quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Entretanto, na Suécia... (8)


A história que se segue só podia vir mesmo da Suécia. É tão vibrante, mas tão vibrante, que até ficamos a ferver de raiv... eeer... perdão, até ficamos a vibrar de tanto sermos enriquecidos à medida que a lemos! Trata-se de um exemplo bem paradigmático de como a cornice mansa de alguns universalistas se pode transformar numa grande tragédia...

Um muito obrigado! ao Dr. No por nos ter trazido esta notícia:

«Quando dois homens sírios foram acolhidos como refugiados, vários voluntários esquerdistas ajudaram-nos a abrir o seu próprio negócio - uma sala de consumo de tabaco hookah.»

A lojinha de fumo dos refujiadistas... tão vermelhinha, exótica e vibrante que ela era!

«Contudo, quando as autoridades vieram inspeccionar o negócio, tiveram uma surpresa horripilante. O jornal sueco nacionalista Fria Tider diz que os dois pobres coitadinhos, Khaled Azez Hegrs (28 anos) e Tareq Bakkar (23 anos), mantiveram uma mulher sueca acorrentada na cave da sua lojinha! A vítima foi mantida em cativeiro como escrava sexual, violada e torturada por pelo menos sete homens muçulmanos de etnia árabe.

A mulher foi raptada em Malmö [a tal cidade sueca onde a maioria da população já é islâmica], e transportada de carro até à lojinha hookah, em Helsimburgo. Aí, os homens muçulmanos despiram-na e obrigaram-na a submeter-se a actos de sexo oral, vaginal e anal.»

Diz aqui que, dos sete violadores muçulmanos, apenas os dois donos da lojinha foram condenados... a uns míseros quatro anos de prisão! É caso para dizer: "Sweden, yes!!!!"

3 comentários:

Dr. No disse...

Agora é em Espanha: http://www.dailymail.co.uk/news/article-4110542/Gunman-screaming-Allahu-Akbar-opens-fire-Spanish-supermarket.html?ito=social-twitter_mailonline

Fico à espera da V. análise.

Bilder disse...

A propósito do islamismo(e das religiões do livro)ontem ouvi o autor do livro "Islão e Violência" e fui pesquisar ,aqui está http://www.comunidadeculturaearte.com/violencia-e-islao-e-o-novo-livro-de-adonis-um-dos-maiores-poetas-e-pensadores-do-mundo-arabe/ o homem vive em França há vários anos mas quem deu atenção'?

Afonso de Portugal disse...

Dr. No disse...
Agora é em Espanha

Que vibrante, pá! E logo na Galiza, aqui tão pertinho! Aliás, a Galiza nem sequer devia fazer parte de Espanha, mas sim de Portugal!


Bilder disse...
o homem vive em França há vários anos mas quem deu atenção?

Oh, Bilder, esse tipo é um islamófobo, pá!!! Como é que alguém havia de lhe dar ouvidos, carago?! Ora vejam só o que ele escreveu nesse livro:

«Descobri que toda a nossa história estava falseada, que ela fora inventada, e que aqueles que tinham criado a civilização árabe e a sua grandeza foram banidos, condenados, rejeitados, encarcerados e até crucificados. É necessário voltar a ler essa civilização de um modo diferente: com um novo olhar e com uma nova humanidade.»

Mas tenho de reconhecer que o tipo tem umas piadas muito giras:

«A minha esperança é que o Estado Islâmico seja o último estertor desse Islão. Como uma vela que, nos seus últimos instantes, tem um sobressalto antes de se extinguir.»

Infelizmente, ele também tem a lata de sugerir que o Islão é desumano:

«Por isso, nessa perspectiva [a do Estado Islâmico], o sentido e a essência do homem não advêm da sua humanidade, mas da religião – a saber: o Islão. E se um muçulmano abjura a sua religião, perde essa essência humana. Será condenado, será morto. O homem é criado para ser muçulmano e servir o Islão.»

Pronceituosos deste claibre não têm lugar na República franco-argelina da Euráb... eeer... perdão, na República Francesa, pá! Viva a diversidade!!!