sábado, 14 de maio de 2016

Um apelo aos meus leitores: façam este teste!


AQUI. As perguntas são formuladas em português e o teste todo só demora 2-3 minutos, mas dá uma boa noção do nosso posicionamento político. Era giro se pudéssemos comparar resultados. Os resultados que eu obtive (em baixo, à direita) são muito semelhantes aos que tinha obtido há três anos neste outro questionário que, infelizmente, já não se encontra disponível (atenção que, nesse questionário, o eixo "autoritário" vs "libertário" estava invertido). Como eu suspeitava -aliás, como eu já sabia-, não sou nenhum extremista de direita. Pelo contrário, estou até muito próximo do centro político.

O problema é que o discurso político nos mé(r)dia e nas instituições contemporâneas está tão enviesado para a esquerda que qualquer indivíduo que não tenda para o colectivismo e/ou para o cosmopolitismo, é olhado como um radical perigoso ou, na melhor das hipóteses, como um analfabeto funcional que precisa de ser educado!


À esquerda, o posicionamento de várias figuras históricas; à direita, o meu posicionamento.
(Actualização: acrescentei as coordenadas obtidas pelo Caps Louco: LR -3.35; LA -0.82
acrescentarei também as de outros leitores que  fizerem o teste!)


Um dos maiores problemas dos conservadores e dos tradicionalistas portugueses é que encaram a política como um confronto travado apenas em torno das questões económicas, a duas dimensões, "esquerda" vs. "direita".  Depois ficam muito admirados por verem os deputados do PSD e do CDS votarem a favor da legalização do aborto, do casamento homossexual, da adopção homossexual e, mais recentemente, das barrigas de aluguer!

A verdade é que a política tem pelo menos duas dimensões. Para além da dimensão económica ("esquerda" vs. "direita"), há ainda a dimensão sócio-cultural ("autoritário" vs. "libertário", se adoptarmos os termos utilizados pelas pessoas que criaram o questionário). A maior parte das pessoas da direita ocidental, sobretudo em países como o nosso, não compreende a existência destas duas  dimensões. Não entende que o eixo horizontal e o eixo vertical da figura acima são independentes. E que apostar em partidos da "direita" na convicção de que estes vão lutar pela preservação da cultura e do modelo de organização social é uma perigosa ilusão.

Esta incompreensão grosseira da realidade do espectro político explica, em grande parte, a forma como o pensamento de esquerda tomou conta do discurso político, das escolas e das universidades, dos veículos me(r)diáticos e até das políticas de contratação das grandes empresas (quotas raciais, quotas de género, etc). É que ninguém nasce a julgar que o melhor sistema de governação é aquele em que o Estado detém todo o poder, ou a julgar que somos todos "cidadãos do mundo". Estas mentiras aprendem-se enquanto se cresce, ao longo de muitos anos (décadas!) e milhares de sessões involuntárias de lavagem cerebral. Primeiro nas salas de aula e nos desenhos animados que vemos em miúdos... depois nos telejornais, nas revistas da moda, nas crónicas e reportagens "jornalísticas", nas declarações contra "o racismo" dos jogadores de futebol e das "personalidades" VIP, nas telenovelas, nos filmes, nos comics, nas letra das músicas e nos clips de vídeo da nossa banda de rock favorita... as mentiras são marteladas de forma continuada e incessante, até se tornarem parte integrante dos nossos valores e idiossincrasia.

Nos países Ocidentais, este processo tem sido implementado praticamente desde a Segunda Guerra mundial. Contra ele, a direita nada fez! Os "pensadores" de direita estavam demasiado ocupados a defender o grande capital, os interesses das multinacionais apátridas, a exploração laboral desenfreada. Nem sequer compareceram ao combate! No campo sócio-cultural, a esquerda teve sempre uma autêntica auto-estrada ao seu dispor, ligando livremente as suas aspirações de domínio global às mentes e ao coração dos ocidentais. Foi assim que ela venceu o combate: é que não adianta falar em racionalidade económica a pessoas que passaram a vida toda a ouvir que a economia está ao serviço de capitalistas avarentos e ganaciosos, brancos racistas, opressores colonialistas, sexistas misóginos, portadores da cultura imperialista ocidental, etc.

Tudo isto para dizer o quê, caros leitores? É simples: neste momento, entre todos os movimentos políticos do Ocidente descritos como sendo de "direita", só mesmo os nacionalistas é que compreendem a independência dos dois eixos do gráfico acima. E só mesmo os nacionalistas estão apostados em combater a esquerda nas duas dimensões do espectro político, económica e sócio-cultural!

...É por isso que só o Nacionalismo é solução!

18 comentários:

CENSURADO AGAIN disse...

https://www.politicalcompass.org/yourpoliticalcompass?ec=-3.25&soc=-0.82

TESTE MENTIROSO EU APAREÇO MAIS PERTO DE GHANDI QUE DE HITLER QUANDO É O INVERSO

Afonso de Portugal disse...

Apesar de estares banido, vou deixar ficar -a título excepcional- o teu comentário. Por dois motivos:

1. É a prova de que eu não inventei as tuas coordenadas; foste tu que mas forneceste.
2. Ilustra o facto de que muitos nazionlaistas não entendem que são mais de esquerda do que de direita, o que não é necessariamente mau: "esquerda" e "direita" são duas designações atribuídas a posições essencialmente do foro económico.

O teste não é uma aldrabice: basta ver, por exemplo, o resultado obtido pelos candidatos das primárias nos EUA:

https://www.politicalcompass.org/uselection2016

...a questão é que até tu, que pareces ser louco, és menos autoritário do que o Hitler era. Isso não é mau, rapaz. Isso é bom!

Sr. Hamsun disse...

A mim deu-me autoritário de esquerda. Amanhã vou-me inscrever no PCP.

Sr. Hamsun disse...

Fiquei exactamente dois quadrados à esquerda do Afonso.

Afonso de Portugal disse...

Sr. Hamsun disse...
«A mim deu-me autoritário de esquerda. Amanhã vou-me inscrever no PCP.»

Eheheh.... muito obrigado! Dá-me lincença que inclua as suas coordenadas no gráfico?

O meu palpite é que todos nós, nacionalistas portugueses, vamos cair na esquerda, ou perto dela. Por isso é que estou a pedir às pessoas que façam o teste. Se as minhas suspeitas se confirmarem, uma conclusão possível deste exercício será: a nossa direita é considerada esquerda nos EUA.

Anónimo disse...

Sim, até porque é tal coisa, o fascismo tem muito de protecção aos trabalhadores, intervenção do estado, etc. Não é por acaso que um dos fundadores do PC italiano acabou ao lado de Mussolini em 1945.-sr. Hamsun.

Anónimo disse...

https://www.politicalcompass.org/yourpoliticalcompass?ec=-3.63&soc=1.44

Nada que eu não esperasse..

G, o cigano

Anónimo disse...

Tenho sido um espectador assíduo da sua página, e ainda que seja este o meu primeiro comentário, quero-lhe agradecer a si e à blogoesfera nacional a vossa dedicação.
GeraldoPavor
https://www.politicalcompass.org/yourpoliticalcompass?ec=2.5&soc=2.15

FireHead disse...

Não fiz o teste, mas não é de admirar. A Coreia do Norte, que é marxista-leninista, é ultranacionalista...

Stonefield disse...

O meu resultado foi
Economic Left/Right: -4.25
Social Libertarian/Authoritarian: 3.59
o que faz de mim uma espécie de comunista, e não podia estar mais longe da verdade.

O próprio questionário tem um certo enviesamento nas respostas possíveis, a começar logo na primeira questão: eu não acredito que a globalização possa beneficiar a humanidade, mas não podia deixar de concordar com esse pressuposto em face da alternativa apresentada. E, a partir do momento em que defendo a intervenção do Estado na regulação da Economia vou parar inapelavelmente ao campo da Esquerda (não é por acaso que Marine LePen é acusada de comunismo pelos liberais franceses).

Mais uma vez, é uma divisão do espectro político que começa na extrema-esquerda e acaba nos liberais (ou neo-liberais) - uma divisão que é muito conveniente para o marxismo cultural, porque lhe permite invocal a tal "superioridade moral", num jogo de cartas marcadas que só ele pode vencer. É preciso desmascarar isto, porque tanto liberais como esquerdistas foram paridos do mesmo ventre e, em muitos campos (sobretudo éticos e morais), os liberais limitam-se a defender o mesmo que os esquerdistas, com umas décadas de atraso.

É por isto que faz cada vez menos sentido a divisão entre Esquerda e Direita (ela própria um resultado da modernidade, contra a qual me posiciono), mas entre os partidários da Globalização Mundialista e os seus opositores Nacionalistas e Identitários. Na verdade, o posicionamento no gráfico já não espelha a realidade actual e creio que seria possível encontrar partidários Mundialistas posicionados nos 4 quadrantes.

A-24 disse...

Caro Afonso, respondi ao teste e fiquei também três quadrados à esquerda junto à linha divisória no lado esquerdo.
Eu prefiro usar outros testes de definição política pois creio que neste teste, as perguntas focadas para a sociedade devem valer menos pontos que as questões económicas, só assim se explica este resultado. Dou apenas um exemplo, sendo eu favorável à pena de morte para crimes hediondos e julgando que há criminosos que não são recuperáveis, logo... como é que isto me faz ser de "esquerda"? Ainda gostaria de saber como respondeu a cada questão a Hillary Clinton, visto que ela pertence à elite mundialista esquerdista.
Ano passado o Expresso saiu-se com um teste desses, antes das eleições legislativas e esse sim era muito mais próximo do que eu me defino politicamente, talvez por essa mesma razão; que na Europa a esquerda e a direita têm outra definição que nos EUA.
Enfim, tal como disse o Sr. Hamsun, vou-me já inscrever no Bloco ou na Bloca :)

Renato Santon disse...

https://www.politicalcompass.org/analysis2?ec=-1.63&soc=0.31

Teste um pouco medíocre, certamente caí na esquerda por combater globalização e liberdade absoluta de mercado, por não ceder liberdade absoluta a transnacionais. E autoritarismo por ser racialista, por ser contra homossexualismo e outras depravações modernas.

O teste é bobinho pois ele caracteriza como atitude autoritária por exemplo, não vender terras livremente, porém se esquece de mencionar os monopólios bancários internacionalistas.
Vender ou não terras estatais e empresas públicas não é opção - é defesa crucial contra o globalismo, e está fora do debate ideológico.

O paradigma de avaliação do teste me parece corrompido por estar imerso em uma base cultural de esquerda- Relativista.
Não acho que ser contra homossexualismo seja coisa de esquerda ou direita, é apenas a única possibilidade natural, independente de escolha, há certo e errado na vida.

Caturo disse...

https://www.politicalcompass.org/analysis2?ec=-6.38&soc=-1.95

A meu ver, todo e qualquer teste que não privilegie as prioridades de cada um está à partida inquinado. Interessam as opiniões a respeito de tudo, evidentemente, mas interessam muito mais as opiniões sobre os assuntos que cada qual considera mais importantes.
De resto, cada vez acho mais cagativas as rotulagens tradicionais que privilegiem as conotações histórico-políticas em detrimento do conteúdo das ideias. Pouco interessa por exemplo se o Nacionalismo esteve associado ao autoritarismo - não há rigorosamente nada no ideal nacionalista que o torne necessariamente anti-democrático. E quem não perceber isto não percebe Política.

João José Horta Nobre disse...

«A mim deu-me autoritário de esquerda. Amanhã vou-me inscrever no PCP.»

Não, tem de se inscrever é no BE. Para o Sr. Hamsun se inscrever no PCP, o resultado teria de ser totalitário de esquerda.

Afonso de Portugal disse...

Muito obrigado a todos! Não apenas pelos resultados, mas sobretudo pelas vossas opiniões acerca do teste!

Vou fazer um novo postal com o gráfico actualizado com as coordenadas das pessoas que as partilharam. E com alguns comentários e considerações.

Saudações Nacionalistas a todos!

João José Horta Nobre disse...

«Sim, até porque é tal coisa, o fascismo tem muito de protecção aos trabalhadores, intervenção do estado, etc. Não é por acaso que um dos fundadores do PC italiano acabou ao lado de Mussolini em 1945.-sr. Hamsun.»

Já escrevi sobre isso aqui:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2014/12/o-fascismo-e-memoria-curta-da-esquerda.html

João José Horta Nobre disse...

Pronto, finalmente e após vários anos, fiz novamente o teste. Continuo a ser considerado de esquerda:

https://www.politicalcompass.org/analysis2?ec=-4.25&soc=-1.79

Pronto, amanhã lá terei eu de me ir filiar no PAN, sempre é melhor do que o PS, BE ou PCP.

Afonso de Portugal disse...

Ehehehe...muito obrigado, caríssimo! Já actualizei o gráfico no novo postal!