de outras geografias e com outras mentalidades.

José Manuel Morais Anes é um criminalista e professor universitário português. Licenciado em Química e doutourado em Antropologia Social, é membro de diversos organismos ligados à segurança e criminalidade.
É um conhecido maçom, tendo sido grão-mestre da Grande Loja Regular de Portugal.»

Será que a nossa elite está finalmente a acordar? Ou será que isto faz parte da estratégia globalista?

4 comentários:

João disse...

O problema em concreto não é esta mesquita nova. São as que existem por aí, disseminadas, sem qualquer controlo. Ou este senhor quer-nos fazer crer que a nova mesquita vai ser frequentada por gente que não está já por cá? é óbvio que os futuros frequentadores serão os paquistaneses, marroquinos, bangladeshianos e outros que já cá estão. Claro que haverá novos, mérito das fronteiras abertas, mas a maior parte já cá está. Nesse sentido, e só nesse, uma nova mesquita será vantajosa porque permite monitorizar os seus frequentadores - isto se o SIS fosse competente para o fazer. Mas se as dezenas de mesquitas e espaços de oração que há por esse país fora não são controladas também não será esta a sê-lo. Não há mudança de estratégia das elites, há a habitual táctica de atirar areia para os olhos, com um ou outro artista do sistema a fazer o papel de polícia bom.

Fernando Liz disse...

é uma entrevista de ficar de queixo caído, não só pelo que é dito, mas sim por vir de quem vem...
também fiquei muito admirado com a quantidade de mesquitas que já cá há, é uma lista ENORME, até fui verificar ao google para atestar a veracidade

Bilder disse...

Acho que a estratégia globalista sempre foi(segundo o moto maçónico) "do caos sairá a ordem".

Afonso de Portugal disse...

João disse...
«O problema em concreto não é esta mesquita nova. São as que existem por aí, disseminadas, sem qualquer controlo. (...) uma nova mesquita será vantajosa porque permite monitorizar os seus frequentadores - isto se o SIS fosse competente para o fazer. Mas se as dezenas de mesquitas e espaços de oração que há por esse país fora não são controladas também não será esta a sê-lo.»

Excelente reflexão, caro João, como sempre! De facto, a disseminação do Islão em Portugal será mais bem-sucedida se for processada em centros de doutrinação múltiplos, espalhados pelo país. Nesse sentido, as grandes mesquitas acabam por ser contraproducentes para o sucesso da empreitada islamista, uma vez que se tornam um alvo apetecível para as secretas... a menos que, lá está, um dos objectivos de construir grandes mesquitas seja precisamente desviar as atenções dos pequenos centros de culto! Assim, matam-se não dois, mas vários coelhos com uma cajadada: (1) desmoraliza-se os infiéis com a monumentalidade e o triunfalismo das grandes mesquitas; (2) passa-se a ideia de que os muçulmanos em geral são moderados, porque os frequentadores das grandes mesquitas são moderados; (3) os pequenos centros de culto ficam livres de proliferar; afinal, se nas grandes mesquitas não há problemas, porque haveria de os haver nas pequenas? (4) Entretanto, nalguns desses pequenos centros islâmicos, o trabalho de radicalização vai sendo implementado, mais ou menos discretamente... até ao dia em que -pimba!-, sejamos "espontaneamente" enriquecidos!


Fernando Liz disse...
«também fiquei muito admirado com a quantidade de mesquitas que já cá há, é uma lista ENORME, até fui verificar ao google para atestar a veracidade»

Eu por acaso já tinha visto a lista completa na página do Instituo Halal de Portugal (quantos portugueses saberão sequer que isto existe?) e até a mencionei nesta posta. Mas ela tem crescido rapidamente nos últimos anos! Mais: tenho visto muçulmanos até em terras do interior de Portugal que não aparecem nessa lista! Por exemplo, já vi mulheres envergando o hijabe em Vila Real e na Guarda e essas cidades não aparecem na lista! O que significa que a lista deverá pecar por defeito!


Bilder disse...
«Acho que a estratégia globalista sempre foi(segundo o moto maçónico) "do caos sairá a ordem".»

Que aqui há marosca, isso é praticamente garantido! O currículo deste maçom não deixa margem para dúvidas! Como bem disse o João, ele está a tentar atirar areia para os nossos olhos! A questão agora é determinarmos exactamente qual é a sua jogada! Com esta gente, não se brinca!...