quinta-feira, 16 de junho de 2016

Brexit D-7: Black Pigeon Speaks: «Brexit e o futuro da Europa de Merkel»

     Já só faltam 7 dias para aquele que pode ser o referendo mais importante da nossa geração: o famigerado Brexit, o referendo à permanência ou saída do Reino Unido da (des)União Europeia. Já publiquei aqui no TU dezanove vídeos que explicam o que está em causa no Brexit
...E tenciono publicar um novo vídeo sobre o tema todos os dias até ao "dia D", o dia 23 de Junho de 2016.

Para hoje escolhi mais um grande vídeo de um dos meus 'youtubers' favoritos, o grande Black Pigeon Speaks (BPS). Do ponto de vista Nacionalista, o que é que está realmente em causa no Brexit? Independência, autodeterminação, soberania, democracia... e sobretudo preservação étnica! É precisamente sobre esta última questão que o BPS centra o seu mais recente vídeo, a ameaça crescente da imigração para a sobrevivência dos povos europeus.

A mensagem central do vídeo é muito simples: os líderes do monstro totalitarista conhecido como União Europeia decidiram importar imigrantes do terceiro-mundo e também de países como a Turquia para "renovar" a população europeia. Neste cenário, os estados-membros que permanecerem na UE acabarão inevitavelmente por ser inundados com milhares de "enriquecedores vibrantes".

6 comentários:

FireHead disse...

Vai ser uma enorme chatice se o Reino Unido sair da UE. Isto quer dizer que no futuro quando quiser ir para lá terei que usar passaporte. Da última vez que estive em Londres fiquei com a sensação de que estava no Paquistão, tal era a quantidade de mulheres vestidas com burqas que nem umas ninjas de negro. A sorte é que, graças a fontes credíveis, os muçulmanos por lá são, mesmo daqui a umas boas décadas, quanto muito uns 0,2%, ou algo assim do género. Até porque os pobres dos muçulmanos têm taxas de natalidade muito baixas e não existem zonas altamente islamizadas como Tower Hamlets. E o Sadiq Khan não anda a islamizar coisa nenhuma - só os alucinados é que acreditam em tal coisa. Ele é um grande humanista que se preocupa com a saúde mental das mulheres que têm corpos imperfeitos. Ou seja, ele é um grande mayor.

Afonso de Portugal disse...

«Vai ser uma enorme chatice se o Reino Unido sair da UE.»

Antes pelo contrário, vai ser glorioso! :)


«Isto quer dizer que no futuro quando quiser ir para lá terei que usar passaporte.«

Ué? Mas tu não precisas de passaporte para ir para Macau? Então, que mais dá?


«Da última vez que estive em Londres fiquei com a sensação de que estava no Paquistão, tal era a quantidade de mulheres vestidas com burqas que nem umas ninjas de negro. »

Bruxelas consegue ser pior, por incrível que pareça! Cheira pior e tudo!


«A sorte é que, graças a fontes credíveis, os muçulmanos por lá são, mesmo daqui a umas boas décadas, quanto muito uns 0,2%, ou algo assim do género.»

E estão a diminuir, pá! Em 2020 só deverão ser 0,1%!


«Até porque os pobres dos muçulmanos têm taxas de natalidade muito baixas e não existem zonas altamente islamizadas como Tower Hamlets.»

Claro que não, pá! Isso são teorias da conspiração "islamofóbicas"!


«E o Sadiq Khan não anda a islamizar coisa nenhuma - só os alucinados é que acreditam em tal coisa. Ele é um grande humanista que se preocupa com a saúde mental das mulheres que têm corpos imperfeitos.»

Exactamente! Não podemos deixar que as coitadinhas das mulheres gord.. eer... perdão, mais redondinhas do Reino Unido se sintam mal por irem ter um enfarte antes de chegarem aos dos 50!

FireHead disse...

Para Macau? Preciso é de passaporte para ir para Hong Kong, que eu tenho o bilhete de identidade de residente permanente em Macau.

Em Bruxelas já são 1/4 da população. Mas é claro que isso ainda não é sinal de islamização. Falta ainda atingir mais 1/4+1%, hehe.

Afonso de Portugal disse...

«Preciso é de passaporte para ir para Hong Kong, que eu tenho o bilhete de identidade de residente permanente em Macau.»

Mas tu tens ido à China de tempos a tempos... o que significa que já tens passaporte, certo?


«Em Bruxelas já são 1/4 da população. Mas é claro que isso ainda não é sinal de islamização. Falta ainda atingir mais 1/4+1%, hehe.»

Achas mesmo? Eu acho que só haverá islamização quando eles forem a maioria. E mesmo assim, é preciso ver que ser maioria não significa ser mesmo maioria, isto é, não é por serem mais que são logo todos muçulmanos, nem é por serem todos muçulmanos que passam logo todos a ser radicais, nem é por serem radicais que passam logo todos a ser terroristas, nem é por serem terroristas que passam logo todos a matar o resto dos belgas, nem é por matarem o resto dos belgas que passam logo todos a ser assassinos, pá!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

FireHead disse...

Eu tenho o salvo-conduto chinês como muitos luso-macaenses, o que me permite ir à China sempre que me apetece e ficar também por lá o tempo que eu quiser. É melhor que ir para lá com o passaporte que é limitativo. Quanto a Hong Kong, eu preciso de passaporte se para lá for a partir de Portugal, que a partir de Macau basta-me usar o bilhete de identidade de residente permanente de Macau para ter o direito de poder permanecer na antiga colónia britânica durante meio ano sempre que lá for.

Então, por isso mesmo. Para os muçulmanos serem a maioria basta serem pelo menos 51%, tipo sócio maioritário duma empresa. Quando falamos de islamização não estamos necessariamente a falar de terrorismo, mas sim de uma inversão do paradigma civilizacional.

Afonso de Portugal disse...

«Quando falamos de islamização não estamos necessariamente a falar de terrorismo, mas sim de uma inversão do paradigma civilizacional.»

Pois, mas o que a experiência noutros países islâmicos nos diz, é que essa "inversão do paradigma civilizacional" acarreta quase sempre a opressão dos não-muçulmanos. Entre isso e o terrorismo, venho o diabo e escolha!