segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Nigel Farage denuncia a tirania das elites anti-Brexit


«Quando a maioria dos britânicos, em Junho deste ano, optou pela saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit), parecia que a luta contra o globalismo e a tirania de Bruxelas na terra da Magna Carta havia sido ganha. No entanto, nest último Joves (3 de Novembro), a Alta Corte do Reino Unido decidiu que o Parlamento tem a palavra final quanto à activação do Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que dá início ao Brexit.

O veredito foi resultado de um processo legal iniciado por Gina Miller, advogada e gestora na área de investimentos, que liderou a campanha chamada “
People’s Challenge” (o “Desafio Popular”). A decisão força o governo a consultar o Parlamento antes de iniciar o Brexit e vai de encontro aos planos da Primeira Ministra, Theresa May, que iniciaria em março as negociações formais para a retirada da Grã Bretanha da União Europeia.

Nigel Farage denunciou a decisão da Alta Corte como mais um exemplo de como as elites europeias tentam impor os seus interesses sobre a soberania popular. Neste vídeo, Farage confronta Miller e alerta: “Você pode ter deflagrado a maior crise política de todos os tempos.”»

9 comentários:

Unknown disse...

Com que então democracia..

- Lattia

Afonso de Portugal disse...

Já se sabe como é... Democracia, mas só enquanto der o resultado que as elites querem.

João José Horta Nobre disse...

A Democracia é uma utopia, a cada dia que passa acredito menos na mesma...

Afonso de Portugal disse...

A Democracia é aquilo que o eleitorado fizer dela, caro JJHN. O Nigel Farage voltou a dizer hoje que compete ao povo britânico continuar a protestar caso as elites insistam em reverter o Brexit na secretaria. E tem toda a razão!

Não há alternativa à Democracia, por muito que esta realidade custe a algumas pessoas. E nós não chegámos à Democracia na Europa por acidente, ela é o resultado de séculos de guerras, de muitos mortos e muito sangue derramado. A Democracia é o produto final do darwinismo aplicado aos sistemas políticos. Não haverá regresso: o povo jamais aceitará viver numa ditadura explícita, numa "aristocracia meritocrática" ou em qualquer outro sistema em que o eleitorado deixe de poder votar. A não ser, é claro, que se torne minoritário face às hordas islâmicas invasoras. Aí, sim, passaremos a viver numa teocracia!

Ainda hoje foram presos mais 20 skinheads no nosso país por não serem capazes de perceber esta simples realidade. Não se pode combater a elite de igual para igual, só se pode combater a elite tendo a maioria do povo connosco. Porque a elite teme o povo como um todo, não teme grupelhos isolados ou segmentos do povo.

E só poderemos trazer o povo para o nosso lado quando tivermos a humildade suficiente para falar com ele, serena e pacientemente, apelando-lhe ao coração e aos valores da preservação da Nação. Mas isso dá trabalho e implica riscos... e a maioria dos copinhos de leite que se dizem nacionalistas gosta é de ficar bem alapada na sua cadeirinha ergonómica a mandar umas bocas na net!

João José Horta Nobre disse...

«Mas isso dá trabalho e implica riscos... e a maioria dos copinhos de leite que se dizem nacionalistas gosta é de ficar bem alapada na sua cadeirinha ergonómica a mandar umas bocas na net!»

Não subjugue o poder da propaganda, caro Afonso. Foi precisamente graças à net que o Nacionalismo conseguiu sair das ruas da amargura. Lembre-se de onde estávamos há apenas dez anos atrás e veja onde estamos hoje. A internet foi o instrumento que nos permitiu contornar a censura merdiática e quebrar o monopólio das elites no que dizia respeito ao controlo da informação.

Não se tratam apenas de "umas bocas na net", é muito mais do que isso. É propaganda, informação e contra-informação e é essencial para o combate nacionalista. Eu por exemplo, prefiro um bom blogger a um manifestante de rua. Sim, o manifestante de rua dá o corpo à luta, mas um bom internauta a "mandar bocas" tem capacidade de alcançar um público muito maior e por isso mesmo é muito mais eficaz do ponto de vista da divulgação da nossa mensagem.

Quanto aos riscos, olhe, eu por exemplo já fui ameaçado com processos judiciais por causa do que escrevo, inclusive já fui ameaçado por uma certa figura do regime que me quis "entalar" por eu defender a restauração da pena de morte. Portanto o Afonso pode ver por aqui que mesmo aqueles que limitam a sua acção a mandar umas "bocas na net", têm a cabeça a prémio e quanto mais eficazes forem, mais ódio o sistema lhes tem e mais riscos eles correm.

Afonso de Portugal disse...

«Foi precisamente graças à net que o Nacionalismo conseguiu sair das ruas da amargura. Lembre-se de onde estávamos há apenas dez anos atrás e veja onde estamos hoje.»

Foi também, mas não só, caro JJHN! A FN de Marine Le Pen, o PVV de Wilders e até o agora enfraquecido BNP já tinham arrancado muito antes dos nacionalistas se espalharem pela net!


«Não se tratam apenas de "umas bocas na net", é muito mais do que isso. É propaganda, informação e contra-informação e é essencial para o combate nacionalista.

É no seu caso, no meu e de mais uma mão-cheia de nacionalistas moderados, NÃO O É na maioria dos casos de broncos nazis que escrevem atabalhoadamente na net apelando às revoluções da treta, ao revisionismo do holocausto e às conspirações absurdas do como chemtrails e "o homem nunca foi à Lua, pá"!

E devo confessar que estou bastante surpreendido pelo facto de o JJHN ter permitido que alguns desses animais me insultassem livremente no seu espaço, coisa que eu jamais permitiria aqui no TU se alguém o insultasse a si! Mais, agora até referências ao troll de Macau o JJHN permite, coisa que ainda há algumas semanas atrás não permitia! Confesso que não entendo essa mudança!


«Quanto aos riscos, olhe, eu por exemplo já fui ameaçado com processos judiciais por causa do que escrevo»

E quem não foi, Mestre Nobre? Todos fomos e continuaremos a ser, de tempos a tempos! A questão é que alguém tem de dar a cara e falar com as pessoas nas ruas, senão o movimento não cresce! Não estou a dizer que tem de ser o JJHN a fazê-lo, mas alguém tem! E são essas pessoas, sobretudo, que fazem crescer o Nacionalismo! Os guerreiros de teclado ajudam, é um facto, mas sozinhos não iriam a lado nenhum!


«(...) inclusive já fui ameaçado por uma certa figura do regime que me quis "entalar" por eu defender a restauração da pena de morte.»

Mas defender a restauração da pena de morte não é crime! Era só o que faltava! Quanto às ameaças, elas fazem parte do ofício, são inevitáveis.

João José Horta Nobre disse...

«E devo confessar que estou bastante surpreendido pelo facto de o JJHN ter permitido que alguns desses animais me insultassem livremente no seu espaço, coisa que eu jamais permitiria aqui no TU se alguém o insultasse a si! Mais, agora até referências ao troll de Macau o JJHN permite, coisa que ainda há algumas semanas atrás não permitia! Confesso que não entendo essa mudança!»

Eu já tratei do assunto, deixei há pouco um aviso a quem o atacou, que se ele voltar a fazer o mesmo, será permanentemente banido do espaço. O comentário com a referência ao troll de Macau também será eliminado de imediato.

João José Horta Nobre disse...

«Os guerreiros de teclado ajudam, é um facto, mas sozinhos não iriam a lado nenhum!»

Chama-se a isso o trabalho de equipa...

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Eu já tratei do assunto, deixei há pouco um aviso a quem o atacou, que se ele voltar a fazer o mesmo, será permanentemente banido do espaço. O comentário com a referência ao troll de Macau também será eliminado de imediato.»

Sendo assim, vou continuar a comentar no seu blogue. Quero deixar apenas isto bem claro: eu não me oponho a nada do que o Mestre Nobre escreve por lá, só não aceito ser insultado por broncos que não acrescentam nada e vivem a destruir o trabalho dos outros!