terça-feira, 25 de abril de 2017

Sobre os resultados da 1ª volta das eleições presidenciais francesas de 2017


    Infelizmente e ao contrário do que aconteceu com Trump, as sondagens acertaram. O "independente" Emmanuel Macron, ex-banqueiro Rothschild que chegou a ganhar 3000 €/dia para no final declarar um património de apenas 200 mil euros, venceu. A sua vitória está agora a ser celebrada por toda a classe pulhítica (que é como quem diz globalista) ocidental.



Tal como tinha acontecido em Março a Geert Wilders, Marine Le Pen perdeu a liderança das intenções de voto algumas semanas antes do escrutínio. E se as coisas já estavam difíceis antes da votação de ontem, as sondagens para a 2ª volta são francamente desanimadoras:




Uma diferença tão grande entre os dois candidatos dificilmente será superada, mesmo tendo em conta a grande percentagem de indecisos. A dura realidade é que Marine não tem grandes hipóteses de vir a ser a próxima presidente da França.

Entretanto e voltando a olhar novamente para os resultados da primeira volta, vale a pena olhar para dois dados: (1) os votos dos franceses residentes no estrangeiro; e (2) os votos por religião:


Ou seja, os emigrantes franceses (os franceses que vivem fora de França), votaram massivamente em Macron. Entre os emigrantes, até o perdedor Hamon ficou à frente de Le Pen! O quadro que se segue consegue ser ainda mais desconcertante...


Conforme se esperava, os muçulmanos votaram mais em Mélenchon (extrema-esquerda) e em Macron (o tal globalista "independente"). Mas os católicos preferiram o "direitinha" nepotista Fillon a Marine! Entre os católicos praticantes, Fillon obteve uns assombrosos 46%!!! Numa altura em que há igrejas em França a ser demolidas, enquanto as mesquitas proliferam como cogumelos, os católicos franceses preferiram um "direitinha" demonstravelmente corrupto à loira da FN!

E sabem o que é ainda mais desconcertante, caros leitores? No documento de onde retirei este quadro, há outro quadro logo a seguir que mostra que a segunda maior prioridade dos católicos praticantes franceses é combater o terrorismo (a primeira é combater o desemprego)! Ou seja, eles dizem que querem combater o terrorismo, mas depois votam em Fillon e em Macron antes de Le Pen!!!

8 comentários:

Anónimo disse...

Caro, sejamos francos, já nem vou falar da questão da UE (onde concordamos em discordar), mas acredita que mesmo que a Marine Le Pen vence-se as eleições as coisas iam mudar assim tanto em França? tal como Trump, com mais ou menos proteccionismos, com mais ou menos tiques autoritários, no dia seguinte estava a jogar o jogo da alta finança global e a demografia francesa continuaria a ser extensamente Africana e muçulmana, as dezenas de milhões que estão em França legalmente já não íam a lado nenhum e os seus descendentes continuaram a reproduzir-see a misturar-se. Entenda-se que só num cenário de guerra civil ou revolução a maioria dos alogenos voltam para as origens, até porque para a maioria deles é preferível pegar em pedras paus e armas e lutar para continuar na Europa do que voltar para as origens! não têm nada a perder e ainda por cima a maioria dos alogenos são mais jovens que os Europeus.

Se formos a ver bem as coisas, até há um exemplo que comprova que os povos quando bem instalados num território diferente não se vão embora a pedido, nem com legislações democráticas: a descolonização em África. os brancos foram embora de África porque revoltas sangrentas e não democráticas aconteceram!

Com isto não quero apelar a revoltas não-democraticas, antes pelo contrário, gosto muita da democracia, mas há que entender como as coisas são.

Com isto não digo que o caro blogueiro e restantes nacionalistas e descontentes com o estado de coisas tenham que ficar satisfeitos com a derrota de Le Pen, mas na minha prespectiva, ao fim e ao cabo, a vitória de figuras nacionalistas e de direita conservadora, no fundo quase "neo-cons", como Le Pen, Wilders, Trump etc do ponto de vista demográfico pouco podem mudar e nos restantes pontos de vista também pouco podem mudar (e nalgumas coisas até podem mudar para pior...)

Ass: FdT

A-24 disse...

Eu cá acho que qualquer resultado acima dos 35% para Le Pen será magnífico. O Le Pen pai não foi além dos 18% em 2002 contra Chirac. Já viste que ela poderá conseguir confortavelmente o dobro dos votos do pai? É certo que estas mudanças não ocorrem à velocidade que gostaríamos mas a tendência é animadora, só não é perfeita porque não dá para contar com a direitinha católica, como já era de esperar. Com ela a vitória estaria garantida.
Vamos ver, se ela chegar aos 40% será fenomenal e mais uma bela chapada à classe politica e elites dominantes e trará boas perspectivas para as regionais de Junho, afinal a FN já é o maior partido de França, quem diria?!

CENSURADO AGAIN disse...

frança e holanda ilha suecia tudo perdido idem berlim a marine e wilders são engodo e esses outros piorou a ilha saiu da ue pra votar num centrista e centrista no oeste é o mesmo que centro esterca e esterca

CENSURADO AGAIN disse...

se ate cucks são chamados de extrema direita quando no maximo são centro direita dirá

CENSURADO AGAIN disse...

problema é imperio de solo só essas dezenas de % nacionalistas podem realmente levar a verdadeira frança adiante eles existindo é a frança a serio existindo eles tem que se separar da falsa frança

CENSURADO AGAIN disse...

se eles continuarem num imperio de solo a falsa frança e trairas continuam a impor a eles a extinção e aí sim não tem jeito mas se separarem poderão levar a frança adiante e o que importa é a sobrevivencia da frança não se uma falsa frança é maior ou menor nunca serão frança

Abd-al Jabbar disse...

Marine ela diz vai governar so para franceses, que fechar a frança para pobre muçulmano, creio que latino tambem, esquecendo que nos arredores da frança tem mendigo pobre,,,, e fica se preocupando com mesquita com muçulmano,,,, desse jeito que ela governar a frança igual ao Trump querendo fechar a frança,,,, essa mulher uma sem noção,, ela vai destruir o pais,,fala de mais ,,

Abd-al Jabbar disse...

se ela quer continuar com UE alguma coisa ela tem em comum,,,se a maiooria dos franceses querem sair da UE então que seja feita uma movimentação com o povo a respeito do assunto,,,não marine le pen que deve decidir,,,,o povo,,.,,,