domingo, 30 de abril de 2017

"Jovem" assassino benfiquista tinha tentado matar outros quatro sportinguistas


«Momentos antes de ter atropelado mortalmente e arrastado por 30 metros o corpo de Marco Ficini, adepto italiano do Sporting, junto ao Estádio da Luz, no dia 22, Luís Miguel Pina, o elemento da claque benfiquista "No Name Boys" [estes anormais nem um nome português conseguiram arranjar!] que ontem foi presente a tribunal e ficou em prisão preventiva, tentou matar, também por atropelamento, outros quatro elementos da Juve Leo, claque do Sporting. Além do homicídio qualificado de Ficini - pelo qual arrisca 25 anos de cadeia -, Pina está assim indiciado por outros quatro homicídios tentados.»

Luís Pina, também conhecido por "Lué": porque "o futebol é identitário", pá!

«Os investigadores da PJ de Lisboa e o Ministério Público concluíram, com base na videovigilância do Benfica e nos testemunhos de participantes na batalha campal entre claques, horas antes do dérbi Sporting-Benfica, que Luís Pina, de 36 anos, atirou propositadamente o carro da ex-mulher, um Renault Clio, contra os quatro rivais.

Estes só escaparam porque conseguiram desviar-se e saltar para a relva no interior da rotunda Cosme Damião, a mesma onde Marco Ficini, de 41 anos, foi pouco depois colhido mortalmente - num homicídio que a investigação crê ter sido intencional e o membro dos "No Name Boys" defendeu em tribunal ter sido um acidente, quando escapava a agressões da Juve Leo. 

Luís Pina, pedreiro e pai de quatro filhos, estava com cerca de meia centena de elementos dos "No Name Boys" junto ao Estádio da Luz, pelas 02h00, quando chegaram os adeptos do Sporting em sete carros. Na batalha campal, com agressões e pirotecnia, Pina entrou no carro e fez a grande velocidade, entre as rotundas, os 350 metros da avenida Machado Santos, atirando a viatura contra quatro dos rivais.

Abandonou o carro para os enfrentar a pé, mas voltou ao Renault e foi então que arrastou o italiano durante 30 metros, matando-o.»

10 comentários:

Leitora disse...

Não existe nada que esses "Jovens" não estraguem ou destruam.
No Brasil vive dando brigas e mortes por causa de futebol.
Recordo-me de ver também, certa vez, uma notícia de que uma partida de futebol em um país africano, acho que era na Angola, acabou com dezenas de mortos.
Acho que eles aproveitam essas competições esportivas para estravazarem sua "besta" "interior".

Leitora disse...

" pai de quatro filhos"
Cruzes...
Pai de quatros possíveis assassinos, estupradores, ladrões, latrocidas, violentos, esquerdistas, vitimistas e ignorantes.
Que maravilha! Dos 9 aos 12 anos, algum deles já vai começar a dar netinhos pro vovô.
Se o vovô chegar aos 70 anos, já deve ter uns 20 netos e 40 bisnetos para enriquecer Portugal.

Afonso de Portugal disse...

Sim, eu não tenho a menor dúvida que o futebol exacerba o lado bestial dos "jovens". E, pela minha experiência, exacerba até de muitos "velhos". Fico realmente confuso como muitos europeus arriscam a sua integridade física por causa de um jogo estúpido para depois se acovardaram perante os invasores quando são roubados ou agredidos por eles na rua.

Quanta ao elevado número de filhos do "jovem", cara Leitora, nunca falha: quanto mais desprezível é o homem, mais filhos tem. É realmente um paradoxo assombroso como o darwinismo parece ter-se invertido nos dias de hoje!

CENSURADO AGAIN disse...

estravazarem sua "besta" "interior".

30 de abril de 2017 às 22:02

na verdade é o sub cortex natural dos fosseis

CENSURADO AGAIN disse...

com esse sub cortex jungle não ha como haver civilização se nota ate nos mestiços mais afectados pelo sangue deles mesmo quando ja estão atenuados nos traços

CENSURADO AGAIN disse...

Anónimo Leitora disse...
" pai de quatro filhos"
Cruzes...
Pai de quatros possíveis assassinos, estupradores, ladrões, latrocidas, violentos, esquerdistas, vitimistas e ignorantes.
Que maravilha! Dos 9 aos 12 anos, algum deles já vai começar a dar netinhos pro vovô.
Se o vovô chegar aos 70 anos, já deve ter uns 20 netos e 40 bisnetos para enriquecer Portugal.

30 de abril de 2017 às 22:11

kk vc é avançada em aritmetica

CENSURADO AGAIN disse...

futebol exacerba

o kct é como ela falou eles que se aproveitam veja que ha zonas que o futebol é bem menos conturbado e até familias vão a estadios

Afonso de Portugal disse...

Onde há futebol, há sempre retardados mentais, Caps. Nunca falha. Mesmo entre os arianos, o futebol é uma doença.

Raghnar disse...

Pois o italiano, neste caso, não fica atrás do "jovem", vir a Lisboa para andar metido a meio destes energúmenos de madrugada. O que só confirma a irracionalidade em torno do mundo da bola, e que conste que, durante anos, frequentei regularmente o futebol como adepto.


Mas reflecte perfeitamente a nossa sociedade, os mais beneficiados (os três ditos grandes) são os que mais se queixam de ser prejudicados e os que mais têm palco mediático para proclamar aos quatro ventos o quão são injustiçados. Entretanto, a maioria do campeonato, os restantes, podem ser roubados à descarada que ninguém os ouve, num sistema que amplia, de ano para ano, as desigualdades existentes. É estranho o mundo da bola, realmente...

Afonso de Portugal disse...

Disse tudo, caro Raghnar! A minha repulsa pelo futebol resulta de tudo isso, para além de ser uma forma privilegiada de promover a miscigenação. O que é realmente curioso, é que muitos dos nacionalistas que vociferam contra a "usura judaica" e o capitalismo selvagem parecem não se importar nadinha com o constante tráfico de influências, a corrupção e negócios obscuros que aparecem recorrentemente associados ao "desporto rei". E isto sem mencionar as quantias monetárias obscenas dos salários e dos mercados de transferências....