quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Prémio Nobel: o descrédito total!


     Depois do mulato Obama e da totalitarista União Europeia terem recebido o "Nobel da Paz" e também de fraudes como García Marquez, José Saramago ou Vargas Llosa terem recebido o "Nobel da Literatura", aqui fica o mais recente Prémio Nobel, atribuído hoje:

Bob "drogadito" Dylan, Prémio Nobel da Literatura de 2016:
- Hihihi! Até eu estou espantado, pá!

A melhor parte é a justificação para a atribuição do prémio: «por ter criado novos modos de expressão poética no quadro da tradição da música americana». Não riam, pá! Isto dos Prémios Nobel é uma coisa muito séria!!!

Entretanto, o esquerdalho ficou com o pito todo molhadinho e a pular de alegria! O nosso Ministro da Cultura diz que a atribuição o Nobel da Literatura a Bob Dylan «é o reconhecimento de um grande poeta que alia de forma exemplar a palavra e a música numa inteira expressão poética». Algumas das comentadeiras mais chungas do Al-Público dizem que «tanto Alexievich como Dylan serão imortais» porque «escrever é escrever» (LOL) e também que este prémio é uma forma de contrapor a América "autêntica" à América "negativa" de Trump! 

A "direitinha" do sistema não podia ficar atrás, com o nosso "presidente dos afectos" a dizer que a atribuição do Nobel da Literatura a Bob Dylan é "um sinal claro de que os tempos estão a mudar"! Nisto tenho que lhe dar razão, os tempos estão mesmo a mudar... para pior!

Mas também, o que é que se poderia esperar de uma "Academia" sueca, senão a promoção e premiação da mediocridade?...

3 comentários:

Anónimo disse...

As letras das canções do Bob Dylan são estudadas nas escolas americanas. (Peço desculpa por não assinar mas não tenho conta na Blogger nem na Google)

Afonso de Portugal disse...

Isso não o impede de assinar! Bastava ter escrito algo deste género:

Anónimo disse...
As letras das canções do Bob Dylan são estudadas nas escolas americanas. (Peço desculpa por não assinar mas não tenho conta na Blogger nem na Google)

-Horácio Ventura



Quem diz "Horácio Ventura" diz outra coisa qualquer, evidentemente.

Quanto ao argumento em si, os currículos escolares são decididos em função dos interesses dos políticos do Ministério da Educação. Aqui em Portugal, por exemplo, também se passou a ler mais Saramago e menos Camões. Será porventura Saramago superior a Camões? É óbvio que não! Mas Saramago é mundialista, enquanto Camões é patriótico-nacionalista. E é isso que interessa a quem define os currículos escolares, não a qualidade do conteúdo em si.

Se o que ensina nas nossas escolas ou nas escolas americanas fosse bom, não haveria tantos problemas sociais como há, nem seria tão fácil para os mass média manipular as pessoas. Não é por acaso que as coisas realmente úteis para a vida adulta (nutrição, auto-estima, controlo emocional, literacia financeira, gestão de recursos, raciocínio dedutivo, etc.) são mal ensinadas ou não são ensinadas de todo nas nossas escolas. Não interessa aos senhores do mundo que o rebanho seja demasiado autónomo, consciente e capaz de iniciativa.

Ora, conforme expliquei em tempos aqui (http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2014/05/pensamento-do-dia.html), há uma diferença muito grande entre não ter educação e rejeitar, após análise ponderada, a educação que nos querem impingir.


Ou como escreveu o grande Braga de Matos no seu magistral "Ganhar em Bolsa":

«Em qualquer ramo de actividade ou de pensamento, existe sempre uma opinião dominante, e a sua predominância não resulta necessariamente de eventuais méritos, mas também da inércia, imitação e contágio das pessoas que integram a comunidade em causa, sendo aqueles padrões uma constante do comportamento humano em sociedade.

(...) E, realmente, certas opiniões dominantes, transformadas às vezes em extraordinárias ilusões, não são apenas populares, mas também das elites, e convertem-se em realidades sociais. Assim, a verdade concreta não passa do modo como o real é percebido e interpretado pelo grupo social.»

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2013/01/a-arte-do-pensamento-contrario.html

Afonso de Portugal disse...

Ah! E esqueci-me de outra faceta muito importante das escolas ocidentais "modernas", que é a perseguição cada vez mais intensa aos rapazes e aos comportamentos masculinos. Mas sobre isso vou publicar um vídeo da Doutora Sommers no próximo postal.