domingo, 2 de outubro de 2016

Boas notícias para os homens: testes de paternidade estão mais acessíveis e baratos


«"A procura por testes de ADN [material nobre que temos nos cromossomas, e que é onde se encontram os genes – é, aliás, o responsável pela transmissão de características genéticas de pais para filhos] tem vindo a aumentar. Actualmente é possível determinar perfis genéticos de ADN a partir de amostras com quantidades cada vez mais reduzidas de material biológico", explica o Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses.


Até meados da década passada, os testes particulares de paternidade podiam ser feitos em laboratórios públicos ou privados ou nos institutos de Medicina Legal, principais responsáveis pelos testes de reconhecimento judicial da paternidade. Mas algures entre 2003 e 2004, começaram a surgir na internet várias empresas a oferecer o serviço ao domicílio. "Se for um teste meramente informativo, sem valor jurídico, os clientes não precisam de vir às nossas instalações. Encomendam um kit na nossa página na internet, que tem umas zaragatoas utilizadas para efectuar um esfregaço bucal nas pessoas que querem aferir a relação familiar, e reenviam para a nossa morada. Três dias depois já temos o resultado, que podemos enviar por via postal ou e-mail", conta o responsável por um laboratório que está na internet desde 2007, mas que prefere não nomear. Aqui, um teste de paternidade custa 225 euros.

"As pessoas recorrem a nós por histórias que não estão bem contadas, muitas surgem na sequência de reuniões familiares: desconfianças que são lançadas, respostas evasivas que são o suficiente para deixar a dúvida. Normalmente quem nos procura está em contexto de divórcio e acaba por usar as crianças como arma de arremesso. As pessoas sentem-se desiludidas pelo fim do casamento e depois querem saber se a desilusão não é ainda maior. E se a relação terminou por causa de uma traição, quem garante que não tenha havido outras antes? Chegam a um ponto tal em que tudo o que interessa é acertar no parceiro", explica o empresário. Mas também o procuram outro tipo de casos: "Em certos países, principalmente nos países africanos, ainda há uma certa falta de regra relativamente à perfilhação das crianças e por essa razão há casos de pessoas cujos filhos aparecem 10, 12 anos depois após o nascimento. E as pessoas querem ter a certeza se é verdade antes de formalizar um vínculo com a pessoa. São pessoas a quem um dia batem à porta e dizem: ‘Apresento-lhe o seu filho’ ou ‘Sou teu irmão e andava à tua procura’".

"Agora as pessoas tentam saber mais cedo a verdade, logo após o nascimento ou até antes do nascimento, o que é possível fazer em mulheres grávidas através de recolha de sangue", explica Manuela Cruz, representante da Easy DNA Portugal, uma das empresas que enviam kits de testes de paternidade (e também testes de infidelidade, por exemplo) para o domicílio. O teste de paternidade custa aqui 179 euros, enquanto o pré-natal tem um valor de 1095 euros. Na empresa que preferiu não se identificar os preços são mais altos – 225 euros o primeiro e 1599 euros o segundo. "Os testes estão mais acessíveis a nível de preço, há cinco ou seis anos custavam três a quatro vezes mais. O que me continua a surpreender é a resistência das mulheres a que se façam os testes de paternidade, o que leva os homens a fazer à revelia delas", diz Manuela Cruz, da Easy DNA.»

Comentário do blogueiro: é realmente uma boa notícia, sobretudo quando se tem em conta os estudos que apontam para que 4% dos pais do Ocidente criam filhos  que não são deles. Este número, 4%, pode parecer pouco, mas tendo em conta que em Portugal haverá cerca de 4,9 milhões de homens (número que se determina combinando esta fonte com esta), estaremos a falar de cerca de 195,5 mil homens que criam filhos que não são deles!

Ora, eu sou da opinião que nós viemos a este mundo para perpetuar o nosso sangue, não o sangue dos outros. Uma coisa é uma pessoa escolher criar o(a) filho(a) de outro homem de sua livre vontade, outra coisa é criá-lo sem saber que é o(a) filho(a) de outro homem. Ninguém tem obrigação de ser um corno manso, enquanto outro filho da puta qualquer que se julga "todo macho" se está a rir às suas custas. E não me venham com a conversa desonesta de que "as crianças não têm culpa", porque a função dos tribunais é responsabilizar o pai biológico pelos seus deveres de paternidade e, se for necessário, obrigá-lo a pagar a pensão de alimentos correspondente.

Claro que alguns homens quase merecem este "azar": quem não valoriza a família tradicional e a fidelidade conjugal, tem muitas mais probabilidades que uma situação destas lhe saia na rifa. Ou dito de outra forma: quem se habitou a comer gelados de vários sabores ao longo da vida (baunilha, chocolate, morango, etc.), dificilmente se contentará apenas com gelados de limão daí para frente...

4 comentários:

A-24 disse...

Quem fala assim não é gago e apesar de vivermos numa sociedade e mundo relativizado onde se prega que o pai "é aquele que dá o amor", onde cada vez mais se reduz o papel do pai (ai o patriarquismo, dizem algumas!) as crianças têm o direito de saber quem é o pai biológico e as mães devem ser obrigadas a dizer quem eles são, em caso de dúvida ou por oderm judicial. Recentemente li que a Alemanha já prepara legislação nesse sentido e eu aplaudo. Nem tudo o que vem daquele país, ultimamente, é mau.

Afonso de Portugal disse...

A-24 disse...
«(...) as crianças têm o direito de saber quem é o pai biológico e as mães devem ser obrigadas a dizer quem eles são»

Sem dúvida! Essa notícia da Alemanha é bastante encorajadora, porque tem havido decisões completamente surreais nos EUA e em Inglaterra. Desde pais que, através dos testes de ADN, descobrem que os filhos não são deles e mesmo assim são obrigados a pagar pensão de alimentos pelos tribunais... até situações extremamente injustas de indivíduos que passaram décadas a trabalhar para sustentar os "seus" filhos, para virem a descobrir, já em velhos, que afinal não eram filhos deles!

Infelizmente, há algumas mulheres -felizmente poucas- que acham que os homens têm o dever de sustentar os filhos dos outros. A essas grandes putas, só consigo desejar que sejam as protagonistas do próximo "homicídio por motivos passionais"...

FireHead disse...

Assim pode ser quer se descubra que na verdade existem mais cornos mansos.

Afonso de Portugal disse...

A ideia é essa! A partir daqui, quem quiser confiar cegamente no que tem lá em casa, esteja à vontade! Mas quem não quiser, tem aqui a solução! :)