segunda-feira, 20 de junho de 2016

Triste futebol: o presidente da liga inglesa não gosta do Brexit


Como é que ele podia gostar se o futebol é precisamente o desporto mais corrupto do mundo?...

«O presidente executivo da Liga inglesa de futebol, Richard Scudamore, alertou para os vários problemas provocados por uma eventual saída do Reino Unido da União Europeia (UE), considerando-a adversa aos interesses da Premier League.»

 Richard Scudamore: pode ser que tenha de engolir um sapo daqui a uns dias!

«O Brexit, como é conhecida a campanha a favor do isolamento britânico face à UE a favor da saída do Reino Unido da UE (não, não é a mesma coisa!),   posicionamento que será submetido a referendo na segunda-feira dia 23 é desfavorável à "abertura e importância da liga inglesa" fora do Reino Unido, disse o dirigente.

"Ninguém tem mais cicatrizes do que eu no que diz respeito às negociações com Bruxelas para tentar organizar as coisas a favor dos nossos interesses face à máquina europeia", começou por dizer Scudamore, que defende a permanência na esfera comunitária.

Para Scudamore, "em última instância, não se pode quebrar, não se pode saltar fora, tem que se estar dentro e negociar, tentar, organizar e influenciar". A abertura e reconhecimento internacional da Premier League poderá tornar-se incongruente se nos posicionarmos contra", referiu o dirigente inglês. Segundo Scudamore, a saída do Reino Unido do seio dos 28 países da EU não permite "o controlo do próprio destino", como defende a campanha 'Brexit'.

"Isso não é absolutamente correcto para quem viaja pelo mundo, como nós fazemos, onde encontramos abertura para fazer negócios, para debates e cooperação", sublinhou, concluindo: "Acho que seremos, penso eu, menos respeitados por não querermos fazer parte de algo".»

Comentário do blogueiro: aqui temos um belíssimo exemplo daquilo que é o típico representante do Bremain, caros leitores. Um fulano que nem apelido de inglês tem diz-se "desfavorável" ao Brexit porque ele "viaja pelo mundo" e até tem "cicatrizes" das suas lutas negociais. E como não podia deixar de ser, o miserável confunde propositadamente o seu negócio -o futebol- com as aspirações e dificuldades de todo o Reino Unido, como se os cidadãos do Reino Unido fossem obrigados a continuar a sacrificar-se pelo seu negócio!

Eu, só por esta atitude hipócrita e egoísta por parte deste vigaristazeco de trazer por casa, votaria no Brexit se fosse britânico!

2 comentários:

Bilder disse...

Eu tenho a noção(não sei se alguém pensa nisso por aqui)que o futebol é,além do grande negócio que é,uma das formas mais evidentes e eficientes de promover o internacionalismo(ao mesmo tempo que se dá,no caso dos campeonatos de selecções,uma espécie de escape nacionalista para compensar a perda generalizada do que realmente devia ser o nacionalismo/patriotismo).

Afonso de Portugal disse...

Exactamente, essa é precisamente a minha visão, caro Bilder. E tenho denunciado o futebol enquanto veículo do mundialismo e da descaracterização étnica neste espaço sob a etiqueta "Triste futebol". Mas olhe que já fui muito criticado por alguns nacionalistas por isso! Há quem ache, entre nós, que o futebol fortalece os laços nacionalistas, embora não seja capaz de explicar exactamente como!