quinta-feira, 16 de junho de 2016

E em França, continua a dança...


«Um homem com ligações ao islamismo radical foi detido no sul de França por suspeitas de estar a planear ataques a turistas norte-americanos e russos, anunciaram as autoridades locais. (...) Fonte judicial adianta que o homem terá confessado a sua vontade de atacar turistas e membros da polícia.»

França... cada vez menos francesa!

Recordo que, em Maio, o chefe da Direcção Geral de Segurança Interna (DGSI) "franciú" disse:

«"Sabemos que o Estado Islâmico planeia novos ataques, utilizando os seus combatentes na zona e as rotas que facilitam o acesso ao nosso território, e que a França é claramente o alvo".

"O Estado Islâmico está numa situação de tentar atacar o mais rápido e forte possível: a organização encontra-se em dificuldades militares sobre o terreno e tudo fará para vingar-se dos ataques da coligação".

"Se os atentados de Novembro passado foram cometidos por suicidas e por gente armada com Kalashnikovs, corremos o risco agora de uma nova forma de ataque: uma campanha terrorista caracterizada por colocar bombas em locais de grande movimento, com o objectivo de criar um clima de pânico".»

Desde o início de 2016, as autoridades francesas já detiveram mais de cem pessoas em operações de combate ao terrorismo islâmico.

4 comentários:

FireHead disse...

Não era muçulmano de certeza, mas sim um desiquilibrado mental! Qualquer terrorista que cometa atentados em nome do islão não está a representar o islão, até parece que não sabes disso que é tão simples. O Estado Islâmico, apesar do nome que tem, também não é islâmico, pois o islão é a famosa "religião da paz"! O irónico é que as Cruzadas e a Inquisição foram cristãs...

Afonso de Portugal disse...

...além de que as Cruzadas foram uma autêntica barbárie, porque "os muçulmanos só queriam paz e sossego". Aliás, eles tinham conquistado a Península Ibérica toda alguns séculos antes apenas com abraços e beijinhos e toda a gente os recebeu de braços abertos, sobretudo os nobres visigodos e suevos que lhes cederam imediatamente os seus castelos, as suas propriedades e até as suas mulheres, de tão vibrantes que acharam os mouros!

Infelizmente, depois vieram selvagens como o Pelágio, o Vímara Peres, o Fernando I de Castela, o Afonso VI de Castela e Leão, o D. Henrique de Borgonha e, sobretudo, esse bárbaro desmiolado que dava pelo nome de Afonso Henriques, um autêntico lunático sedento de sangue! Só lhe dava para pegar na espada e desatar a matar mouros a torto e a direito, pá! E assim deixou de haver condições para manter a superior civilização mouro-ibérica… e os invasor... eer... perdão, os enriquecedores lá acabaram por fazer as malas e partir de volta para o Norte de África, fartos que estavam de tanta selvajaria!

Bilder disse...

E herói é o prof Marcelo que num momento de folga em Belém conseguiu ir à praia de cascais sem seguranças.Grandes descendentes estes diriam os fundadores se cá voltassem.

Afonso de Portugal disse...

Cortavam-lhes logo a cabeça de tão selvagens e sanguinários que eles eram! E logo ao Marcelinho da direitinha, que gosta tanto de celebrações ecuménicas feitas em mesquitas e de dar abracinhos ao Xeque da cotovelada misóg.... eeer... perdão, cotovelada vibrante!