quinta-feira, 30 de março de 2017

A traição aos Portugueses em números concretos (96)


    Duas notícias sobre os números da imigração em Portugal, ambas publicadas pelo Jornal Económico. A primeira delas foi-nos trazida aqui pelo Fuas Roupinho, a quem endereço um muito obrigado!

«Mais de meio milhão de pessoas ganhou a nacionalidade portuguesa em seis anos, segundo dados do Instituto dos Registos e Notariado (IRN). Foi discutida no Parlamento a lei que deu a cidadania portuguesa a 598 575 pessoas entre 2010 e 2016. As propostas de alteração apresentadas pelo PSD e Bloco de Esquerda visam facilitar o processo. 

A grande maioria dos pedidos foi aceite, sendo que dos 643 264 estrangeiros que pediram nacionalidade no período em questão, apenas 7% não conseguiu tornar-se português. Só no ano passado, 92 761 pessoas foram aceites como cidadãos portugueses, o número mais alto nos últimos sete anos e um aumento de 4 918 pessoas face ao ano anterior. 



Entre os países de onde vem a maioria dos pedidos, destacam-se o Brasil em primeiro lugar, seguido de Cabo Verde e Ucrânia. “Portugal é um país da União Europeia, o que significa que é uma porta de entrada para a Europa,” explica o advogado Nuno Albuquerque em declarações ao JN. O advogado acredita também que as alterações à legislação de 2006 que facilita a cedência de nacionalidade a descendentes de pessoas que tenham morrido sem que o pedido fosse aceite é outro factor que contribuiu para o aumento.»

Eu já fui muitas vezes criticado, neste e noutros blogues nacionalistas, por afirmar que a população estrangeira em Portugal andará seguramente na casa de um milhão de pessoas, ou até acima desse número. Mas agora começam finalmente a aparecer os números oficiais, que me dão razão: só entrem 2010 e 2016 entraram aqui no país quase 600 mil iminvasores! E a coisa ainda não fica por aqui. É que a segunda notícia que vos trago aqui hoje é ainda mais esclarecedora:

«Em Portugal, 9,1% dos habitantes são imigrantes de primeira-geração e 3,7% são imigrantes de segunda-geração, ou seja, filhos de imigrantes. Este valor classifica Portugal como dos países da Europa Ocidental com menos imigrantes e mais nativos (86,2%), de origem portuguesa. A conclusão é de um estudo do Eurostat.

A maioria dos imigrantes que se encontram no país lusitano são de origem brasileira, seguindo-se os cabo-verdianos. O Luxemburgo lidera a tabela com mais imigrantes. No total são 68%, o que quer dizer que apenas 32% é de originalmente do Luxemburgo.

A Roménia leva a medalha de ouro de países com menos imigrantes. Apenas 0,1% nasceu fora do país, assim como na Bulgária também só 1,4% nasceu no estrangeiro. 78,6% da população na Alemanha é originalmente germânica, sendo que a maioria dos imigrantes nasceu em países da União Europeia.

Os países com mais nativos são da Europa Central ou de Leste: Roménia (99%), Bulgária (98,6%), Polónia (97,3%), Eslováquia (97,3%), Hungria (96,5%), Finlândia (92,1%), República Checa (91,7%), Lituânia (90,7%) e Malta (88,5%), onde Portugal é o único país do ocidental neste grupo, com 86,2%. 

Portugal tem "apenas" 9,1% de imigrantes, comparando com os restantes vizinhos: Reino Unido (16,8%), Bélgica (16,5%), Alemanha (15,9%), Espanha (15,4%), Itália (12,8%) e França (12,5%)».

Ou seja, mesmo omitindo os imigrantes de terceira geração (e não são assim tão poucos), Portugal já tem 13,8% de alógenos! Ora, como a população total portuguesa andará na casa dos 10,26 milhões, isto dá uma população alógena de aproximadamente 1,416 milhões de habitantes, muito acima do tal milhão pelo qual tenho sido criticado!!! E enfatizo, isto é contabilizando apenas os imigrantes de 1ª e 2ª gerações!!!

____________
Ver também:


Escolhem-se nomes cada vez mais exóticos em Portugal
O Costa nas Índias: "venham todos para Portugal, manos!"
O Costa das Índias insiste em querer acolher mais e mais "refugiados"
Estatísticas deprimentes: Portugal é o 4.º país da UE que mais recebeu refugiados
O PNR denuncia a legalização irregular de imigrantes pelo governo português!
ATAPENC (94): entre 2007 e 2013, a nacionalidade portuguesa foi atribuída a 273 mil imigrantes
Insanidade total: o Costa vai mesmo tentar avançar com o tal "Espaço Schengen da Lusofonia"!
100 parasitas choramingam à porta do SEF! 

3 comentários:

Raghnar disse...

https://ionline.sapo.pt/artigo/556086/equipa-da-rtp-violentamente-agredida-em-chelas?seccao=Portugal_i

Quando os propagandistas começam a ser "enriquecidos" insistirão na imposição do politicamente correcto? Com o masoquismo militante no Ocidente já nada me surpreenderia...

Ainda virão responsabilizar a "extrema-direita" ...

CENSURADO AGAIN disse...

parece ate fechar com neoliberais essa de documento pra tudo o neoliberal odeia o documento tambem

Afonso de Portugal disse...

Raghnar disse...

«Quando os propagandistas começam a ser "enriquecidos" insistirão na imposição do politicamente correcto?»

LOL! Goastei! :) O episódio é karma em estado puro mas, infelizmente, desconfio que os membros dessa equipa são meros paus mandados. Os directores de informação e de programação da RTP são aqueles que mereciam realmente ir parar ao hospital!


«Com o masoquismo militante no Ocidente já nada me surpreenderia...»

Pois! A notícia tresanda a ciganada ou, um pouco menos provável, pretalhada. Por isso já sabemos que a maioria dos jornalistas vai remeter-se ao silêncio, apesar de se tratarem de colegas de profissão.

Obrigado pelo link! Vou aproveitar para fazer uma posta!


Censurado Outra Vez disse...
«parece ate fechar com neoliberais essa de documento pra tudo o neoliberal odeia o documento tambem»

O mais provável é que se trate de um erro gramatical. O mais provável é que eles tenham querido escrever "documentos para todos", mas acabou por sair assim...