segunda-feira, 28 de março de 2016

Triste Futebol: pedófilo Carlos "1, 2, 3" Cruz denuncia compra de votos para o Euro 2004


«Na autobiografia do antigo apresentador de televisão, (...) Carlos Cruz revela alguns episódios dos bastidores da Candidatura de Portugal à organização do Campeonato da Europa, e relata as dificuldades que teve enquanto presidente da Comissão Executiva da candidatura portuguesa para angariar votos junto das outras federações europeias. 

As revelações de Carlos Cruz incluem conversas com Gilberto Madail, na altura presidente da Federação Portuguesa de Futebol, e José Sócrates, na altura Ministro-adjunto de António Guterres.»

 Tudo bons rapazes...

«"O presidente da Federação desse país (não especifica qual) tinha manifestado o desejo de passar férias em Portugal. Alguém teve a ideia de oferecer as férias ao senhor e família. Fizemos as contas e como ele não tinha datas escolhidas levou-se um envelope com os dólares equivalentes ao cálculo das viagens e de uma semana de férias no Algarve. […] À saída da reunião, Madail, discretamente, entregou-lhe o envelope. Como o dólar valia mais do que o sol do Algarve, o nosso amigo guardou o dinheiro e não pôs os pés em Portugal. Já em Aachen (Alemanha) fez chegar até nós a sua disposição de falar com mais um ou dois colegas amigos, de outras federações votantes. Percebemos a mensagem que nos chegou já perto da decisão. Madail encontrou-se com ele no quarto do hotel; disse-me que o encontrou em roupão e que o senhor ficou muito feliz com o segundo envelope que recebeu; penso que foram 12500 ou 15000 dólares. Não sei se angariou ou não algum voto; ao sair da sala onde tinha decorrido a votação mostrou-me um papel e apontando com o dedo disse-me com muito sotaque 'I vote Portugal…see…see.' Tinha escrito Portugal, Áustria, Espanha por esta ordem", pode ler-se entre as páginas 518 e 519.

Em conversa com um amigo meu, presidente de uma multinacional, referi-lhe o nome do presidente da federação de um país que tinha grande influência na decisão da Comissão do Euro. […] Esse meu amigo, cuja multinacional tinha uma filial no país em questão, prometeu tentar obter informações sobre o indivíduo e a sua tendência de voto. […] Foi no bar do Hotel Ritz que ele me informou: teríamos o voto garantido daquele país e a promessa de que faria lóbi a nosso favor junto de várias federações do Leste; em contrapartida queria uma vivenda no Algarve no valor de 100 mil dólares. Fiquei estupefacto, mas não comentei e prometi fazer as necessárias consultas. Telefonar-lhe-ia depois para comunicar a decisão. Falei com Madail e José Sócrates e foi este que me disse: 'Ó Carlos Cruz, não podemos perder isto por uma questão de dinheiro! Era o que faltava!' Perguntei-lhe se aquela afirmação era um 'sim' à proposta. Se garantisse o voto, era. Telefonei ao intermediário e disse-lhe exactamente isso. Foi seu um dos primeiros telefonemas que recebi logo a seguir à decisão da UEFA. Ainda hoje recordo a sua frase: 'I told you'. Também me lembro do que me veio à cabeça: e agora? Vamos mesmo ter de dar uma vivenda ao gajo? 

Os dias passaram. Finalmente chegou o e-mail que eu receava: esperava notícias para tratar do que havia sido acordado. Gilberto Madail dizia-me que não tinha nada a ver com isso e José Sócrates dizia-me para falar com Madail. Eu argumentava que não tínhamos a certeza de que ele votara em Portugal ou que tivesse angariado votos, não tínhamos acesso à ata da votação. Quando a pressão sobre mim atingiu o clima de quase ameaça, enviei um último e-mail dizendo-lhe que não tinha qualquer responsabilidade pois apenas confirmara indicações superiores; tal como ele, tinha sido um intermediário: ele, devia, por isso contactar a FPF ou o ministro José Sócrates. Nunca mais tive notícias sobre o assunto", pode ainda ler-se nos excertos da autobiografia de Carlos Cruz que foram publicados esta terça-feira pelo jornal "A Bola"

O referido diário desportivo também contactou os envolvidos para confirmar o teor dos conteúdos do livro assinado pelo antigo apresentador de televisão, atualmente a cumprir pena de prisão por alegados abusos sexuais a menores, e obteve a mesma resposta. Tanto Gilberto Madail como José Sócrates, através de um assessor, desmentiram categoricamente as passagens do livro de Carlos Cruz.»

Comentário do blogueiro: a ser verdadeiro, este relato é um exemplo bem ilustrativo daquilo que é realmente o futebol: corrupção total! E repare-se também na forma como as coisas se fazem em Portugal: primeiro, dá-se o dinheiro ao corrupto, não uma, mas duas vezes, sem que haja qualquer garantia de que o favor que se está a pagar será mesmo concretizado! E depois, quando as dúvidas surgem, lavam-se imediatamente as mãos e acusam-se os compadres!

E o que é que o país ganhou com isto? Absolutamente nada, é claro! O dinheiro que se gastou a subornar os corruptos da FIFA e a construir os estádios que, na maioria dos casos, ficaram praticamente às moscas, nunca chegou a ser rentabilizado! Pelo meio, ganharam os trafulhas do lóbi do betão e os apologistas da imigração, que viram entrar milhares de trabalhadores alógenos para construir os estádios da vergonha.

Nem sequer no plano desportivo a coisa valeu a pena: a melhor selecção portuguesa dos últimos 40 anos, precisamente aquela que tinha a espinha dorsal do FC Porto que tinha sido campeão europeu nesse mesmo ano, foi derrotada pela Grécia com toda a justiça. Por duas vezes!!! E não foi pelo facto de a Grécia ser melhor, mas porque a teimosia e a incompetência táctica de um brasileiro burro -a quem foi oferecido o lugar de seleccionador por portugueses ainda mais burros- assim o determinou.

O futebol profissional não passa disto, é uma desgraça total! Sobretudo neste rectângulo à beira-mar plantado, onde os Sócrates, os Madaís, os Cruzes, os Varas, os Loureiros, as Fátimas Felgueiras, os Valentões, os Narcisos, os Isaltinos, os Ferreira Torres, os Mesquita Machados, os José-Luís Judas, as Ana Ribeiros, etc. etc. etc. fazem o que querem e o que lhes apetece com o dinheiro dos nossos impostos e o povo ainda aplaude!

____________
Ver também:

Triste futebol: mais um caso de corrupção envolvendo futebol e autarquias tugas
Triste futebol: Vieira e C.ª prostituem-se por 8 M€/ano
Triste futebol: director do Benfica detido por tráfico de cocaína
Triste futebol: vice do FC Porto alvo de buscas Pinto da Costa visita Sócrates na prisão
Sócrates suspeito de ter entrado no negócio dos direitos televisivos do futebol
Câmara de Lisboa perdoa 1,8 milhões de euros ao Benfica
Triste futebol: quatro casos paradigmáticos
Triste futebol: FC Porto SAD gastou 5,1 M€ só para pagar a empresários
Sobre os salários dos seleccionadores do mundial de futebol de 2014
Triste Alegre futebol: adeptos do Benfica destroem enriquecem instalações em Guimarães
Ainda a propósito da corrupção na FIFA...
Triste futebol: FIFA vai doar $1 M para acolher os "refugiados"
"Francês" que joga no Real Emirados de Madrid apanhado sem carta de condução e sem licença da viatura
E ainda mais um cartoon certeiro! (3)

2 comentários:

João José Horta Nobre disse...

Ainda hoje tenho dúvidas sobre a culpabilidade do Carlos Cruz no processo Casa Pia. Desconfio de que ele foi vítima de uma cabala e até já li na net que os "jovens" que testemunharam contra ele, na realidade eram prostitutos masculinos que "já a sabiam toda" e que foram pagos 50 mil euros a cabeça para testemunhar contra o ex-apresentador de televisão.

Posso estar enganado, mas o processo Casa Pia cheira-me muito mal e parece que ficou muita coisa ali que não bate certo.

Afonso de Portugal disse...

Concordo com a última frase. Há efectivamente muita coisa mal explicada no processo Casa Pia.

Já a respeito da inocência do Carlos Cruz, torço um bocado o nariz. Ou ele arranjou um inimigo muito poderoso com a capacidade de mexer cordelinhos ao mais alto nível (e é por isso que a história da Casa Pia parece inconsistente), ou eu não estou a ver como é que ele pode ser inocente. As contradições nos registos da Via Verde e a presença confirmada nas "festarolas" parecen ter sido suficientes para convencer o tribunal. E se não conseguiram condenar o "xuxa" Paulo Pedroso, como diabo conseguiram condenar o Carlos Cruz que, na altura, era um figura muito mais poderosa e mediática?

Há ainda outra coisa, um "gut feeling", como se costuma dizer. O Carlos Cruz sempre foi um indivíduo muito inteligente e instruído. Na altura em que foi preso, era um dos melhores apresentadores de televisão em Portugal. Mas há algo nele que sempre me criou uma sensação de grande desconforto. Não consigo explicar ao JJHN bem o que é, mas sempre achei o Carlos Cruz esquisito. Posso dizer-lhe que ao ver os seus programas, eu tive muitas vezes aquela sensação desagradável que se sente ao ser-se abordado por homossexuais. Um misto de aperto no estômago e uma repulsa intensa. Eu nunca consegui explicar exactamente porquê até ao processo Casa Pia.

Claro que "gut feelings" não bastam para condenar pessoas, mas juntamente com o resto (Via Verde, festas, condenação, "inocência" do Pedroso), tenho sérias dúvidas de que o CC não seja mesmo um pedófilo.