segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Entretanto, na Suécia... (7)


«Pelo menos quatro homens ficaram feridos este domingo Soles num tiroteio no sul de Malmö (sul da Suécia), quando um homem, de mota, disparou sobre um carro, segundo relatos de testemunhas. O tiroteio aconteceu ontem por volta das 18h00 locais (19h00 em Lisboa) pouco depois do jogo de futebol entre o Malmö Fotbollförening e Helsingborgs Idrottsförening.

Em comunicado, as autoridades descrevem que três dos feridos chegaram ao hospital "de forma desconhecida", enquanto a quarta vítima que ficou com ferimentos na cabeça foi transportada de ambulância. A polícia, que não precisou qual era o estado dos feridos, enviou várias unidades para a área onde ocorreu o tiroteio, uma zona residencial.»

 Um churrasquinho à moda "sueca": uma nova "tradição" que veio para ficar!

«De acordo com testemunhas citadas pelo jornal diário "Sydsvenskan", duas motas circulavam na zona antes do tiroteio e um homem, com rosto coberto, que seguia numa delas, disparou contra um carro, fugindo de seguida. Foram ouvidos cerca de 20 tiros

Duas horas depois, registou-se uma forte explosão num bairro próximo, ainda sem relatos de vítimas. A polícia ainda não fez detenções e mantinha, ao início da noite, um amplo dispositivo no local. A imprensa local escreveu que se podia tratar de um atentado terrorista, mas as autoridades não confirmam a ligação entre os dois incidentes.»

Comentário do blogueiro: o mais triste é que isto já  nem sequer é notícia, de tal forma se tornou corriqueiro na outrora terra dos viquingues. Relembro aos meus leitores que Malmö é, desde 2013, uma cidade de maioria muçulmana. Recordo também que a própria polícia sueca reconheceu que havia, já em 2014,  55 "no-go zones" em várias cidades suecas, número que diminuiu ligeiramente em 2015, mas que depois voltou a aumentar em 2016 para o mesmo valor (55).

Sobretudo, quero relembrar aos meus leitores que a Suécia é considerada, pela esmagadora maioria dos socialistas europeus, como  o modelo de referência ideal para a sociedade. Isto inclui os dirigentes dos nossos PS/BE/Livre, etc. Ah, e também  a direcção editorial do "jornal" Al-Púbico, que até já chegou ao ridículo de publicar um artigo em que se afirmava que a relativamente elevada taxa de fecundidade dos suecos (≈ 1,9 filhos/mulher) se devia ao feminismo e ao facto de os homens suecos ajudarem nas tarefas domésticas!... Não riam, pá! O Al-Público é o jornal das pessoas inteligentes e bem formadas, pá!!!

Sem comentários: