sexta-feira, 31 de março de 2017

«O povo português está a desaparecer»


     Esta posta é uma adenda à deprimentíssima notícia que vos dei há pouco em ATAPENC(96): os imigrantes de 1ªe e 2ª gerações em Portugal perfazem 13,4% da população total, o que corresponde a cerca de 1,416 milhões de habitantes. A adenda é que, a par do fenómeno da imigração (para o interior de Portugal), há também o fenómeno da emigração, i.e. o êxodo de portugueses nativos para o exterior. 

Obviamente, não concordo com aquilo que o orador diz a respeito do fomento da imigração. É mil vezes preferível sermos menos aqui no rectângulo, mas sermos, apesar de tudo, portugueses!

Aproveito também para recomendar o canal de YouTube do Vox Populi que, apesar de ser bastante jeitoso, ainad tem poucos subscritores. Subscrevam-se, caros leitores!

7 comentários:

CENSURADO AGAIN disse...

mais de 10% por decada quase um em 50 por ano e ainda com alogenos de mil gerações entrando se replicando sim kemp ja dizia um povo pode resistir a tudo crise demografica provocada por qualquer catastrofe ou mal momento mas não ao dna extinto sem o dna o povo deixa de ser o povo é extinto por isso mesmo kalergi se foca nisso

CENSURADO AGAIN disse...

mas não sei se os tugas são viaveis como povo e mesmo que fossem iriam atrair mais invasores ainda atrai sob todos os pretextos se da certo é por que deu certo se da errado é por que deu errado

CENSURADO AGAIN disse...

é como alguns dizem havia países pequenos com alto idh como a suiça sem as glorias de portugal e muitos trocariam um pelo outro pois glorias do passado não enchem barriga no presente nem futuro nem passado recente mas mesmo a suiça tambem deve ta indo pras cucuias

CENSURADO AGAIN disse...

sabemos que ir pro ultramar foi a pior merda que portugal fez pois levou junto outros como o canal holanda etc que hoje tão no lixo e ainda geraram o monstrego dos eua que destruiu a ue com rombos no med genocidios nato hordas de refugiados etc

CENSURADO AGAIN disse...

e ainda gerou-se merda insoluvel como brasil haiti e outras porcarias sem jeito

Rick disse...

Não diria que "o povo português está a desaparecer". Já desapareceu ao ignorar estas magnas questões em troca de umas migalhas do crime organizado.
Ao aderir à mentira institucionalizada e às teses do complexo político-jornalístico corrupto, os portugueses decidiram estar nas tintas para a sua pátria.
A nossa pátria foi cavada sobre vidas e sangue de gente valorosa. As actuais gerações não mostram respeito pelos que morreram de armas na mão. São sevandijas que consumidas pela inveja caíram no canto da sereia marxista e oferecem as futuras gerações para imolação em troca de 30 moedas.

Afonso de Portugal disse...

Censurado Outra Vez disse...
«mas não sei se os tugas são viaveis como povo»

Claro que somos! Temos quase nove séculos de história a demonstrá-lo! O problema é que, se o número de alógenos continuar a aumentar, a qualidade dos portugueses vai deteriorar-se significativamente. E depois não haverá nada a fazer...


«e mesmo que fossem iriam atrair mais invasores ainda atrai sob todos os pretextos se da certo é por que deu certo se da errado é por que deu errado»

Pois. É aí que reside o grande problema. Os parasitas não vão largar-nos facilmente.


Rick disse...
«Não diria que "o povo português está a desaparecer". Já desapareceu ao ignorar estas magnas questões em troca de umas migalhas do crime organizado.»

Bem, eu reconheço que a situação é bastante grave, mas ainda somos mais de 80% de portugueses, mesmo considerando que os imigrantes de 3ª geração representam outros 4%. Ainda somos a grande maioria dos habitantes de Portugal... por isso, não podemos baixar os braços!

« As actuais gerações não mostram respeito pelos que morreram de armas na mão.»

O problema é que agora ensinam-lhes que os nossos antepassados foram todos uns bárbaros sanguinários que andaram a matar e a pilhar por todos os cantos do mundo. Eu já ouvi uma professora primária afirmar, com toda a convicção, que o Al-Andalus foi um "período de paz e prosperidade em que toda a gente vivia feliz e contente"... mas "depois vieram os bárbaros cristãos e desataram a matar toda a gente para lhes roubarem as terras"!

São sevandijas que consumidas pela inveja caíram no canto da sereia marxista e oferecem as futuras gerações para imolação em troca de 30 moedas.»


«São sevandijas que consumidas pela inveja caíram no canto da sereia marxista e oferecem as futuras gerações para imolação em troca de 30 moedas.»

Aqui, tenho de concordar. A força motriz do "tuga" médio é a inveja. Se o vizinho tem um grande carro, o "tuga" tem que ter um carrão. Se o vizinho tem uma grande casa, o "tuga" tem que ter um casarão. É tudo fogo de vista, vive-se para ostentar e não para construir. Não se valoriza a modéstia, a discrição, a cultura da poupança. Num ambiente destes, é inevitável que, quando chega o marxista mentiroso a dizer que "os ricos só são ricos porque andaram a roubar", o povinho se deixe encantar e exija a "redistribuição da riqueza".