terça-feira, 26 de abril de 2016

"Jovens" enriquecem curdo no Cais do Sodré


     É mais um episódio colorido e vibrante da imigração em Portugal! O proprietário do restaurante "Palácio do Kebab", de nacionalidade curda, recusou servir um grupo de "jovens" que, depois de uma noitada numa discoteca do outro lado da rua, queriam à viva força tomar o pequeno-almoço. Os "jovens" decidiram por isso  enriquecer o proprietário de nacionalidade curda!



Resumindo e concluindo, acabou tudo numa bela festa multicultural e multirracial! O que seria de Lisboa sem os seus imigrantes, pá? A capital seria uma pasmaceira, pá!!!!! Viva o mundo sem fronteiras, carago! Racismo não, racismo não, racismo não!!!

20 comentários:

Anónimo disse...

Aguarda-se manifestação do SOS Racismo a qualquer momento.

G, o cigano

FireHead disse...

É óbvio que não há racismo nem mesmo islamofobia aí porque frente a frente estavam espécimes de dois grupos oprimidos e protegidos.

Sr. Hamsun disse...

No meio disto há uma coisa em que já tenho pensado várias vezes: onde é que estes gajos - curdos, paquistaneses, bangladechianos e o catano - arranjam dinheiro para montarem os negócios? tudo bem que os emigrantes não têm necessariamente de ser indigentes, mas andam sempre a dizer-nos que os imigrantes desses países são pobrezinhos, coitadinhos, perseguidos, fogem à guerra, mas depois chegam e toma lá. Instalam-se, abrem negócios, com que dinheiro? quem os financia? os governos dos respectivos países? se sim, com que intenção?

João José Horta Nobre disse...

Foi apenas um encontro multicultural, pá!

São coisas assim que tornam Lisboa uma cidade mais rica e diversa, é preciso ver que eles também são pessoas e temos por isso temos de respeitar as diferenças culturais.

Unidade na diversidade!

João José Horta Nobre disse...

«No meio disto há uma coisa em que já tenho pensado várias vezes: onde é que estes gajos - curdos, paquistaneses, bangladechianos e o catano - arranjam dinheiro para montarem os negócios? tudo bem que os emigrantes não têm necessariamente de ser indigentes, mas andam sempre a dizer-nos que os imigrantes desses países são pobrezinhos, coitadinhos, perseguidos, fogem à guerra, mas depois chegam e toma lá. Instalam-se, abrem negócios, com que dinheiro? quem os financia? os governos dos respectivos países? se sim, com que intenção?»

Ainda há pouco eu estava a pensar exactamente nisso tudo...

Dá que pensar, não dá?

Afonso de Portugal disse...

G, o cigano
«Aguarda-se manifestação do SOS Racismo a qualquer momento.»

Só não saiu até agora porque o José Falcão e companhia estão a escrever uma declaração muito completa e detalhada para a imprensa, a explicar que ambos "jovens" e o proprietário curdo agiram assim porque foram oprimidos pelos portugueses!


FireHead disse...
«É óbvio que não há racismo nem mesmo islamofobia aí porque frente a frente estavam espécimes de dois grupos oprimidos e protegidos.»

Ora, nem mais! Racista seria pensar o contrário! A culpa aqui é dos brancos, de ceretza! Apesar de não se ver nenhum no início do vídeo, de certeza que foram eles que começaram isto tudo!


Sr. Hamsun disse...
«(...) andam sempre a dizer-nos que os imigrantes desses países são pobrezinhos, coitadinhos, perseguidos, fogem à guerra, mas depois chegam e toma lá. Instalam-se, abrem negócios, com que dinheiro? quem os financia? os governos dos respectivos países? se sim, com que intenção?»

Muito bem! Mas muito bem, mesmo! É precisamente esse tipo de questões que a nós, nacionalistas, nos compete colocar! Há de facto um padrão no mínimo suspeito neste género de "negócios". E eu não me admiraria nada que muitos deles fossem na verdade centros de lavagem de outros "negócios" mais obscuros...


João José Horta Nobre disse...
«Unidade na diversidade!»

O que vale é que único leitor do BE que eu tinha por aqui já se pôs a mexer, senão ainda era capaz de achar piada a esse slogan!

João José Horta Nobre disse...

«O que vale é que único leitor do BE que eu tinha por aqui já se pôs a mexer»

AHAHAHAHAHHA, quem era o "inteligente"?

Renato Santon disse...

Tudo bem Afonso, mas fica um detalhe para nós pensarmos e refletirmos:

Viu como esse curdo, vindo daquelas terras inóspitas do oriente, esse curdo agiu feito homem, não se intimidou, pegou um facão e foi para cima da negrada. Se fez respeitar contra uma tribo de negos.

Um deles botou respeito em uma macacada toda, imagine se tivessem mais. Esses povos do oriente não foram tocados MARXISMO CULTURAL.

Os portugueses sempre foram homens e machos, mas duvido que tivessem a valentia do curdo para botar respeito nos marginais. Precisamos que o homem europeu recupere isso do vídeo.

E Holandeses e alemães então... se fossem esses teriam é baixado as calças, digo, a saia.

Bilder disse...

Se forem pelas ruas da freguesia de arroios(que agora vai desde a alameda ao martim moniz)as lojas dos tugas foram praticamente todas passadas a gente do bangladesh e afins(não meto os nepaleses no mesmo saco,apesar de estarem com várias lojas,pois são gente correcta)e outras abriram aos magotes(mesmo sem clientes).As freguesias de Lisboa estão todas dominadas pelos Socialistas e afins.

João José Horta Nobre disse...

«E Holandeses e alemães então... se fossem esses teriam é baixado as calças, digo, a saia.»

Já vi um video de um alemão a levar chapada e pontapé de um mouro e o alemão, fisicamente mais forte, em lugar de se defender, encolheu-se todo e começou a chorar.

Isto aconteceu porque deu-se uma "efeminização" dos homens ocidentais nas últimas décadas. Basta andar na rua para ver que os modos de ser de muitos homens, estão cada vez mais efeminados.

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«AHAHAHAHAHHA, quem era o "inteligente"?»

Um cretino que assinava como 'Monhé Costa'. Enchia-me as caixas de comentários com links para vídeos com "jovens" a dar azo aos seus "talentos" musicais. Desconfio seriamente que ele próprio era um "jovem"... ou então um caso de bollycao-ite aguda!


Renato Santon disse...
«Um deles botou respeito em uma macacada toda, imagine se tivessem mais. Esses povos do oriente não foram tocados MARXISMO CULTURAL.»

Claro! Eu tenho feito vários postais aqui no TU acerca do grave problema da desvirilização do homem ocidental, mas esse tema ainda é muito pouco discutido no meio nacionalista português. No entanto, ainda há muitos homens portugueses capazes de fazer o que este curdo fez. Simplesmente encontram-se nas classes menos instruídas e com menor poder de compra da população. Conforme o Renato bem observou, foram os menos tocados pelo marxismo cultural.

É por isso que eu digo sempre que educação não é o mesmo que regurgitação. Hoje em dia, tem muito homem ocidental que é extremamente educado (i.e. tem um ou até mais cursos superior) mas não é instruído, porque absorveu tudo o que lhe ensinaram ao longo dos anos sem nunca reflectir e pensar por si próprio.


Bilder disse...
«As freguesias de Lisboa estão todas dominadas pelos Socialistas e afins.»

O que a mim me custa a entender é que os lisboetas continua a votar em força nos partidos que possibilitaram isso! Em termos políticos, os grandes centros urbanos do país são tão vermelhos que até mete dó!


João José Horta Nobre disse...
«Isto aconteceu porque deu-se uma "efeminização" dos homens ocidentais nas últimas décadas. Basta andar na rua para ver que os modos de ser de muitos homens, estão cada vez mais efeminados.»

Sem dúvida, caro JJHN! E o mais arrepiante é que até nas localidades do interior, outrora bastiões da masculinidade tradicional, se começa a notar o fenómeno! Nenhum país pode sobreviver durante muito tempo quando os seus homens andam mais preocupados com o seu penteado da moda ou com as suas calças de marca do que a pensar em como fazer avançar o país...

FireHead disse...

Os brancos... mas depois os nacionalistas mais astutos dizem que os verdadeiros culpados disto são os... judeus!!

Afonso de Portugal disse...

«(...) mas depois os nacionalistas mais astutos dizem que os verdadeiros culpados disto são os... judeus!!»

Chiu, pá! Não desconverses! Não vês que se deixarmos de culpar os judeus as pessoas ainda começam a levar o nacionalismo a sério!?!? Nós não queremos isso, pá! Queremos ficar bem alapados no nosso sofázinho, à espera do próximo D. Sebastião!!!!!!!!

João José Horta Nobre disse...

«Um cretino que assinava como 'Monhé Costa'. Enchia-me as caixas de comentários com links para vídeos com "jovens" a dar azo aos seus "talentos" musicais. Desconfio seriamente que ele próprio era um "jovem"... ou então um caso de bollycao-ite aguda!»

Ah, sim, sim, lembro-me desse cretino e dos vídeos dele. Eu até acho piada a esses idiotas quando aparecem por aí a comentar nos blogs. Anima mais a coisa...

João José Horta Nobre disse...

Se querem acolher uns refugiados, fazemos assim: têm de ser curdos e têm de ir viver nas zonas africanizadas de Portugal.

Pode ser que assim ao menos os curdos façam uma "limpeza" nessas zonas africanizadas. Eu até lhes ofereço as facas de Kebab se eles quiserem, isso e um bom afiador de facas.

João José Horta Nobre disse...

Foi assim que ficou um dos "jovens" depois do encontro multicultural com a faca de kebab:

https://www.youtube.com/watch?v=VNyJgHg93D4

Renato Santon disse...

Foi assim que ficou um dos "jovens" depois do encontro multicultural com a faca de kebab:

https://www.youtube.com/watch?v=VNyJgHg93D4


Desculpem o palavrão mas... Puta que pariu !

Esses curdos são malucos, eles fazem mesmo. Por isso que pra aquelas bandas não tem (nem nunca teve) "enriquecimento".

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Ah, sim, sim, lembro-me desse cretino e dos vídeos dele. Eu até acho piada a esses idiotas quando aparecem por aí a comentar nos blogs. Anima mais a coisa...»

Epá, eu já pensei assim, mas já não tenho paciência... ainda por cima o caramelo dava um erro ortográfico grosseiro a cada três palavras que escrevia. Era mai demais!


«Pode ser que assim ao menos os curdos façam uma "limpeza" nessas zonas africanizadas. Eu até lhes ofereço as facas de Kebab se eles quiserem, isso e um bom afiador de facas.»

Olhe que não, caro Mestre Nobre. Houve quem pensasse que isso ia acontecer quando alguém teve a ideia peregrina de juntar ciganos e pretos na Quinta do Mocho... mas as duas "minorias" vão-se equilibrando. Lá dão uns tiritos uns aos outros de tempos a tempos, mas morrem sempre poucos e eles procriam todos como ratos!


Renato Santon disse...
«Esses curdos são malucos, eles fazem mesmo. Por isso que pra aquelas bandas não tem (nem nunca teve) "enriquecimento".»

Mas eles têm uma grande vantagem: podem fazer isso sem medo de consequências legais. Se o dono do restaurante fosse um português, não sei se ainda estaria em liberdade...

Renato Santon disse...

Os curdos são um povo sem terra, um povo a parte. Há até uma parte deles que é descendente dos antigos arianos, loiros de olhos azuis, os Yezidis.

Não é o ideal, mas antes curdos que africanos, racialmente o prejuízo é bem menor e os curdos não são fanáticos muçulmanos como os árabes mais dados ao caráter secular, nem absurdamente feios e animalizados como os pretos(aqui falo das curdas hehe).

Afonso de Portugal disse...

Renato Santon disse...
«Não é o ideal, mas antes curdos que africanos»

Sem dúvida. Mas o melhor era mesmo que todos os alógenos ficassem no seu devido lugar.


«nem absurdamente feios e animalizados como os pretos(aqui falo das curdas hehe).»

Pois... mas as curdas não vêm. Ficam lá, em sua terra, lutando corajosamente contra o ISIS! Só os covardes dos seus maridos é que fogem!