terça-feira, 21 de junho de 2016

"Jovem" tenta matar Donald Trump... os mé(r)dia relativizam, explicando as suas (nobres) motivações!


«Um jovem britânico de 19 anos tentou tirar a arma a um agente num comício em Las Vegas, numa  tentativa de assassinar o candidato oficioso do Partido Republicano às eleições presidenciais. Segundo os documentos do tribunal, Michael Sandford tentou desarmar o agente policial no decurso do comício de 18 de Junho no casino Treasure Island de Las Vegas (estado do Nevada, oeste), antes de ser imobilizado.»

 Quando se quer fazer a diferença neste mundo, fazem-se inevitavelmente inimigos poderosos...

«Segundo a queixa, o jovem disse a um agente dos Serviços Secretos, após ser detido, que se tinha deslocado da Califórnia a Las Vegas "para matar Trump" e que no dia anterior tinha ido a um campo de tiro para aprender a disparar, já que nunca o tinha feito antes.(...) Sandford ficou detido sem direito a fiança, com o Ministério Público a considerá-lo perigoso e com risco de fuga.

A porta-voz do gabinete da Procuradoria de Las Vegas, Natalie Collins, disse à AFP que Michael Sandford foi preso sem possibilidade de fiança, depois de ter sido detido no fim-de-semana. O acusado explicou que escolheu aquele polícia porque este tinha a arma destravada, mas foi neutralizado por agentes de segurança.

Sandford foi indiciado por "acto de violência num prédio particular", um crime pelo qual pode ser condenado a mais de 10 anos de prisão e a 250.000 dólares de multa (cerca de 221.000 euros), deve comparecer novamente perante a justiça no próximo dia 5 de Julho.

"Sandford revelou ter feito um esforço consciente para vir a Las Vegas para matar Trump", de acordo com a acusação apresentada por um agente dos Serviços Secretos. "Sandford admitiu que provavelmente só seria capaz de disparar uma ou duas vezes e afirmou que estava convencido de que seria morto pelas forças de segurança ao atentar contra a vida de Trump", acrescentou a mesma fonte.

Michael Sandford também contou aos investigadores que comprou bilhetes para um comício em Phoenix, no Arizona, que ia acontecer no mesmo dia, mas umas horas mais tarde, onde "tentaria novamente matar Trump", caso o seu plano em Las Vegas fracassasse.

Ainda de acordo com a acusação, Michael Sandford aproximou-se do agente dos Serviços Secretos, Ameel Jacob, afirmando que queria "pedir um autógrafo a Trump" e depois "tentou apoderar-se da sua arma.

Durante o interrogatório, Michael Sandford confessou que "há um ano que está a tentar matar Trump, mas só decidiu agir agora porque finalmente se sentiu confiante para fazê-lo”, pode ler-se nos documentos e que, se for libertado, tentará novamente. Donald Trump e os porta-vozes não quiseram comentar este incidente. O jovem britânico mora nos Estados Unidos há um ano e meio, e vivia em Nova Jérsia antes de se mudar para a Califórnia.

Mas este não é caso único. Em Março passado, um estudante de 22 anos tentou invadir o palco onde Donald Trump fazia um discurso para, segundo disse, denunciar as declarações racistas do candidato. O estudante foi interceptado pelos seguranças e acusado de alteração da ordem pública.

Os comícios de Trump geralmente são marcados por incidentes e provocam manifestações, actos de violência e detenções. O candidato republicano é acusado de gerar tensões com os seus discursos, acusação que o candidato rejeita.»

Comentário do blogueiro: mantive os dois últimos parágrafos do texto original, apesar de serem apenas meias-verdades, para mostrar a grandessíssima filha-da-putice dos redactores do Sapo24. 

Reparem como eles acabaram por relativizar as intenções do jovem aspirante a assassino, primeiro evocando o estudante de 22 anos que queria "denunciar as declarações racistas" e depois escrevendo que "os comícios de Trump são marcados por actos de violência", sem contudo dizerem nada sobre os manifestantes anti-Trumo que se deslocam a esses comícios propositadamente para gerar violência!

10 comentários:

Lura do Grilo disse...

O discurso de ódio leva a isto.

Afonso de Portugal disse...

É bem verdade! O problema é que só é considerado discurso de ódio quando vem de um dos lados da bancada. Porque quando vem do outro, é o grito de revolta legítimo dos oprimidos!

Sr. Hamsun disse...

Estes bandalhos nem vão noticiar isto, a não ser de passagem. Se alguém levantar o assunto, lá está, a culpa é do Trump e do seu "discurso de ódio, racista e xenófobo". E o rapaz, evidentemente, não é um potencial assassino, mas sim um activista.

João José Horta Nobre disse...

Mais uma vez o jornalismo "livre e isento" no seu melhor!

Afonso de Portugal disse...

Sr. Hamsun disse...
«(...)a culpa é do Trump e do seu "discurso de ódio, racista e xenófobo"»

Sim, sim... aliás, os últimos dois parágrafos desta notícia já foram redigidos nesse sentido!


João José Horta Nobre disse...
«Mais uma vez o jornalismo "livre e isento" no seu melhor!»

Basta ver que estamos num país onde os "jornalistas" da televisão pública se juntam para sanear um colega que anda a dizer mal do imaculado marxismo!

José disse...

A Clinton irá levar o mundo a uma nova guerra fria e possivelmente a uma terceira guerra mundial. Essa mulher é um Trex disfarçado de coelhinho da Páscoa.

José disse...

Não sei se notaram, mas tanto o Assange como o Varoufakis têm referido constantemente que a Hillary é uma pessoa perigosa, e pouco ou nada têm falado do Trump.

Afonso de Portugal disse...

«A Clinton irá levar o mundo a uma nova guerra fria e possivelmente a uma terceira guerra mundial. Essa mulher é um Trex disfarçado de coelhinho da Páscoa.»

Terceira guerra mundial não digo, embora seja possível. Já há quem ande a dizer que há vontade, por parte do Putin, em anexar mais do que a Crimeia, o que explicaria o desejo crescente, por partes dos eurocratas, de criar um exército europeu.

Uma coisa certa: caso vença, a bruxa Hilária irá continuar as políticas do mulato Merdama para o Médio Oriente. Ou seja, mais ISIS (ou outro do género) e mais refujiadistas para a Europa...


«Não sei se notaram, mas tanto o Assange como o Varoufakis têm referido constantemente que a Hillary é uma pessoa perigosa, e pouco ou nada têm falado do Trump.»

Eles sabem que a bruxa Hilária é apoiada pela superclasse mundialista em peso, enquanto o Trump é apenas um narcisista com sede de poder. Mas eu confesso que não compreendo a apreensão de algumas elites. O Trump já demomstrou ser uma prostitua política e, se chegar a Presidente (eu duvido cada vez mais que isso aconteça), rapidamente se deixará comprar pelos verdadeiros senhores da casa.

João José Horta Nobre disse...

«O Trump já demomstrou ser uma prostitua política»

Acha mesmo?

Vamos pelo menos dar o benefício da dúvida ao homem...

Afonso de Portugal disse...

«Acha mesmo?»

Sim. Trump é acima de tudo um vendedor. Desta vez está apenas a vender um produto diferente, ilusões. Já o mulato merdama tinha chegado à Casa Branca assim, a vender a "esperança".


«Vamos pelo menos dar o benefício da dúvida ao homem...»

:) Meu caro, só há um poder de facto neste mundo, o do dinheiro. E a história mostra-nos que esse poder triunfa sempre! De resto, Trump é apenas um homem... e ainda por cima, é um homem que gosta de dinheiro!

Agora vou ter de me ausentar, hoje já não vou actualizar o TU... está na hora de cumprir um dos rituais mais deprimentes da época: a noite de S. João! Lá vou eu enfiar-me numa multidão de parolos a bater-me na cabeça com martelos de plástico made in china e a ouvir música pimba... ou pior, brasileira! E ainda por cima, ter de gramar o cheiro a sardinha por onde quer que passe! Enfim, pelo menos ainda há poucos adeptos do credo do profeta pedófilo por estas bandas...