sexta-feira, 27 de maio de 2016

Caiu mais um pedaço da máscara ao "feminismo" sueco!


     Um relatório da polícia sueca, no qual se procura explicar porque é que a Suécia é o país com mais agressões e violações cometidas contra as mulheres em toda a Europa, culpa "a cultura do álcool"  e os "papéis de género não-tradicionais" das adolescentes escandinavas pelo aumento explosivo das violações levadas a cabo por imigrantes. Sabe-se agora que houve gangues de "jovens", cujos integrantes a polícia acredita serem (i)migrantes, que molestaram várias mulheres nas cidades suecas de Malmö, Karlstad e Kalmar, na noite de passagem de ano.

Resta-nos esperar que entre as vítimas estejam algumas destas idiotas úteis...

O mesmo relatório, que revela que a maioria das vítimas tem menos de 15 anos, relativiza o comportamento dos "refugiados" porque estes "não estão habituados a beber"! A polícia reconhece que a maior parte dos ataques teve lugar em espaços públicos e foi cometida por imigrantes.

No relatório consta ainda que:
  • As adolescentes suecas são constantemente insultadas e chamadas "prostitutas" devido às roupas que envergam em público, o que tem deixado muitas jovens com medo de andar na rua.
  • «O controlo é exercido sobre as mulheres recorrendo à violência, de forma a submetê-las à visão de feminilidade idealizada pelos homens.»
A polícia foi ainda acusada de ignorar vários casos de assédio sexual que decorreram durante o festival de música da cidade de Estocolmo.

Recentes sondagens apontam para uma diminuição do apoio do eleitorado sueco ao projecto europeu. A violência entre os imigrantes tem aumentado, o que está a fazer com que a população comece a encarar os "refugiados" com maus olhos. O país nórdico, cuja população total ascende aos 9,5 milhões de habitantes, recebeu 160 mil "requerentes de asilo" só em 2015. O país deverá acolher mais 190 mil "refugiados" em 2016.

Comentário do blogueiro: espera-se, a qualquer momento, a reacção das feministas suecas. Elas nunca hesitaram em denunciar a "cultura de violação" do "horrível patriarcado sueco"... portanto, também não devem falhar agora que a polícia sueca decidiu culpar as mulheres por serem violadas!

Sem comentários: