sexta-feira, 20 de maio de 2016

Sobre as várias barbaridades que o escroque Bergoglio disse esta semana...


    O papa Chico(-esperto) está "on fire"! A semana ainda não acabou, mas o "sumo pontífice" mais repugnante de todos os tempos já disse mais alarvidades desde o último Domingo Soles do que nos três meses precedentes! Ora vejam só, caros leitores:
  • Na segunda-feira Lues, o Bergoglio deu a entender que a Europa não tem futuro sem o Islão, porque «os Estados ligados a uma única relgião não têm futuro»; o Bergolgio disse ainda: «o secularismo em França é exagerado (...) se uma mulher muçulmana quiser usar o 'hijab', ela deverá poder fazê-lo.»
  • Na terça-feira Martes, o papa traidor fez uma comparação completamente absurda entre o Estado Islâmico (ISIS) e Jesus Cristo: «É verdade que a conquista é parte integrante da essência do Islão. No entanto, também é possível interpretar o Evengelho segundo São Mateus, no qual Jesus envia os seus discípulos a todas as nações, como a mesma ideia de conquista.» Durante a entrevista em que proferiu esta barbaridade, o papa deu ainda a entender que o terrorismo islâmico era um resultado das políticas do Ocidente.
  • No mesmo dia, o Bergoglio disse ao jornal francês La Croix: «Sinto horror quando ouço falar nas raízes cristãs da Europa porque [esse discurso] tem contornos colonialistas». Apelou ainda aos europeus que integrassem os imigrantes muçulmanos no continente. Mas o cretino foi ainda mais longe: «Esta integração é cada vez mais necessária porque, em resultado de uma procura egoísta pelo bem-estar, a Europa está a atravessar um grave problema de declínio da taxa de natalidade».
Ou seja, o Bergoglio apelou claramente à substituição demográfica dos Europeus! Quem não gostou mesmo nada destas palavras foi o grande Paul Joseph Watson que, mais uma vez, fez um excelente vídeo, desta feita a denunciar a hipocrisia gritante do papa-fantoche:


O Sr. Watson observa um fenómeno para o qual eu já alerto há bastante tempo: a cada ano que passa, o discurso do Bergoglio -e dos líderes católicos de uma forma geral- está a ficar cada vez mais parecido com o dos líderes radicais islâmicos! Preparem-se, caros leitores: eu desconfio que mais década, menos década, vai aparecer um papa que vai "ter uma revelação" e "perceber" que o Islão é a única e verdadeira religião! Parece-vos demasiado rebuscado? Então daqui a uns anos falamos!

7 comentários:

Anónimo disse...

Tinha ideia que os Jesuítas eram bastante estudiosos e inteligentes mas este nem deve ser cristão.
A Profecia dos Papas ou Profecia de São Malaquias, se correcta, indica que este Papa será o último...

Anónimo disse...

Não me parece que o discurso do Papa Xico esteja alinhado pelo do Islão. Ele é filho da Teologia da Libertação. Logo, marxista.
Está a minar a cristandade por dentro.
Mas, a Igreja já antes dava sinais de quebra ao ceder ao politicamente correcto, com o João Paulo II a pedir desculpas por tudo e nada.
O Ocidente capitula em toda a linha. As democracias revelam-se históricamente trágicas.

Rick

Afonso de Portugal disse...

Rick disse...
«Não me parece que o discurso do Papa Xico esteja alinhado pelo do Islão. Ele é filho da Teologia da Libertação. Logo, marxista.»

Não me parece que seja apenas isso. Os líderes da Igreja Católica (IC) nunca tiveram nada de estúpidos. Pelo contrário, sempre estiveram um passo à frente no que respeita às mudanças demográficas e às movimentações geopolíticas na Europa e no resto do mundo. Foi por isso que o Vaticano foi sobrevivendo ao longo dos séculos, apesar de Roma ter caído, apesar dos vários reinos italianos se terem guerreado constantemente, apesar das invasões bárbaras durante o primeiro milénio e francesas no segundo, para não mencionar as Grandes Guerras mundiais. A Santa Sé soube sempre escapar incólume (ou quase) a tudo o que se atravessou no seu caminho.

O que eu julgo que se está a passar é que a IC está a jogar em várias frentes e a antecipar vários cenários possíveis: um deles é o triunfo da globalização e do mundialismo, com as fronteiras nacionais a serem derrubadas e os diferentes povos forçados a viver juntos; o discurso marxista faz sentido nesse cenário, porque é o mesmo discurso da superclasse unviversalista, tanto à Esquerda como à "direita".

Mas há outros cenários, bem mais sombrios. Aquilo que vimos recentemente em Londres pode muito bem vir a ser o futuro da Europa. Os muçulmanos poderão vir a conquistar a Europa toda pela força da demografia, sem que os nativos possam fazer grande coisa, por já não serem a maioria dos habitantes do continente. Nesse cenário, a IC não sobreviverá, a não ser como uma instituição secundária, cujo poder de intervenção seria fortemente limitado pela hegemonia islâmica. Ora, a única forma de evitar que isto aconteça caso esta possibilidade se concretize é adoptar a velha máxima "se não podes vencê-los, junta-te a eles". Julgo que é isso que o Bergolgio, secundado pela elite clerical da IC- está a tentar fazer.

Sr. Hamsun disse...

Isto é um bandido da pior espécie, mas vamos lá ver: ele não é a Igreja. A Igreja nunca se tornará uma filial do islão ou uma instituição secundária. A Igreja tem a assistência de Cristo. Isto, evidentemente, nada diz a um não-crente, mas o facto é que a Igreja já passou por muitas dificuldades e está agora a atravessar este momento, mas aqueles que lhe são fiéis permanecerão. Esta seita maligna que a tomou e mina por dentro será derrotada, disso não tenho dúvidas. Levará o seu tempo, mas cairão. Quem diria em 1986 que a URSS cairia daí a cinco anos? quem diria em 1984 que o muro cairia daí a cinco anos? estes canalhas podem estar na mó de cima, mas isso não será definitivo.

Afonso de Portugal disse...

Sr. Hamsun disse...
«Isto é um bandido da pior espécie, mas vamos lá ver: ele não é a Igreja.»

Certo, mas ele é o clero! É ao clero que me refiro quando falo em Igreja Católica, não à Igreja como um todo, muito menos aso seus crentes. Se não fosse o clero, o Bergoglio jamais teria chegado a papa. O seu antecessor não foi afastado por acaso, ele foi afastado precisamente porque o clero pretendia um papa mais "moderno"!


«A Igreja tem a assistência de Cristo. Isto, evidentemente, nada diz a um não-crente»

A questão é que o fenómeno vai muito para além da Igreja. O problema é que estamos a viver uma situação inédita na história da Europa: estamos a ser conquistados gradualmente a partir de dentro. A começar pelos centros urbanos de maior dimensão! Se aquilo que se passou em Londres, Marselha e Malmö não for impedido noutras grandes cidades europeias, será necessária uma nova reconquista para nos livrarmos da moirama.

Só que as reconquistas são empreitadas a muito longo prazo, que exigem grande sacrifício e recursos humanos durante várias gerações. Ora, a demografia europeia está no pior estado de sempre. E a vontade política das elites europeias nunca esteve tão contra os interesses dos povos que governam. A Igreja, ou melhor, o clero vai a reboque da "modernidade"!


«Estes canalhas podem estar na mó de cima, mas isso não será definitivo.»

Se continuarmos a permitir que os invasores ganhem a vantagem demográfica, não vejo como não, Sr. Hamsun. A demografia é tudo. Infelizmente, não há forma de os europeus meterem isso na cabeça. No meio de todas as alarvidades proferidas pelo papa Chico, a observação de que os europeus se tornaram demasiado comodistas para terem filhos tem muito de verdade!

FireHead disse...

Normal. Ele é o Papa dos católicos da treta e sobretudo dos não-católicos. Aí é que está a piada. Será possível apenas os verdadeiros católicos não gostarem dele? Parece que sim. Outra coisa que também não deixa de ter piada é haver gente que pega no Papa e nos outros escroques da Igreja para os usarem como exemplos da Cristandade, mesmo sem saberem um corno sobre a Cristandade, sobretudo o que era não há muitas décadas atrás.

Afonso de Portugal disse...

Referes-te a alguém em particular? :)