segunda-feira, 29 de maio de 2017

PNR processa judicialmente vários "jornalistas" por censura


Para quem eventualmente já não se lembre do caso que levou a este processo, o essencial está aqui.

Da página de internet do único partido nacionalista português, o Partido Nacional Renovador (PNR):

«Não obstante o PNR ser vítima de uma censura mediática, por parte da grande maioria dos órgãos de comunicação social de âmbito nacional, o jornal “I”, na sua edição de 15 de Novembro último, dedicou metade da primeira pagina ao PNR, na sequência de uma acção por nós realizada dois dias antes.

Tal destaque provocou grande irritação em alguns Jornalistas – dos tais que nos censuram – tendo-se insurgido contra isso e recorrido a expressões e imputações indecorosas para se referirem ao PNR.

Com efeito, na sua página pessoal da rede social “Facebook”, a Jornalista Sónia Cerdeira, bem como Sílvia Caneco e Miguel Marujo, também Jornalistas, além de reafirmarem firmemente a defesa da censura mediática ao PNR, confessaram já a ter praticado de modo consciente. E, como se tal não bastasse, proferiram afirmações, emitiram opiniões e fizeram juízos de valor gravemente ofensivos do crédito, honra, bom-nome, seriedade e reputação do PNR.

Ainda devido à referida primeira página no jornal “I”, a Jornalista Raquel Carrilho escreveu um editorial na edição online do semanário Sol, do passado dia 24 de Novembro, todo ele de teor gravemente ofensivo ao PNR e aos seus militantes, baseando-se em calúnias e, também ela, defendendo a nossa não-cobertura por parte da comunicação social.

Tais comportamentos são particularmente graves e merecem a censura do Direito. Por esse motivo, o PNR instaurou no Tribunal Judicial de Lisboa, quatro acções cíveis contra os Jornalistas Miguel Marujo, Sónia Cerdeira, Sílvia Caneco e Raquel Carrilho, em que pede a sua condenação no pagamento de indemnizações por ofensa ao crédito e ao bom-nome, e apresentou, também, no Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, três queixas-crime pela prática de crimes de difamação contra os Jornalistas Miguel Marujo, Sónia Cerdeira e Raquel Carrilho.

Por igualmente entender que os aludidos Jornalistas violaram os seus deveres deontológicos, o PNR apresentou contra eles as respectivas participações disciplinares na Comissão de Protecção da Carteira de Jornalista.

Mais informa o PNR que estes processos judiciais e participações são para serem levados até às últimas consequências, e que a partir de hoje, a nossa relação com a comunicação social, de âmbito nacional, mudará significativamente.»

____________
Ver também:

O PNR apresenta provas inequívocas do boicote me(r)diático deliberado a que tem sido sujeito!
O PNR manifestou-se contra o boicote me(r)diático a que tem sido sujeito!
«Censura Democrática», uma denúnica do Vice-presidente do PNR
Ainda sobre a censura dos mé(r)dia ao PNR
Quem tem medo do PNR?
O Presidente do PNR denuncia o totalitarismo dos "tolerantes"

Sem comentários: