quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Viktor Orbán volta a demonstrar ser o melhor líder europeu da actualidade


«O primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, defendeu esta quinta-feira este Joves que as pessoas que entram ilegalmente na Europa devem ser expulsas para campos fora da União Europeia, dando como exemplo "uma ilha" ou "a costa norte de África".

"Os que entram ilegalmente deviam ser reunidos e levados, não para outros países [da UE], mas para fora da União", disse Orbán numa entrevista ao portal de informações húngaro Origo.hu.»

 Viktor Orbán: senso comum e racionalidade.

«Os que fossem expulsos podiam apresentar pedidos de asilo em "grandes campos de refugiados", construídos, financiados e guardados pela UE fora do território europeu, precisou, sugerindo "uma ilha" ou a costa norte-africana como localizações potenciais.

"A segurança e financiamento desse território devem ser garantidos pela UE no seu próprio interesse", disse. Os migrantes deveriam permanecer nesses campos até que um país aceitasse acolhê-los, acrescentou.

A ideia desenvolve a proposta que Orban fez em Abril, a que chamou "Schengen 2.0", que passava por reforçar a defesa das fronteiras europeias e lidar com os refugiados fora do território europeu.» 

Comentário do blogueiro: é evidente que a esta proposta de Orbán está longe de ser perfeita. Desde logo, eu não concordo que a UE tenha de pagar a estadia de nenhum "refugiado", seja na Europa, seja em qualquer outra parte do mundo. A única solução realmente aceitável é a solução australiana: todos os ilegais devem ser devolvidos à proveniência, tão cedo quanto possível.

Mas, ainda assim, contrastar a posição de Orbán com a da esmagadora maioria dos líderes europeus é como comparar o dia com a noite. Quem me dera que houvesse um Orbán em cada país europeu ou, pelo menos, na Alemanha!

Sem comentários: