terça-feira, 19 de abril de 2016

Sobre a propaganda absolutamente execrável que passou ontem na SIC


     Este vídeo, que fui buscar ao blogue História Maximus, é o primeiro episódio de um "novo" programa de televisão (notem as aspas, porque são muito importantes, como se verá a seguir) que passa em horário nobre na estação do Bilderberg que dá pelo nome de Pinto Balsemão. 

Antes de proferir a minha inevitável sentença, gostaria de começar por chamar a atenção para a pertinência dos comentários do Reaccionário, do Caturo, do Sr. Hamsun, do Lura do Grilo e do próprio Mestre Nobre (peço desculpa se me escapou mais alguém) sobre este autêntico aborto de propaganda neomarxista disfarçada de programa televisivo.



O leitor 'G, o cigano' chamou-me ainda a atenção para existência de um painel de três pessoas que, supostamente, continuou a lavagem cerebral após o fim deste programa, ao debater a lixeira que se vê no vídeo. Infelizmente, não consegui encontrar essa porcaria na Internet. E nem tenho vontade, que isto já é mais do que suficiente para me deixar enjoado para o resto do dia...

Seja como for -e se os meus leitores ainda não vomitaram-, gostaria de chamar a atenção para o facto de, não surpreendentemente, não estarmos perante um programa de televisão original. Como não podia deixar de ser, a televisão portuguesa copia toda e qualquer porcaria que seja criada no estrangeiro, em particular nos EUA, sobretudo quando se trata propaganda multiculturalista e multirracialista. E é precisamente dos EUA que vem esta nojice, que existe lá já desde 2008:



A questão da origem do programa é mais importante do que parece, porque nos deixa desde logo perceber que este género de propaganda faz parte de um movimento universalista global que visa atacar o Ocidente à escala global. Não é por acaso que esta imundice vem dos EUA, justamente o país do Ocidente onde, a par do Canadá e da Suécia, o Marxismo Cultural está mais desenvolvido e impregnado nos mé(r)dia, nas instituições e nas atitudes colectivas da sociedade.

Mais: a parte do programa que mete as bonecas já foi usada e abusada dezenas de vezes em programas televisivos de todo o mundo e até pertinentemente satirizada em cartoons como este (clicar para aumentar):


Ora, eu não vou fazer uma desconstrução ponto por ponto do vídeo porque já sei que ninguém lê textos compridos na blogosfera. Mas aos comentários dos blogueiros supracitados (cuja leitura, volto a enfatizar, recomendo vivamente), gostaria de acrescentar os seguintes pontos:
  • o programa é desde logo desonesto porque cria situações que muito dificilmente aconteceriam na vida real; nenhum pai de família minimamente razoável teria uma conversa destas com a sua filha em público; pensem bem, caros leitores, quantas vezes é que vocês apresentaram as vossas namoradas (ou namorados) aos vossos pais numa esplanada? A questão é que um dos objectivos do programa é precisamente chocar as pessoas que são "apanhadas" in situ e os telespectadores em casa.
  • o discurso do "pai" é claramente o discurso estereotipado de um indivíduo que não pensou seriamente no que está a dizer; são utilizadas propositadamente palavras vagas, conceitos ambíguos e expressões que jamais seriam utilizadas por um "racista" de verdade; o pai centra o seu discurso sobretudo na questão do tom de pele do indivíduo, como se a raça não fosse muito para além disso.
  • o próprio genérico (montagem de abertura) do programa é abjectamente tendencioso: desde o 'rapper' que pergunta "porque é que [os polícias] dispararam?" até à voz-off da locutora que vaticina "foram vítimas de discriminação racial", tudo foi concebido de raiz para predispor o telespectador a ver os negros como vítimas, mesmo que não o sejam; e isto, antes de o programa ter sequer começado!
  • o programa cumpre o objectivo de passar os negros como vítimas da nosssa sociedade e os brancos como agressores, um clássico do Marxismo Cultural.
  • o programa tenta convencer as pessoas "boas" de que devem intervir quando estiverem perante situações de "racismo", como se fosse obrigação do cidadão comum imiscuir-se na vida privada das famílias!
  • e a pior parte de todas: este tipo de programas apela ao que de pior existe na natureza humana, que é a hipocrisia; muitas das pessoas entrevistadas estavam claramente em grande desconforto e disseram aquilo que era politicamente correcto dizer; o grande problema é que a hipocrisia continuada tende a transformar-se em vício; e quando se generaliza a toda a sociedade, o vício transforma a nação numa entidade putrefacta, um aglomerado de pessoas que vivem juntas mas guardam rancores e ressabiamentos umas para com as outras, com consequências tão nefastas que afectam inevitavelmente o funcionamento das nossas instituições e que explicam, em parte, o porquê do atraso e dos problemas estruturais de Portugal.
Não vou dizer mais, que o postal já vai longo e, como eu disse acima,  já sei que ninguém lê postais longos na blogosfera. Mas faço questão de colocar uma pergunta aos meus leitores racialistas que estão sempre a dizer que as mulheres brancas se misturam menos do que os homens brancos: quantos casais mistos do tipo homem branco + mulher preta viram neste vídeo? Acham que é por acaso? E porque é que todas as mulheres que estavam na esplanada se opuseram ao "pai" e o único que concordou com ele e apoiou o seu "racismo" era outro homem?

Termino com um apelo a todos os leitores deste blogue: se tiverem o azar de serem apanhados num destes programas, não cedam nem um milímetro! Lembrem-se: as pessoas seguem a força e o carácter, não a fraqueza e a submissão. Se queremos manter o nosso país como está (português!), não podemos pregar uma coisa nos blogues e depois acovardarmo-nos em situações reais! É urgente combater a ralé que faz programas televisivos como este! Não permitamos que a escumalha universalista determine o nosso modo de pensar e de agir!

Actualização: o Mestre Nobre trouxe-me aqui o vídeo com o tal "debate" (obrigado!). Não tenho paciência para o ver agora, mas prometo pronunciar-me sobre ele mais logo.

21 comentários:

João José Horta Nobre disse...

«O leitor 'G, o cigano', chamou-me ainda a atenção para existência de um painel de três pessoas que, supostamente, continuou a lavagem cerebral após o fim deste programa, ao debater esta lixeira a que se vê no vídeo. Infelizmente, não consegui encontrar essa porcaria na Internet.»

Está aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=JwC841h6qV8

Afonso de Portugal disse...

Muito obrigado! Vou acrescentá-lo ao postal!

Bilder disse...

Check this http://omarxismocultural.blogspot.pt/2015/09/marxismo-e-o-capitalismo-juntos.html muitos enchem a boca contra o capitalismo mas quando chega a hora de entender a fundo o que se passa fecham os olhos e os ouvidos.Eis porque a agenda dita multicultural prossegue o seu caminho(no post linkado do marxismo cultural está bem patente)sem ser realmente posta em causa(pudera,além da promoção ideológica liberal-socialista temos o liberal-capitalismo a promover a mesma agenda).Li todo o seu post e em geral concordo,achei "piada" a sra Lino ter perguntado a uma senhora (como que apanhada mas agora num novo modelo)porque não disse nada e se afastou,ora parece-me que além do resto(que já disse o Afonso neste post)procurava-se que alguém confrontasse o homem(suposto pai da jovem)de modo a criar talvez um momento de violência verbal(e quem sabe o actor estivesse preparado para responder de forma violenta,o que diriam então do homem além de ser rotulado de "racista"?Agora é uma questão de imaginarmos,e não será preciso muita, até onde pode ir essa montagem da sic.

Sr. Hamsun disse...

Do mais nojento que já vi em muito tempo. Vi, é como quem diz, vi uns dez minutos. Mas dei-me ao trabalho de recuar o programa todo para ver se havia racismo anti-branco e, claro, tal coisa não existe. Lamentável também a atitude das pessoas, mas enfim, uns são mesmo assim, outros têm de dar a imagem de progressistas para parecer bem. Mas acredito que mesmo que todos se manifestassem contra a farsa os gajos não passavam as imagens.
Entretanto, hoje chego a casa e ligo a tv para ver o que está a dar e? sic notícias: o problema do racismo. E o Público, hoje? o racismo. Decididamente, a coisa com os refugiadistas não está a correr como as elites esperavam. Se assim não fosse esta nova ofensiva de lavagem cerebral não estaria a ocorrer com tal insistência.

Renato Santon disse...

O objetivo desse tipo de debate é sempre o mesmo, dizer que há racismo, mas que com a imigração de mais e mais negros virá a tolerância e evolução através do convívio.

Então eles trazem mais e mais alógenos para nos educar espiritualmente.

Mas pergunto eu: se o português diz, ou qualquer outro europeu, que quer se orgulhar ou prezar de suas raízes e raça isso é opressor, xenófobo e ultradireita.
E se um turquinho de merda ou um muçulmano infesta as ruas com suas vestimentas estranhas, que podem até esconder uma bomba, isso é riqueza.

Um negrinho feio qualquer da áfrica subsaariana é uma vítima ! Há um BILHÃO deles. Europeu não reproduz, as galegas lindas do norte desaparecem, mas erva daninha cresce por toda parte.

Ser gay é riqueza, ser tradicional é racismo - é opressão.

Após o malfadado Hitler qualquer menção a raça ou patriotismo estão maculadas, é tudo ultradireita ( Hitler era ESQUERDISTA REVOLUCIONÁRIO)

Na verdade Português é até pouco racista perto do que precisavam, com um país tão pequeno qualquer leva de alógenos dissolve o povo em algum tempo, e o estoque de africaninhos dispostos a migrar é infinito, infinito.

Afonso de Portugal disse...

Bilder disse...
«(...) e quem sabe o actor estivesse preparado para responder de forma violenta,o que diriam então do homem além de ser rotulado de "racista"?Agora é uma questão de imaginarmos,e não será preciso muita, até onde pode ir essa montagem da sic.»

Eu não excluo a possibilidade de que tudo tenha sido uma encenação! Isto é, eu não descarto totalmente que todos os intervenientes sejam actores, inclusivé as pessoas que são "apanhadas"... quando se conhece a forma de pensar da "gente" que trabalha nos mé(r)dia, percebe-se que eles são capazes de tudo!

Ainda assim, convém ressalvar a possibilidade de tudo isto ser legítimo. Portugal é, infelizmente, um país onde a maioria das pessoas vota à esquerda. E não há militante do bloco que não reprove o "racismo". Aliás, a taxa gosto/desgoto do vídeo está na casa dos 90% de gostos, o que nos diz que a maioria das pessoas que viram o vídeo condena o "racismo".



Sr. Hamsun disse...
«(...) dei-me ao trabalho de recuar o programa todo para ver se havia racismo anti-branco e, claro, tal coisa não existe.

Ah! Era só o que faltava! O racismo anti-branco é um mito perpetuado pelos racistas brancos! Porque quando um grupo de negros se junta e espanca um branco até à morte só por ele ser branco, isso não é racismo anti-branco, é racismo anti-negro: os pretos matam o branco porque estão revoltados com a opressão do branco! É assim que os Boaventuras, os Josés Falcão e os Daniéis Oliveira justificam a coisa!


«E o Público, hoje? o racismo.»

Ainda bem que o Sr. Hamsun referuiu, senão não reparava. Eu nestas coisas dos mé(r)dia não acredito em coincidências! Acho ralmente que o Sr. Hamsun pode ter apanhado qualquer coisa com essa sua suspeita de que isto é uma ofensiva concertada...


Renato Santon disse...
«Na verdade Português é até pouco racista perto do que precisavam, com um país tão pequeno qualquer leva de alógenos dissolve o povo em algum tempo, e o estoque de africaninhos dispostos a migrar é infinito, infinito.»

Acredite, caro Rentao, o português é decididamente um dos povos menos racistas de todo o Ocidente! Eu digo isto com uma mágoa profunda, porque graças a isso somos também uma das nações mais miscigenadas da Europa, cheia de gente que não se revê culturalmente e que, inevitavelmente, se odeia e se despreza mutuamente. Quem não ama a sua gente, não se ama a si próprio e está condenado à extinção.

Mas muitos portugueses só acordam quando é tarde demais e a sua vizinhança está completamente irreconhecível. E a esmagadora maioria ainda está muito longe de acordar.

Bruno Dias disse...

Mais uma lavagem cerebral para as massas, dada em horário nobre. Essa história das bonecas brancas/bonecas pretas já é muito conhecida, eu já vi vídeos até (nos EUA, graças aos media sionistas), e claro, como as bestas jornalistas de cá imitam tudo o que vêm lá fora (e como fazem parte do mesmo clube marxista) toca a falar nisso. Eu pessoalmente não tenho qualquer problema em dizer a ninguêm que sou totalmente contra essas uniões inter-raciais, e que quando tiver uma filha minha vou dizer-lhe desde cedo que ai dela que namore com preto porque vai parar ao olho da rua, que é o lugar das vadias. Mas hoje em dia, a maior parte dos pais falta a coragem para isso (ou são estúpidos o suficiente para acreditarem que nao há "raças" e somos todos iguais, e como tal, nao vem problema nisso). Se se vir um japonês, um indiano, um branco, um chinés e um congoide lado a lado e se se dizer que aquilo tudo faz parte da mesma raça, eu só posso dizer que essa pessoa tem um grave problema na cabeça ( e nao tem nada a ver com a "côr da pele" como dizem esses iluminados), mas com outros factores, que, quando algum cientistas se "atrevem" a falar desses factores ou factos científicos são logo destruidos. Eu vi um vídeo de um caso desses num canal muito interessante do youtube, e o cientista em questão até tinha ganho um prémio Nobel. Eu diria a esses igualitarios para investigarem acerca das raças, mas eles vivem num mundo de sonho e fantasias e é tempo perdido tentar algo com gente assim.

Lura do Grilo disse...

Eu comentei antes do programa vir para o ar. Como foi? Ainda pior, ainda mais mesquinho e ainda mais hipócrita do que eu esperava.

É uma cópia? Também pensei que sim, mas não me dei ao trabalho de confirmar. A jornalista não tinha capacidade para fazer uma coisa daquelas tão fraca e enviesada.

Explorar a inocência das crianças fez-me lembrar o caso de Pavlik Morozov (versão tuga).

Anónimo disse...

http://www.thedailybeast.com/articles/2016/04/20/paris-college-s-hijab-day-sparks-controversy.html

Hijab Day em Paris, iniciativa bonita não é?

G, o cigano

Afonso de Portugal disse...

Bruno Dias disse...
«(...) quando tiver uma filha minha vou dizer-lhe desde cedo que ai dela que namore com preto porque vai parar ao olho da rua, que é o lugar das vadias.»

Ah, grande homem! :) Já há poucos como tu, meu caro! A maioria das pessoas de hoje em dia acha que "o importante é que haja amor", como se a atracção animalesca tivesse alguma coisa a ver com o amor! A maioria das raparigas brancas que namora com pretos fá-lo quase sempre porque eles são tipicamente mais agressivos, não necessariamente com elas, mas sim com os outros rapazes, sobretudo para com os brancos! É essa “rebeldia”, essa aura de falsa masculinidade que as atrai até eles.

«(..) a maior parte dos pais falta a coragem para isso»

Acredita, há muitos pais "modernos" que mantêm relações tóxicas com os seus filhos. Como só têm um ou dois filhos, mimam-nos em excesso e entram em pânico quando sentem que estão a perder o seu amor. Ora, um bom pai ou mãe tem que ter a coragem de perder os seus filhos em nome de um bem maior! Os filhos têm de levar os seus pais a sério e, dentro de níveis saudáveis, devem até temê-los um pouco. Só um pouco, mas devem! Até porque se a educação que dermos aos nossos filhos for a mais correcta, baseada em valores fortes e ideais sólidos, as probabilidades de os perdermos em definitivo são relativamente reduzidas.

«o cientista em questão até tinha ganho um prémio Nobel.»

Sim, sim, foi o Dr. James Watson, um dos cientistas mais brilhantes de todo o século XX. Foi saneado e perseguido por ter a coragem de afirmar publicamente aquilo que quase toda a gente pensa! Da inquisição anti-racista, nem as melhores mentes estão a salvo!



Lura d Grilo disse..
«Explorar a inocência das crianças fez-me lembrar o caso de Pavlik Morozov (versão tuga).»

É de pequenino que ser torce o pepino e os neomarxistas sabem disso muito bem! Têm quase um século de saber acumulado em matéria de manipulação mental, à custa de milhões de vítimas! Aprenderam bem o que resulta e o que deixa de resultar. E sabem que nada resulta melhor do que doutrinar as mentes frágeis e impressionáveis das crianças. Essa é, aliás, uma das razões pelas quais não consigo deixar de odiá-los. As crianças deviam ter o direito de ficar de fora de qualquer agenda política. Até mesmo os adolescentes têm poucas defesas contra a demagogia ideológica!


G, o cigano disse...
«Hijab Day em Paris, iniciativa bonita não é?»

Arre porra, os franceses não aprendem, mesmo!... Desconfio que, nos dias de hoje, os islamistas podiam matar meia França que o resto dos franceses ainda haveria de arranjar iniciativas no sentido de apaziguar a moirama!

João José Horta Nobre disse...

«Arre porra, os franceses não aprendem, mesmo!... Desconfio que, nos dias de hoje, os islamistas podiam matar meia França que o resto dos franceses ainda haveria de arranjar iniciativas no sentido de apaziguar a moirama!»

Está aí uma boa definição de estupidez...

Anónimo disse...

Caro Afonso, a propaganda na Sic continua a seguir caminhos desprezíveis.
Hoje mais uma vez falam do islamismo e de forma completamente relaxada revelam que daqui a 3 décadas vão constituir 10% da população europeia. Um outro desprezível convertido ao islão revela que gostava que a sua mulher, não sendo muçulmana, usasse véu e aguarda o seu caminho para a conversão. E antes disso, um velho português diz de forma completamente inocente que "Isto ja foi dos mouros, nós conquistamos isto a eles e agora eles vieram para reconquistar".
Igualmente, todas as igrejas neopentecostais, evangélicas, manás, pai de santos, importações do brasil, cientologia, têm que ser proibidas neste pais. Eu agora percebo claramente porque a igreja católica teve a inquisição, o porquê das caças às bruxas, e todos estes acontecimentos que hoje são negativamente retratados no ensino.
Oxalá a igreja católica renasça verdadeiramente como ela foi e tenha força para limpar o ocidente destas confissões pseudo-religiosas.

G, o cigano

Afonso de Portugal disse...

G, o cigano disse...
«daqui a 3 décadas vão constituir 10% da população europeia.»

Essa das 3 décadas é outra mentira dos mé(r)dia. Vai ser pelo menos 10 anos mais cedo! Repare-se, o número de muçulmanos na Europa HOJE andará na casa dos 45 milhões (números do Pew Research). Dividindo isto pela população total da Europa, temos 45/742,5 = 6,06%. Ou seja, os muçulmanos já constituem 6% da população europeia HOJE!

Ora, com o envelhecimento acelerado da população europeia e com taxas de fertilidade médias na casa dos 1,6 filhos/mulher (em Portugal nem isso, andamos na casa dos 1,2 filhos/mulher) não é difícil de antever que, a população europeia em 2035 terá caído drasticamente, havendo projecções com quedas entre até entre os 12% e os 15%. Isso implica uma população europeia entre os 630 e os 650 milhões de habitantes, grosso modo.

Ora, se a isto juntarmos o facto de que a imigração não vai parar e que poderá haver 1 M de imigrantes a entrar na europa por ano (faço notar que o Frontex estima que terão entrado 1,8 M só em 2015), temos que 1 M x 20 anos = 20 milhões de imigrantes até 2035. Ainda por cima, a taxa de fertilidade dos muçulmanos é superior à dos europeus, variando entre os 2,1 e os 2,5. Ou seja, entre os dois factores (natalidade e imigração) os 45 M de hoje poderão chegar facilmente aos 70 ou até aos 80 milhões de habitantes em 2035.

Resumindo e conlcuindo, 75/650=11,54%. Ou, mesmo sendo optimista, 65/650 = 10%. Não vai ser preciso esperarmos 30 anos para isto aconteça!

Missy disse...

Isto é o quê, uma lavagem cerebral às pessoas? formatar a população para intervir sempre que vir casos de racismo (contra preto e muçulmanos claro, que isso com brancos é coisa que não existe).

Acho piada que em vez de ensinarem as pessoas a defenderem-se perante perigos ou incentivarem as pessoas a intervirem se virem alguém aflito ou a ser assediado (como se lê historias na Alemanha e Suécia) não. Isto é mas é para o Costinha deixar entrá-los e nós cá a recebê-los de braços abertos, ou melhor, ninguém diz nada porque já se sabe que a Maria-Cuscuvilheira e o TóZé reformado vão mandar vir enquanto o branco tenta sobreviver.

Vejo isto cada vez pior, não parece haver qualquer solução nem de remar contra a maré. A minha esperança é ser protegida como minoria que me vou tornar, o que duvido porque faço parte da raça branca opressora.

Ao de me apanhar na rua que levam a ensaboadela da genética, origem de raças humanas e talvez um pouco de eugenia. Mas também só devem andar à hora que as pessoas normais com 3 dedos de testa para argumentos estão a trablhar. Estes programas são sempre muito falaciosos e tendenciosos e só mostram o que convém.

Afonso de Portugal disse...

Missy disse...
«Isto é o quê, uma lavagem cerebral às pessoas? formatar a população para intervir sempre que vir casos de racismo »

Isso mesmo! "Epá, não deixem os racistas safar-se, senão vocês serão más pessoas!" Manipulação da mais reles que pode haver! Um verdadeiro nojo!


«A minha esperança é ser protegida como minoria que me vou tornar, o que duvido porque faço parte da raça branca opressora.»

Ehehe... desconfio que os únicos brancos que vão ser protegidos no futuro são os ursos polares ! :) E mesmo esses, não sei não... se os invasores tomarem mesmo conta disto, duvido que salvar espécies em vias de exitnlão faça parte das suas prioridades!


«Estes programas são sempre muito falaciosos e tendenciosos e só mostram o que convém.»

Acredita! Ainda por cima, não são transmitidos em directo, são gravados. Por isso se "apanhassem" um de nós provavelmente iam cortar tudo!

João José Horta Nobre disse...

«Igualmente, todas as igrejas neopentecostais, evangélicas, manás, pai de santos, importações do brasil, cientologia, têm que ser proibidas neste pais. Eu agora percebo claramente porque a igreja católica teve a inquisição, o porquê das caças às bruxas, e todos estes acontecimentos que hoje são negativamente retratados no ensino.
Oxalá a igreja católica renasça verdadeiramente como ela foi e tenha força para limpar o ocidente destas confissões pseudo-religiosas.»

Com o devido respeito, mas que tipo de droga é que G, o cigano fuma?

Renato Santon disse...

O cigano G está certo quanto a pais de santo. Esses podres fazem magia negra(macumba) usando sacrifícios de animais periódicos, torturas contra animais.

São práticas odiosas africanas, Portugal tem que expulsar ou ilegalizar essas pessoas e esses costumes, que o faça enquanto o problema é pequeno.

João José Horta Nobre disse...

«O cigano G está certo quanto a pais de santo. Esses podres fazem magia negra(macumba) usando sacrifícios de animais periódicos, torturas contra animais.»

Não é a isso que eu me referia, eu estava a referir-me era à ideia demonstrada por alguns católicos que acreditam ainda que a Igreja pode ainda renascer "verdadeiramente como ela foi".

Essa Igreja a que G, o cigano se refere, foi uma autêntica fonte de atraso para a Europa. Basta ver como durante toda a Idade Média castrou a ciência e o pensamento crítico. O protestantismo, no fundo, não foi mais do que uma reacção à intolerância e corrupção da Igreja. mas os próprios protestantes acabaram por se tornar ainda mais intolerantes do que os católicos.

Renato Santon disse...

Até é verdade que a igreja causa atraso, mas tem o lado bom dele que certamente humanizou e pacificou a sociedade.

O ser humano precisava de freios morais para poder conviver e isso era promovido pelos valores morais da cristandade, a busca do perdão e não da vingança, etc... Há coisas positivas.

Não discuto a origem do culto cristão que me parece falsa, não discuto a lavagem cerebral e potencial de dominação conferido por ele. Prefiro me focar nos pontos positivos que foram civilizar o homem bruto pagão - realizador de sacrifícios até mesmo humanos.

Mas é impossível a volta ao passado, o esquema de sociedade cristã não se afiniza com as descobertas científicas e facilidades de comunicação da modernidade. Acaba que com a dissolução da igreja o homem desenvolveu-se, é verdade, mas também caiu em um vácuo de autoridade moral e modelos de conduta os quais o levaram ao vazio e ao "fútil" da pós modernidade.

Substituir a religião pela Lei positiva pura não é o bastante, o ser humano precisa de motivações filosóficas e algum tipo de crença.

É preciso encerrar com a igreja, mas criar novo consenso social, talvez pelo desenvolvimento das ciências se possa descobrir algo de razoável sobre o homem e o universo - e deixar para lá as especulações religiosas.

João José Horta Nobre disse...

Aqui está mais um "belo" exemplo de propaganda absolutamente execrável que passou há poucos dias na TVI:

http://tviplayer.iol.pt/programa/olhos-nos-olhos/53c6b3963004dc006243d285/episodio/t3e11

Para as elites me(r)diáticas andarem neste chinfrim de propaganda, é porque devem mesmo estar a encontrar mais resistência do que aquela que esperavam. Ainda para mais surpreendeu-me ver o Medina Carreira a ser usado para estas manobras de propaganda, um homem que eu até gostava de ouvir falar por dizer verdades que outros não dizem, especialmente no que se refere ao mais estado da economia portuguesa.

Bruno Dias disse...

"Essa Igreja a que G, o cigano se refere, foi uma autêntica fonte de atraso para a Europa. Basta ver como durante toda a Idade Média castrou a ciência e o pensamento crítico"

Esta Igreja durante esse periodo criou as catedrais, essas belas obras de arte que há na Europa. Nesse tempo, era uma instituição aristocrata e masculina, defensora dos valores da nossa raça (teve que se adaptar para ser aceite), ao contrário de hoje, que se virou para as massas e se tornou feminina, democrata e corrupta (o exemplo de como ela mudou vê-se na postura em relação aos muçulmanos). Certo que o vaticano se tornou nos últimos séculos um inimigo da nossa raça e da nossa Europa, mas a maioria do povo necessita de uma religião na sua vida. Necessitam de um "ente superior" para se sentirem seguras. Uma pessoa nao pode ser idiota ao ponto de julgar que "as pessoas devem ser boas por amor à bondade". Isso é infantil e ridículo, a maior parte das pessoas toma determinado comportamento ao longo da sua vida com vista ao "Paraíso" ou com medo do "inferno". Se não fossem estas ideias p´re concebidas do inferno e céu acredite que a criminalidade e corrupção seriam ainda maiores. isto tudo para dizer que um Estado necessita de uma religião, e de momento não existe NADA que substitua o cristianismo ( a não ser que queira ressuscitar uma religião pagã morta à mais de 1500 anos).

"O protestantismo, no fundo, não foi mais do que uma reacção à intolerância e corrupção da Igreja"

A tolerância é sinal de fraqueza, de decadência, seja numa religião, seja num povo. Hoje as pessoas são muito tolerantes com os "refugiados" e com a extrema esquerda e o resultado vê-se. Claro que eles tinham que ser intolerantes contra as heresias que existiam se eles se queriam impôr. A lei do mais forte, e eles eram uma instituição forte na altura, ao contrário de hoje que sao tolerantes e mais uma vez, o resultado vê-se naquele papa comuna a beijar os pés dos gorilas. "Tolerância e apatia são as últimas "virtudes" de uma sociedade moribunda", já dizia Aristóteles.