sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Em França: mais um muçulmano preso por planear um ataque terrorista


«Um adolescente "francês" de 15 anos foi detido na passada quarta-feira no passado Mércores na zona norte da região de Paris por suspeitas de planear um ataque 'jihadista', divulgaram esta sexta-feira este Vernes fontes judiciais francesas. O suspeito é hoje presente a um juiz especializado em casos de terrorismo para conhecer a acusação.»

Alá-u-alá-lu há que bar, pá!

«A detenção do adolescente aconteceu no departamento de Val d'Oise, a norte da capital francesa, indicaram as mesmas fontes, que confirmaram uma informação inicialmente avançada pela estação iTélé.

O canal de televisão revelou que este adolescente mantinha contacto, através do serviço de mensagens Telegram, com Rachid Kassim, um conhecido propagandista francês do grupo extremista Daesh Estado Islâmico. Também foi apurado que o adolescente comunicava pelo menos serviço de mensagens com um outro jovem detido no passado dia 14 de Setembro em Paris, também suspeito de preparar um acto de violência.

O nome de Kassim tem estado associado às várias células de jovens 'jihadistas' que têm sido descobertas em França nos últimos meses. Uma dessas células integrava Abdel Malik Petitjean e Adel Kermiche, dois jovens extremistas que assassinaram a 26 de Julho o padre Jacques Hamel, de 84 anos, dentro de uma igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray, na região da Normandia (norte de França).

Outros três adolescentes de 15 anos foram detidos durante as primeiras semanas de Setembro em Paris e nos arredores da capital francesa.» 

Comentário do blogueiro: e assim se continua a desperdiçar o dinheiro e os recursos do estados europeus, a apanhar "jovens radicalizados"! Isto é, quando se consegue apanhá-los, porque outras vezes -azarito!- lá vão uns quantos europeus pelos ares!...

Esta escumalha que segue o credo do profeta pedófilo nunca devia ter entrado na Europa, muito menos ter nascido nela. E agora chegamos ao ridículo de ter de gastar o dinheiro dos nossos impostos a vigiá-los e a prendê-los!

Mas os povos europeus também não estão a ajudar, ao votar maioritariamente nos partidos que querem substitui-los por muçulmanos. Quando é que eles perceberão que só o Nacionalismo é solução?

____________
Ver também:

E em França, continua a dança...
Mais dois ataques que não têm nada a ver com a "religião da paz"
E enquanto dormíamos esta noite... mais um ataque terrorista islâmico em solo ocidental!
Em França: dois polícias belgas detidos por transportarem imigrantes ilegais sírios
Entretanto, em Calais...
Entretanto, em Calais... (2)
Hospedeiras da Air France obrigadas a usar véu e roupas largas em Teerão
Bem-vindos à Europa (3)...

2 comentários:

Bilder disse...

Por falar em eleições,uma análise diferente sobre o debate televisivo Trump versus Clinton http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/16740-notas-sobre-o-debate-hillary-x-trump.html

Afonso de Portugal disse...

Muito interessante, caro Bilder! Destaco as seguintes passagens:

«Uma coisa é ir conquistando eleitorado enfrentando colegas de partido, mas outra coisa é enfrentar directamente uma Hillary Clinton suportada por uma imensa máquina de propaganda, ou melhor, de controlo mental.»

Na mouche! E o Trump bem pode agradecer por se ter candidatado na era da internet livre, porque há 20 anos atrás não havia o contraditório das redes sociais e a palavra dos mé(r)dia era quase evangelho!


«Ela assumiu a imagem de uma pessoa madura que debate com um adolescente inconsciente, fazendo constantes sorrisos de condescendência e de superioridade.»

Uma atitude tipicamente feminina que só pode ser contrariada pagando na mesma moeda. Fiquei surpreendido que Trump, com a idade que tem, tenha caído numa armadilha que a maioria das mulheres já sabe usar aos 20 anos de idade.


«Ao mesmo, tempo, ela consegue mentir com toda a naturalidade do mundo, aquilo a que os comentadores chamam de “confiança”, enquanto Trump não tem esta “virtude” e por vezes perdia alguma fluidez no discurso, também porque foi colocado várias vezes na defensiva por um moderador que não sabia lá muito bem qual era a sua função.»

Independentemente da parcialidade do moderador, que neste caso era escandalosamente pró-bruxa, o Trump não pode deixar passar as mentiras da Clinton em claro. Cada vez que ela mentir, ele tem de interevir e denunciar a mentira. Se abdicar disto, a bruxa passará sempre incólume pelos debates.


«No fundo, a campanha de Hillary Clinton é uma extensão do politicamente correcto, que não é apenas uma série de ideias que estão inculcadas na cabeça das pessoas mas um conjunto de reacções quase epidérmicas perante certas palavras e frases.»

Exactamente, até o ateu Bill Maher, que apoia a bruxa, reconheceu num dos seus programas que a Hilária tem baseado a sua campanha não em medidas concretas mas em "sermões em como sermos melhores pessoas" (palavras textuais de Maher).