sexta-feira, 19 de maio de 2017

Comandos portugueses arriscam a vida para salvar um bispo islamófilo e os seus queridos muçulmanos


Para que serve o rico dinheirinho dos nossos impostos? Entre outras obscenidades, serve para isto:

«Os Comandos portugueses que participam numa missão da ONU na República Centro-Africana desde Janeiro estiveram envolvidos em combate com um bando armado e resgataram um bispo espanhol retido numa cidade.

A unidade tem 160 efectivos e é comandada pelo tenente-coronel Musa Paulino. O general senegalês Bala Keita, comandante da missão da ONU que tutela os Comandos, ordenou aos mesmos que se deslocassem a Bangassou, onde as investidas armadas de um gangue que perseguia muçulmanos causaram vários mortos.



No domingo Soles [o dia do Sol] os portugueses entraram na cidade, resgatando o bispo Juan Jose Aguirre, religioso que protegia as vítimas do gangue. O prelado escapou ileso, e foi pela intervenção dos portugueses que os feridos foram assistidos. O Estado-Maior das Forças Armadas não confirma nem desmente a intervenção dos Comandos.»

Leu bem, caro(a) leitor(a)? A melhor força de elite portuguesa, os comandos, recebeu ordens de um general senegalês para salvar um bispo católico que protegia muçulmanos! Pior do que isso, os comandos salvaram mesmo o grande porco do bispo traidor, entrando em combate com "um bando armado", provavelmente de cristãos! É possível que os comandos tenham até matado alguns deles -repito, provavelmente cristãos- para salvar o grande porco do bispo espanhol e os seus protegidos muçulmanos!

Diga lá, caro(a) leitor(a)... não está orgulhoso do nosso governo?... Não se sente satisfeito por pagar os seus impostos?...

__________________________________
Outras da República Centro-Africana: 

2 comentários:

Bilder disse...

Muitos dirão perante tais situações que chegamos ao fundo,no entanto receio bem que o "poço" seja ainda mais fundo.

Afonso de Portugal disse...

É veradade, caro Bilder... como dizia o protagonista numa das muitas tiras da série "Calvin & Hobbes": «uma das características mais fascinantes da vida é que, por mais desesperada que seja uma situação, pode sempre piorar de seguida!»