terça-feira, 23 de maio de 2017

Três vídeos que vale a pena ver (44): PJW (Infowars), PW (Liberty GB) e BPS reagem ao atentado de Manchester


1. Paul Joseph Watson: «O que não lhe estão a dizer sobre o atentado de Manchester»; o jovem repórter da Infowars denuncia a política de "tolerância" das elites do Reino Unido e passa em revista algumas das reacções doentias do esquerdalho mundialista.




2. Paul Weston: «Terror islâmico em Manchester»; o corajoso líder do partido Liberty GB denuncia a hipocrisia monumental dos líderes políticos britânicos que, não obstante lamentarem e condenarem sempre os atentados terroristas islâmicos, nada fazem em concreto para os combater; o Sr. Weston está convencido que os líderes políticos britânicos têm medo do Islão, mas eu estou bastante mais pessimista. Para os globalistas, o Islão é uma ferramenta poderosa que permite alcançar objectivos políticos e demográficos.




3. Black Pigeon Speaks: «Etiquetas e bandeirinhas»; o grande BPS fala sobre o ridículo das reacções dos internautas ocidentais aos atentados terroristas islâmicos, com as etiquetas (hashtags) e as bandeirinhas (flag filters) nos perfis do Twitter e do Facebook. O BPS fala claro: enquanto não aceitarmos que o problema reside no Islão e no multiculturalismo, a situação apenas poderá piorar. 



Não resisto a reproduzir aqui este pertinente comentário deixado no vídeo do BPS:

9 comentários:

João José Horta Nobre disse...

E pelo que parece, pode estar iminente um novo ataque:

http://www.dn.pt/mundo/interior/alerta-maximo-do-reino-unido-8501845.html

Afonso de Portugal disse...

Como diria o Sr. Hamsun: "não tem fim, a maravilha!" :P

Anónimo disse...

Estes políticos ocidentais não têm medo, estão é feitos com o invasor. Traidores sempre houve - basta lembrar os que acolheram de braços abertos os muçulmanos na Península em 711 -, a diferença é que dantes eram pendurados numa árvore e agora são reeleitos. Mas quando as elites europeias fazem negócios de milhões e milhões com os islâmicos, quando as universidades são financiadas por eles, os clubes de futebol comprados por eles, etc, é de esperar o quê? o marxismo cultural, a falta de valores e um cristianismo moribundo fazem o resto.
É por estas e outras que eu deixei de me chatear. A Europa tem e terá o que merece. Quando falo em Europa refiro-me ao Ocidente, pode ser que o Leste se salve. daqui não espero nada. O Ocidente transformou-se numa coisa nojenta. Leio que uma das vítimas tem oito anos. Mas em que sociedade se permite que uma criança de oito anos vá a um concerto destes? que pais são os dela? alguma vez uma filha minha ia a um concerto da Ariana Grande ou doutra da laia dela com oito anos? quando são estes os "valores" do Ocidente está tudo dito. Isto transformou-se numa nojeira pegada. Quando os muçulmanos tomarem conta disto não há problema, a populaça vai-se adaptar. Deste que continuem a ter smartphones e o catano querem lá saber se quem governa é a Lei Islâmica, o Código Civil ou o raio. Tal como os franceses se adaptaram aos nazis (e só quando a maré virou é que passaram todos a "resistentes") os europeus também se adaptarão, está-lhes no sangue o oportunismo. Sr. Hamsun.

João José Horta Nobre disse...

E vai piorar...

Afonso de Portugal disse...

Sr. Hamsun disse...

«(...) quando as universidades são financiadas por eles, os clubes de futebol comprados por eles, etc, é de esperar o quê? o marxismo cultural, a falta de valores e um cristianismo moribundo fazem o resto.»

Brutal, mas certeiro... vai ser realmente muito difícil dar a volta a isto, se é que ainda é possível. O que mais me custa em todo este processo é constatar que as pessoas têm mesmo de ser subjugadas para que as sociedades possam prosperar. Quando lhes concedemos o privilégio da liberdade total, elas parecem tender sempre para a anarquia e para a satisfação dos seus instintos primários.


«Leio que uma das vítimas tem oito anos. Mas em que sociedade se permite que uma criança de oito anos vá a um concerto destes? que pais são os dela?»

Na mouche! Quando andava na faculdade, descobri, para meu grande assombro, que vários dos meus colegas iam dormir (e ter sexo) com as suas namoradas para... casa dos pais delas! Estamos a falar de pessoas na casa dos vinte e poucos anos, cujos pais não se importavam que a sua casa servisse de bordel! Cheguei a ouvir, a um desses pais, racionalizações absurdas como «bem, ele vai papar a minha filha de qualquer forma, por isso mais vale que seja aqui em casa, onde ao menos sei o que se passa!». É impressionante que estas pessoas não compreendam que esta atitude já implica uma grande derrota: estes pais falharam a educar as suas filhas e a explicar-lhes o valor de se guardarem para o casamento! Não admira que, no nosso país, já haja 7 divórcios para cada 10 casamentos!


«Quando os muçulmanos tomarem conta disto não há problema, a populaça vai-se adaptar. Deste que continuem a ter smartphones e o catano querem lá saber se quem governa é a Lei Islâmica, o Código Civil ou o raio.»

Infelizmente, receio que o Sr. Hamsun esteja coberto de razão. O povo só se mexe quando começa a levar no pêlo, literalmente. O que significa que isto já só vai lá com muito sangue, ou nem isso...


João José Horta Nobre disse...
«E vai piorar...»

Ó, se vai! Já houve mais atentados terroristas na Europa em 2017 (e o ano ainda nem vai a meio) do que em 2016 e 2015 juntos. Portanto, isto vai ser sempre a somar!

Raghnar disse...

O Sr. Hamsun vai direito à jugular, não há mais nada a acrescentar. É deprimente...

Afonso de Portugal disse...

Ele tem um talento assombroso para resumir tudo em frases simples sem perder nadinha! :)

João José Horta Nobre disse...

O sr. Hamsun é uma pessoa muito lúcida, com excepção do facto de acreditar nas superstições dessa seita judaica a que chamam de Cristianismo. Aliás, ele era presença regular nas caixas de comentários do meu blog, até que eu presumo que se ofendeu pelas minhas críticas impiedosas contra a seita cristã e deixou de comentar por lá. Eu não fico ofendido, só julgo é que isto coloca bem a nu a forma como as religiões abrâamicas só servem para nos virar uns contra os outros.

O Orlando Braga era outro que até tinha o meu blog na lista de blogs preferidos dele e assim que eu comecei a criticar a seita dele, tirou-me da lista. Presumo que se trata da "piedade" cristã em acção...

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«O sr. Hamsun é uma pessoa muito lúcida, com excepção do facto de acreditar nas superstições dessa seita judaica a que chamam de Cristianismo.»

Já falámos sobre isto em ocasiões anteriores, mas eu acho que fazer as pessoas abdicar da sua religião é tão improvável como convencer um benfiquista a tornar-se portista.


«julgo é que isto coloca bem a nu a forma como as religiões abrâamicas só servem para nos virar uns contra os outros.»

É precisamente por isso que eu tenho dito aos nacionalistas que se centrem sobretudo em criticar os discursos, as acções e as posições em concreto dos líderes religiosos... e que evitem criticar as doutrinas e os dogmas das religiões praticadas pelos europeus. Como o caro JJHN bem sabe, eu "formei-me" como blogueiro no Gladius e continuo a achar que é o melhor blogue nacionalista escrito em língua portugesa. No entanto, ao longo dos anos, observei a forma como o anti-crisitianismo militante do Caturo afastou vários leitores do seu blogue. Hoje, eu não tenho a menor dúvida de que criticar religião é contraproducente.


«O Orlando Braga era outro que até tinha o meu blog na lista de blogs preferidos dele e assim que eu comecei a criticar a seita dele, tirou-me da lista.»

LOL! Nesse caso, o caro Mestre Nobre bem pode dar-se por contente... o Orlando Braga nunca chegou sequer a incluir o meu TU nas suas listas de blogues! :P


«Presumo que se trata da "piedade" cristã em acção...»

LOL! Pois é, nem todos os critãos dão a outra face, caro JJHN! :P No meu caso, eu julgo que a grande objecção do OB ao TU é o facto de ele ser monárquico e eu ser apoiante do PNR. Mas também não faço questão que alguém como ele me adicione. Seria bonito se ele o fizesse, por uma questão de reciprocidade, mas ele é um dos poucos cujo mérito como blogueiro justifica só por si a adição à "blogosfera relevante". Eu tento sempre ser justo e faço questão de adicionar todas as pessoas que me adicionam, mas nem todos pensam assim...