segunda-feira, 8 de maio de 2017

O globalista gerontófilo Emmanuel Macron é o novo presidente da França...


      Eis chegada a hora de cumprir o dever penoso de escrever algumas palavras sobre a segunda volta das presidencias francesas. Não se preocupem, vou ser breve. 
  • Cumpriu-se o cenário mais previsível: Macron é o novo presidente da França. Com 85% dos votos contados, os resultados são:
    • Emmanuel Macron — 64,26%
    • Marine Le Pen — 35,74%
    • Abstenção — 24,66%.

 "Hihihihihihi... chupem, nacionalistas! Globalism wins!"

  • Comparando agora os resultados obtidos por Marine com os do seu pai, Jean-Marie:
    • Jacques Chirac (2002): 82,2%
    • Jean-Marie Le Pen (2002): 17,8%
    • Emmanuel Macron (2017*): 64,26%
    • Marine Le Pen (2017*): 35,74%
                ou seja, Marine mais que duplica o resultado obtido pelo pai em quinze anos: 35,7-17,8 = 17,9%.

  • Este é um bom resultado? Sinceramente, não sei... do ponto de vista estritamente matemático, parece sê-lo, uma fez que a FN nunca tinha alcançado tantos votos numas eleições presidenciais; o problema é que a demografia francesa já não é o que era...

            ...ou seja, mesmo que os franceses mudem de ideias quanto à FN nos próximos anos, o peso dos
              alógenos no eleitorado poderá ter-se tornado irreversível. Bem-vindos à Eurábia?
  • E depois temos Macron que, contrariamente ao que é dito nos mé(r)dia, é um homem do sistema... para o sistema. Se dúvidas houvesse, o apoio que recebeu dos grandes mé(r)dia (Al-Público, Observador da "direitinha", Diário de Noticiazinhas, etc.), dos líderes da UE (Juncker, Merkel, Tusk), dos nossos (des)governantes (Marcelo, Costa),  do mulato Merdama, do papa Chico(-esperto) e escumalha globalista quejanda, dissipam-nas:
A única diferença a registar é que o Hollande I preferia mulheres mais novas do que ele...

  • E por falar em diferenças...

4 comentários:

Armor King disse...

Bem isto de certa forma era expectável, quando a uma semana atrás, temos cidades como Paris a votarem maioritariamente no Macron apesar de terem as ruas cheias de "refugiados" que causam tumultos e violência, e apesar de o país ter vindo a sufrer um maior número de ataques terroristas, só se pode concluir que a indoutrinação foi e é bem feita, ao ponto que um grande número de franceses acredita mais do que dá na TV, do que eles experiênciam na realidade.

Pelos visto ataques terroristas são resultado de vivermos em grandes cidades, e é uma coisa a que nos temos que adaptar, só acho estranho porquê que há 20 anos não era assim ou porquê que cidades como Hong Kong e Tokyo não tem Allah Akbars todos os dias......

Espero estar enganando mas os franceses semaram ventos e nos próximos 5 anos vão colher as tempestades.

João José Horta Nobre disse...

Também já deixei a minha sentença sobre Macron:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2017/05/macron-e-mais-da-mesma-merda.html

Muito honestamente, acho que isto agora das duas uma: ou piora muito a perseguição e censura do sistema contra os nacionalistas, ou então, Macron com a confusão em que está a França e a UE, nem vai conseguir aguentar os 5 anos e vai acabar por se demitir. Vamos aguardar e ver no que dá.

Afonso de Portugal disse...

Armonr King disse...
«(...) um grande número de franceses acredita mais do que dá na TV, do que eles experiênciam na realidade.»

Infelizmente, parece ser verdade. E o mais chocante de tudo é que os europeus passam a vida a rebaixar os norte-americanos, dizendo que eles são burros e atrasados, quando a verdade é que a baixa percentagem de americanos que confia nos mé(r)dia, que já está só nos 32%, indica precisamente o contrário.

Aliás, a avaliar pelo Brexit e pelo presidente Trump, os americanos estão muito mais bem informados e conscientes do grande perigo que nos ameaça. Já os europeus, covardes e efeminados, fazem tudo por parecer bem integrados e por aderir à narrativa vigente. Às vezes, tenho vergonha de ser europeu e ainda mais de ser português. Parecemos estar rodeados por patetas alegres, gente inconsciente e leviana que só quer saber do prazer imediato.

Infelizmente, é isso que eu sou, português e europeu, quer eu queira quer não. Portanto, só me resta lutar pelo meu país, mesmo contrafeito.


«Pelos visto ataques terroristas são resultado de vivermos em grandes cidades, e é uma coisa a que nos temos que adaptar, só acho estranho porquê que há 20 anos não era assim ou porquê que cidades como Hong Kong e Tokyo não tem Allah Akbars todos os dias......»

Pois... parece que os maomés só se porta mal em certas grandes cidades... :)


«Espero estar enganando mas os franceses semaram ventos e nos próximos 5 anos vão colher as tempestades.»

Pois eu espero que o caro Armor King não esteja enganado! Esta gente merece sofrer as consequências da sua irresponsabilidade. E quanto mais tarde começarem a apanhar, pior vai ser para todo nós!

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Também já deixei a minha sentença sobre Macron:»

Nesse caso, passarei para lá daqui a pouco! :)