sexta-feira, 6 de maio de 2016

Benefícios da imigração para os portugueses: dois exemplos ilustrativos


#Exemplo 1: dupla de "jovens" apanhada a traficar cocaína no Algarve


«Há vários meses que os dois homens, de 23 e 43 anos, estavam a ser investigados pela GNR de Loulé, por suspeita de tráfico de drogas duras nas zonas de Quarteira e Almancil, no concelho de Loulé.

Foram ambos detidos segunda-feira Lues, numa operação desencadeada em Almancil pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Loulé com o apoio de elementos do Destacamento de Intervenção de Faro.


De acordo com informação do Comando de Faro da GNR, os dois suspeitos foram detidos após buscas domiciliárias, tendo os militares apreendido cocaína suficiente para 248 doses, bem como seis telemóveis e 415 euros provenientes do negócio da droga. Os traficantes tinham ainda uma caixa de um produto utilizado para corte do estupefaciente (Redrate). 

(...) os dois suspeitos, ambos de origem africana, que estavam referenciados como estando entre os principais abastecedores de drogas duras às zonas de Quarteira e Almancil, faziam sobretudo venda da droga a outros traficantes, os quais por sua vez a vendiam em estabelecimentos de diversão nocturna da zona ou também na rua, directamente a consumidores. Os detidos abasteciam-se de droga na zona da Grande Lisboa ou eram fornecidos por traficantes que vinham até ao Algarve. Presentes a tribunal, ontem, ficaram em prisão preventiva.»


#Exemplo 2: grande barão da droga colombiano abandona Portugal depois de cumprir apenas um terço da pena a que tinha sido condenado


«Luís Macias Nieto, 68 anos, conhecido como 'El Doctor', considerado pelas autoridades como um dos principais 'barões' da droga da Colômbia, foi condenado, em Janeiro de 2014, a 11 anos de prisão pelo Tribunal de Almada, enquanto a primeira instância aplicou a pena de oito anos de prisão a Edil Sua Luna, também colombiano e "braço direito" de Macias Nieto.

Os dois homens e outros três arguidos foram detidos, em Julho de 2012, na Costa de Caparica, na posse de 340 quilogramas de cocaína, após uma investigação conjunta da agência antidroga dos Estados Unidos da América, DEA, da Interpol e da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da Polícia Judiciária.

(...) Contudo, Macias Nieto e Edil Luna tiveram de ser colocados em liberdade, em Abril último, mês em que cumpriram os três anos e quatro meses de prisão preventiva, prazo máximo previsto pela lei para processos de especial complexidade, como era este caso.

Esta situação deveu-se ao facto de ter havido vários recursos da defesa para o Tribunal da Relação de Lisboa, Supremo Tribunal de Justiça e Tribunal Constitucional, havendo ainda recursos pendentes na Relação e no Supremo.»

Comentário do blogueiro: entre a negligência indolente do nosso sistema de (in)justiça e o desejo, por parte dos imigrantes, de nos enriquecerem cada vez mais, Portugal só poderá mesmo ter um futuro brilhante!

____________
Ver também:


Em zona altamente africanizada e aciganada: sete detidos por tráfico de armas e drogas
Triste futebol: director do Benfica detido por tráfico de cocaína
Mais dois venezuelanos apanhados a tentar traficar droga através de Portugal!
Continuam a ser detidos traficantes de droga em aeroportos portugueses

Sem comentários: