sexta-feira, 3 de março de 2017

Angry Forigner denuncia as mentiras do governo sueco


Mais um vídeo simplesmente fantástico do Estrangeiro Zangado (Angry Foreigner)!  Desde que o Presidente Trump mencionou o estado cada vez mais lastimável em que se encontra o Suequistão, os esquerdalhistas militantes têm feito vários esforços para escamotear a realidade, divulgando estatísticas distorcidas e meias-verdades.

O próprio governo sueco, responsável pela grande traição, criou uma página web na qual publicou várias mentiras e estatísticas falaciosas. Neste vídeo, o Angry Foreigner desmonta todas essas mentiras de uma forma brilhante! Embora longo, o vídeo vale bem a pena, sobretudo pelos minutos finais. Alguns dados interessantes:
  • [00m48s] A Suécia exportou mais jihadistas para o Médio Oriente (300 jihadistas) do que os EUA (250 jihadistas); a população da Suécia ronda os 9,6 milhões de habitantes, enquanto a população dos EUA ronda os 320 milhões; ou seja, em termos relativos, a Suécia produz 40 vezes mais jihadistas (300/9,6/250/320) do que os EUA! 
  • [01m29s] Na Suécia, não é ilegal ser-se membro do Estado Islâmico (ISIS); se as autoridades suspeitarem que um determinado indivíduo pertence ao ISIS, tudo o que podem fazer legalmente é telefonar a essa pessoa e pedirem-lhe para agendar um encontro/reunião, sendo que o suspeito nem sequer é obrigado a comparecer.
  • [02m33s] Em 2016, foi revelado que 140 cidadãos "suecos" tinham regressado do Médio Oriente, depois de terem combatido pelo ISIS; o executivo decidiu "reintegrar" estes "pobre coitadinhos", oferecendo-lhes facilidades no acesso ao emprego e habitação, bem como cartas de condução gratuitas (deve ser para aperfeiçoarem a arte de atropelar os "infiéis").
  • [02m58s] Parte da "ajuda humanitária" enviada pelos suecos para a Síria acabou nas mãos de movimentos islamistas ligados ao Al-Qaeda.
  • [03m30s] Os crimes sexuais na Suécia duplicaram desde 2012.
  • [03m59s] O conforto sentido pelas mulheres suecos ao reportar crimes sexuais (i.e. a falta de constrangimento ao denunciar abusos de cariz sexual) tem vindo a diminuir; desde 2010 que este indicador tem vindo a decrescer;
  • [04m33s] O último relatório oficial sobre crimes sexuais na Suécia já é do ano de 2005; esse documento confirma que os imigrantes estão significativamente sobre-representados nas estatísticas de violação, sendo quatro vezes mais provável que um imigrante seja suspeito de um crime de homicídio e 5,5 mais provável que um imigrante seja suspeito de um crime de violação; desde então, os políticos suecos não mais revelaram estatísticas de criminalidade por etnia ou país de origem.
  • [05m12s] Em 2009, as autoridades norueguesas reportaram que todos as violações ocorridas na rua tinham sido cometidas (e que 90% dessas violações eram cometidas por muçulmanos).
  • [05m24s] Na cidade norueguesa de Stavanger, em 2012, 90% das violações foram cometidas por estrangeiros.
  • [06m31s] Olhando para os dados relativos a 2010, ainda para a Noruega, a proveniência geográfica dos violadores é maioritariamente não-norueguesa, o que é realmente notável se se tiver em conta que os estrangeiros são minoritários naquele país.
  • [07m06s] Olhando para os dados relativos a 2015, ainda para a Noruega, verifica-se que 25% das violações foram cometidas por imigrantes extra-europeus e 82% das vítimas tinham nascido na Noruega. O que é extraordinário nestes número é que as comunidades a que os violadores pertencem, africana e asiática, representam apenas 5,4% da população a viver na Noruega!
  • [09m50s] O governo sueco afirma que a maior tendência para a criminalidade por parte dos imigrantes se deve às piores condições económicas em que eles crescem; mas, na página 21 do relatório oficial de 2005, pode ler-se que a sobre-representação dos imigrantes nas estatísticas da criminalidade se mantém mesmo tendo em conta esses factores!

Sem comentários: