terça-feira, 17 de maio de 2016

Paul Joseph Watson: «O George Clooney que se f***!»


     Sem papas na língua, o grande Paul Joseph Watson denuncia a hipocrisia revoltante da prostituta "hollywoodesca" que dá pelo nome de George Clooney, uma autêntica Messalina fingida e apoiante da bruxa Hilária que insiste em criticar os europeus por não acolherem ainda mais refugiados... quando ele próprio, um ricaço me(r)diático que tem um património imobiliário colossal, não acolheu um único "pobre coitadinho fugido à guerra" nas suas várias mansões!



Moral da história? Não paguem para ver os filmes da escumalha "hollywoodesca", caros leitores. Eles não merecem, até porque a esmagadora maioria dos seus filmes não vale um tostão furado...

6 comentários:

Santinho disse...

O George Clooney tem uma casa em Itália, no Lago Cuomo, e impede que se construam mais casas ou plantem/derrubem árvores para que não estraguem a vista panorâmica que ele usufrui, ou seja, continua a mandar na casa dos outros!

Afonso de Portugal disse...

É verdade! O cretino é um autêntico escroque, um hipócrita do mais nojento que pode haver!

Mas infelizmente, ele está longe de ser um caso isolado em Hollywood:

1. Temos os Leonardo DiCaprio, um pavão condescendente que tem a lata de nos dar sermões sobre o aquecimento global...quando anda constantemente de jacto privado!
2. Temos os actores negros que exigem mais Óscares para a pretalhada em nome da "luta contra o racismo"... só que a representação de negros nos filmes de Hollywood é superior, em termos relativos, à população negra dos EUA; e mais: há inúmeros negros a encarnar personagens brancas (Nick Fury, Sir Lancelot, Heimdall, etc.) mas nem um úncio branco a encarnar uma personagem negra! É que nem um!!!
3. Na mais recente cerimónia dos Óscares, muitas das "celebridades" envergaram pulseiras a favor de um maior controlo e regulamentação sobre a posse de armas... mas o anfiteatro estava muito bem guardado por dezenas de seguranças armados!
4. Temos o cabrão do Tarantino, um psicopata nojento com cara de deficiente mental, um autêntico lunático sanguinário que faz filmes do mais gratuitamente violento que há lá no sítio... mas atenção, sempre contra "os maus" certos: brancos, nazis, senhores esclavagistas... e depois ainda tem a lata de protestar contra a "violência racista" da polícia nova-iorquina, que é a provavelmente a polícia mais multirracial do mundo!

Enfim, é só nojo atrás de nojo, esta escumalha "hollywoodesca"!... Nem sei como é que ainda há tanta gente disposta a pagar quase 10 € para se sentar numa sala malcheirosa ver a valente merda de filmes que nos insistem em querer enfiar pelos olhos adentro!

Sr. Hamsun disse...

Esse merdas e capaz de ser o maior nojento de jewlywood, mas não é o único. Aliás, os dedos de uma só mão chegam para contar os que se aproveitam naquele antro. Se fossem só actores já era mau, mas depois assumem-se como políticos e consciências do planeta. Gajos e gajas que mal sabem assinar o nome arvorados em estadistas. É por isso (mas não só) que quase só vejo filmes clássicos. Pelo menos nesses não há politicamente correcto. Filmes após os anos noventa só aqueles que não têm lá estas vedetinhas merdosas, praticamente.

Afonso de Portugal disse...

Sr. Hamsun disse...
«Se fossem só actores já era mau, mas depois assumem-se como políticos e consciências do planeta.»

O que mete nojo é mesmo isso, a hipocrisia. Desde a Angelina Jolie que adopta um míudo em cada país por onde passa, para depois posar com a sua família exótica e multirracial ao lado do marido-troféu, até aos vários cretinos que acusam o Trump de ser um capitalista selvagem para depois irem a correr dar dinheiro à bruxa Hilária, que é precisamente a candidata mais financiada por Wall Street, não se encontra uma única alminha coerente entre a escumalha "hollywoodesca".


«É por isso (mas não só) que quase só vejo filmes clássicos. Pelo menos nesses não há politicamente correcto. »

É verdade! Mas, por outro lado, é preciso ir vendo os filmes recentes para os podermos criticar e descontruir. Os filmes feitos a partir da década de 90 são autênticos veículos da Teoria Crítica e de engenharia social dissimulada.

Eu tento estabelecer um meio-termo: não vou ao cinema e recuso-me terminantemente a ter canais de filmes pelos quais tenha de pagar assinaturas extra. Mas tento ver todos os filmes mais recentes, mesmo com alguns anos de atraso. Às vezes, é uma experiência deprimente, porque alguns filmes são simplesmente maus demais. Tenho de os ver às prestações, porque é impossível ver tudo de seguida, de tão estúpido, previsível e aborrecido que é.

Anónimo disse...

"que insiste em criticar os europeus por não acolherem ainda mais refugiados.."

Mas porque? porque sempre a europa.
Porque é que essa besta e outras nao se lembram de criticar asiaticos por nao acolherem nem 1, é que nao é acolherem ainda mais, é nem 1. Seria mais revoltante para o Sr Clooney, mas ele dos asiaticos nao diz nada.
Enfim todos se viram para a Europa, a europa tem o dever de acolher o mundo todo dentro dela.

Afonso de Portugal disse...

Anónimo, agradeço o seu comentário e a pertinência do seu contéudo... mas peço-lhe o favor de o assinar. Basta uma assinatura simples, como por exemplo "Tomé Barnabé", "Simão Engatatão" ou simplesmente "JAG".

Não tenho nenhum interesse em saber com quem estou a falar na realidade, mas tenho todo o interesse em conhecer o perfil ideológico das pessoas virtuais com quem falo na blogosfera.

Espero que compreenda. De contrário, terei de remover o seu comentário, porque não posso abrir excepções para ninguém. Obrigado.