quinta-feira, 7 de abril de 2016

Reportagem: os vários "Molenbeek" de Roma


     Como os meus leitores deverão estar fartos de saber, o bairro de Bruxelas que se tornou famoso nas últimas semanas devido aos atentados do dia 22 de Março está longe de ser um caso isolado na Europa. Neste vídeo, viajamos até à capital italiana para conhecer os "Molenbeek" locais. Que vibrante, pá!!!



A jornalista que faz a reportagem informa-nos que há áreas muçulmanas em Roma que as forças de segurança italianas consideram particularmente críticas para o recrutamento por parte dos jiadistas. Nessas zonas da cidade, a população muçulmana triplicou no espaço de apenas alguns anos (infelizmente, ela não esclarece exactamente quantos, um hábito tristemente sul-europeu). Seja como for, haverá nessas zonas da cidade cerca de uma centena de mesquitas, muitas das quais improvisadas em garagens e espaços comerciais, registadas geralmente como "associações culturais" (hoje em dia, tudo é possível em nome da "cultura", caros leitores!)

A jornalista percorre algumas dessas mesquitas e fala com um imã (não confundir com "íman", dispositivo ferromagnético) e outros pregadores islâmicos. Pergunta-lhes se já falaram aos crentes sobre os atentados de Bruxelas e sobre o Estado Islâmico. Eles respondem sempre que não, por vezes com um sorrisinho descaradamente hipócrita no rosto. Ela fala também com lojistas muçulmanos e com outros seguidores do profeta pedófilo que vai encontrando nas ruas. Muitos nem sequer sabem falar italiano, apesar de já estarem em Itália há vários anos.

A reportagem termina com uma curta entrevista a um grupo de "jovens" afegãos que gostam de jogar futebol na Praça Vittorio. Apesar de alguns estarem em Itália há oito anos, nenhum dos "jovens" tem emprego e um deles até reclama que o Estado italiano não lhes concede subsídios...

Sem comentários: