domingo, 20 de novembro de 2016

A traição aos Portugueses em números concretos (94)


Entre 2007 e 2013, a nacionalidade portuguesa foi atribuída a 253 mil imigrantes!

«Cerca de 269 mil cidadãos estrangeiros pediram a nacionalidade portuguesa entre 2007 e 2013. Contudo, 6,1% dos pedidos foram indeferidos; tendo 253 mil cidadãos conseguido obter a nacionalidade portuguesa. Os dados constam no relatório estatístico anual, divulgado ontem pelo Observatório das Migrações Imigração.

 Portugal tinha, em 2014, mais de 365 mil cidadãos nascidos noutro país.

O país mantém, desde 2011, um saldo migratório negativo em cerca de 30 mil indivíduos. Ou seja, saem mais pessoas do País do que aquelas que entram. Dos cerca de 10 milhões de habitantes (dados de 2011), 400 mil são imigrantes.

A entrada de jovens imigrantes em Portugal (63% tem entre 20 e 49 anos) tem reforçado os grupos etários mais jovens, atenuando assim o envelhecimento da população portuguesa.

Ao contrário do que acontecia em 2011, quando o fluxo migratório era maioritariamente masculino, as mulheres representam, actualmente, cerca de 52% do total de imigrantes. Também o mercado português, segundo os dados revelados, acaba por beneficiar com os estrangeiros.

Aproximadamente 49% da população imigrante empregada trabalha na construção, indústria e transportes, áreas em que as qualificações são baixas. Os salários são 8% inferiores aos dos restantes trabalhadores, e os africanos e asiáticos são os mais prejudicados – recebem ordenados 40% inferiores à média.»

Comentário do blogueiro: há duas grandes mentiras neste artigo. A primeira encontra-se no terceiro parágrafo, quando se diz que os jovens imigrantes têm atenuado o envelhecimento da população portuguesa. Isto é uma MENTIRA vergonhosa, porque substituir uma população não é o mesmo que rejuvenescer essa população!

A última frase do artigo também é uma MENTIRA descarada!!! Os africanos e os asiáticos NÃO SÃO prejudicados! Eles simplesmente recebem em função do trabalho pouco qualificado que desempenham! Então o "jornalista" que escreveu esta parvoíce queria que eles ganhassem o mesmo que as pessoas que desempenham trabalhos que exigem qualificações mais elevadas?! Isso sim, seria prejudicar aqueles que investiram na sua formação!!!

E mais: estes palhaços dos "jornalistas", gente mentirosa e sem um pingo de vergonha nas trombas, têm andado a espalhar há anos a mentira de que "os imigrantes vêm fazer o trabalho que os portugueses não querem fazer". Mas então, eles "vêm fazer o que nós não queremos" e no fim deviam receber o mesmo?  Como é que isso é possível? Afinal, porque é que os portugueses não querem desempenhar certos trabalhos e os imigrantes querem? E porque é que tantos portugueses nativos abandonam o nosso país todos os anos???

2 comentários:

Anónimo disse...

"Comentário do blogueiro: há duas grandes mentiras neste artigo. A primeira encontra-se no terceiro parágrafo, quando se diz que os jovens imigrantes têm atenuado o envelhecimento da população portuguesa. Isto é MENTIRA vergonhosa, porque substituir uma população não é o mesmo que rejuvenescer essa população!"

Ora aí está! Mas para eles "somos todos iguais" a não ser que sejas negro ou racista branco. Se fores negro podes ser diferente dos outros e até ter uma "comunidade" "afro-americana" ou treta do género ou dizer sem complexos "a vida dos negros importa", se fores um branco "racista" "supremacista" és uma pessoa horrível e uma besta quadrada.

"Os salários são 8% inferiores aos dos restantes trabalhadores, e os africanos e asiáticos são os mais prejudicados – recebem ordenados 40% inferiores à média."

Outra muito típica!! Coitadinhos são sempre os prejudicados! Em tudo! Os Ucranianos p.exemplo podem ser tratados como autentica merda humana sem direitos em toda a Europa os meninos têm que ser bem tratados, melhor ainda que os nacionais! Será que esses jornalistas alguma vez disseram que os portugueses (os originais claro) são prejudicados em França Suiça etc ganham menos que os originais lá do sitio? Ou nem foram jornalistas a escrever o "prejudicados" e está mesmo assim escrito no relatório?

Ass: Filho da Truta

Afonso de Portugal disse...

Filho da Truta disse...
«Mas para eles "somos todos iguais" a não ser que sejas negro ou racista branco.»

É precisamente nesse ponto que nós, nacionalistas, temos de insistir. É preciso continuar a mostrar que há critérios e expectativas diferentes para os brancos e para os negros. E pior do que isso, que há consequências diferentes para o mesmo comportamento quando se é branco e quando se é negro.


«Os Ucranianos p.exemplo podem ser tratados como autentica merda humana sem direitos em toda a Europa os meninos têm que ser bem tratados, melhor ainda que os nacionais!»

Muito bem, eu tinha-me esquecido de mencionar isso! Os negros e os asiáticos são uns "pobres coitdinhos" mas se houver brancos na mesma situação que eles, então assobia-se para o lado! Só se é um "pobre coitadinho injustiçado" quando se é escurinho... é esta a nossa "isenção jornalística"!!!