terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Entretanto, na Alemanha... (9)


     Graças aos refujiadistas (e aos traidores que os importaram), a cidade de Berlim está cada vez mais rica e mais vibrante! Desde "requerentes de asilo" que vendem droga nas praças  nas estações de metro da cidade, até a grupos de alemães nativos que patrulham as ruas em grupos de auto-defesa, passando por carteiristas alógenos violentos e "indivíduos" que assediam e insultam constantemente as mulheres alemãs, há um pouco de tudo! É uma verdadeira festa multicultural! Quanto enriquecimento, caros leitores! Quanta magia colorida! Este sim, é o maior espectáculo do mundo! Viva a diversidade, pá!


Um dos residentes locais chega mesmo a dizer: «O que se passou em Colónia não é nada! Eu tenho assistido a esfaqueamentos na rua TODOS os dias!» Os gangues de criminosos alógenos não têm medo da polícia!

E o que fazem os políticos alemães perante tudo isto? Bem, como um assistente social veio a descobrir depois de ter escrito dezenas de cartas a vários dirigentes políticos do seu país, não fazem rigorosamente nada, porque «A criminalidade não aumentou. Tudo não passa de uma percepção subjectiva por parte dos cidadãos!». Palavras do próprio Ministro do Interior lá do sítio! Vejam aos 2m52s, se não acreditam! E no entanto, os números da polícia de Berlim, também citados no vídeo, desmentem-no categoricamente!

Cada vez mais fica mais a nú a forma como as elites europeias desprezam o seu próprio povo. Cada vez mais fica claro que estamos, de facto, perante uma operação deliberada de genocídio dos povos europeus.

Contra tamanha traição, só o Nacionalismo se levanta. É por isso que só o Nacionalismo é solução!

22 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
João José Horta Nobre disse...

Uma verdadeira lástima o que se está a passar na Alemanha.

Entretanto, parece que o "chinoca" macaense do Firehead anda a fazer "panelinha" com o gang da ervilha contra os pagãos:

http://bloguedofirehead.blogspot.pt/2016/02/paganismo-e-semitismos.html

É sempre a mesma barraca com estes fanáticos cristãos. Veja bem a linguagem que ele usa, a violência verbal que aplica contra o Paganismo. Já imaginou se esta gente alguma vez regressa ao poder? São tão fanáticos e irracionais, que são capazes de nos acusar de bruxaria e queimar numa fogueira como na Idade Média!

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«É sempre a mesma barraca com estes fanáticos cristãos.»

Muito sinceramente, penso que há um pouco de tudo, caríssimo. Eu gosto muito do FireHead de uma forma geral, embora ache que ele às vezes se excede na sua defesa intransigente do Cristianismo. Já o Sr. Hamsun e o Lura do Grilo, sendo também cristãos, são bastante mais razoáveis e comedidos na linguagem. Seja como for -e espero sinceramente que não me leve a mal- parece-me que tem havido excessos de parte a parte, i.e. tanto do lado dos cristãos (FireHead, Reaccionário, Orlando Braga, Gangue da Ervilha, etc.) como dos pagãos (Caturo e JJHN).

Permita-me ser o mais claro possível: discutir a religião é sem dúvida importante e, se deixado totalmente sem controlo, o obscurantismo religioso pode transformar-se num problema muito grave. Mas neste preciso momento, eu não consigo ver como é que o combate nacionalista pode beneficiar dessa querela entre o Paganismo e o Cristianismo. Quer queiramos, quer não, a esmagadora maioria dos nacionalistas é cristã. Esta talvez não seja a situação mais desejável, mas a realidade é o que é. Ao longo dos anos que tenho passado na blogosfera nacionalista, tive a ocasião de verificar como certos discursos afastaram alguns leitores. Lembro-me da Sílvia Santos, por exemplo, que era presença regular no Gladius, mas desapareceu para sempre depois de um dia se ter pegado com o Caturo.

Não podermos dar-nos ao luxo de alienar os potenciais camaradas "só" por causa da religião. Já temos divisões que chegue no que respeita à questão do sionismo e do saudosimo NS. Temos de nos centrar no que é comum a todos.

Atenção que eu não estou a dizer que nos devemos calar totalmente em relação ao Cristianismo. Apenas acho que nos devemos centrar na traição dos clérigos favoráveis à imigração. Esses devem ser constantemente denunciados, sem quaisquer tréguas ou mesuras. Agora, criticar a doutrina cristã em si e sobretudo os crentes? Não me parece uma boa estratégia, muito sinceramente. Há factores emocionais e afectivos na religiosidade que são muito difíceis de contrariar. É por isso, por exemplo, que eu não quero os muçulmanos na Europa, por saber perfeitamente que não é possível integrar que bebeu toda a vida uma visão distorcida do mundo.

João José Horta Nobre disse...

"Seja como for -e espero sinceramente que não me leve a mal- parece-me que tem havido excessos de parte a parte, i.e. tanto do lado dos cristãos (FireHead, Reaccionário, Orlando Braga, Gangue da Ervilha, etc.) como dos pagãos (Caturo e JJHN)."

Isto começa a assumir contornos de guerra religiosa...

A Frente Nacional em França resolveu o problema de forma simples, ou seja, adoptando o Laicismo como modelo (por isso é que o Orlando Braga a odeia...). A religião é do foro da vida privada e assim as disputas entre neopagãos, cristãos e ateus, ficam de fora da política.

A minha batalha não é contra o Cristianismo em si, mas contra a tentativa por parte de alguns cristãos, de monopolizarem a situação política a favor da Igreja e quando nós não concordamos com eles, partem para as ofensas grosseiras. É que esta postura ultra-conservadora assusta pessoal de fora que depois pensa que todos os nacionalistas são "Jesus Freaks"...

Afonso de Portugal disse...

«Isto começa a assumir contornos de guerra religiosa... »

Pois. É exactamente por isso que eu preferia não me meter nisso! :) O movimento nacionalista já tem problemas e quezílias q.b.!


«A religião é do foro da vida privada e assim as disputas entre neopagãos, cristãos e ateus, ficam de fora da política.»

Exactamente. Essa também é a minha visão. Além de que a prioridade de todos os nacionalistas deve ser combater a descaracterização da sua nação, independentemente do resto.


«É que esta postura ultra-conservadora assusta pessoal de fora que depois pensa que todos os nacionalistas são "Jesus Freaks"...»

Bem, aí pode-se sempre apontar que o movimento nacionalista português, embora maioritariamente cristão, não é um antro exclusivo dos cristãos. Que há ateus e pagãos a lutar por Portugal. Não me parece que possamos fazer muito mais do que isso, porque corremos o risco de ganhar os pagãos e os ateus à custa dos cristãos. E quando se olha para os dois lados dessa balança num país onde 90% das pessoas ainda dizem acredita em Deus, acho que estamos a correr um grande risco!

Renato Santon disse...

Escutem colegas, nem vale a pena perder tempo com esses blogues todos citados.

(Isso é um off-topic meu exemplificando as barbaridades que se encontra por lá)

No blogue do "ervilha" eu só vou lá para dar boas risadas e brincar com os neo-nazistas. Aquilo não tem nexo nem sentido, é uma reunião de fracassados e desempregados.

Olha esse "debate" com o Bruno, eu tentando fazer eles largarem o neo-nazismo, essa é engraçada:

Thor24 de fevereiro de 2016 às 20:13
ele é que começou com essas merdas.
nem sei quem é que lhe foi dizer que eu não tenho namorada, e mesmo que não tivesse, não percebo que porra é que isso interessa aqui ou que importância é que isso tem.
(...)
mas eu percebo onde ele quer chegar, quer fazer-nos desistir da causa que ele tanto detesta com sofismas e apelos emocionais (só te apegas à "causa" porque não tens namorada)
bem, sendo assim ele também não deve ter namorada.

*Detalhe para o TAMBÉM não deve ter namorada. Esse sujeito é um gênio.

Sabemos agora, com 100% de acerto, que o Bruninho deve estar na "seca" faz um bom tempo, e isso explica e muito o seu comportamento recente e a fixação por Hitler.
_


Essa querela entre cristãos e pagãos é coisa antiga, porém no blogue do Ervilha estão buscando fazer uma pseudo-conciliação entre Hitler e o cristianismo, procurando trechos de discursos do genocida nos quais ele exalte a fé cristã ( quando sabemos que Hitler tinha uma imenso viés ocultista e buscava restaurar as tradições germânicas pagãs)

O objetivo estratégico deles é impossível, que é criar um arremedo de teoria que possa unificar o cristão português e latino com o culto a Hitler e a perseguição desenfreada a judeus.
Não foram poucas vezes que li o Bruno e outros pregando morte a todos os judeus naquele blogue.

De qualquer maneira para mim religião não é assunto estatal, é decisão individual nos estados laicos. Qualquer coisa diferente disso nos aproximaria do totalitarismo e o que é até pior, dos regimes árabes teocráticos.

Nossa civilização que já teve Descartes, Voltaire, Nietzsche... e agora alguns querem voltar para as cavernas da ignorância.

Afonso de Portugal disse...

«Sabemos agora, com 100% de acerto, que o Bruninho deve estar na "seca" faz um bom tempo, e isso explica e muito o seu comportamento recente e a fixação por Hitler.»

É realmente curioso, os misóginos escolhem tipicamente ídolos machistas, mas o Bruno do Bigodinho Mexicano decidiu consolar-se com um ídolo genocida. Um caso de estudo muito interessante para os seus psiquiatras...


«quando sabemos que Hitler tinha uma imenso viés ocultista e buscava restaurar as tradições germânicas pagãs»

Exactamente. Esse é, aliás, um dos problemas clássicos dos nacional-socialistas, eles apenas procuram informação que valide as suas convicções ideológicas. Rejeitam logo à partida quaisquer fontes que deitem por terra a sua mundivisão, independentemente da sua pertinência e veracidade factual.

No caso dos teóricos da conspiração, essa negação das evidências contrárias adquire contornos verdadeiramente paranóicos, com o sujeito a encarar a informação oposta como a validação definitiva das suas convicções estapafúrdias. Por exemplo, o Brunácio acredita mesmo que os Protocolos dos Sábios de Sião são reais, ou que o 11 de Setembro foi uma conspiração da Mossad. Mas ele não acredita apenas devido àquilo que ele julga serem provas, ele acredita sobretudo porque a elite académica mundial rejeitou categoricamente essas ideias. E para os Brunácios, essa é a derradeira confirmação de que há uma conspiração, toda a gente está a tentar esconder "a verdade", pá!


«Não foram poucas vezes que li o Bruno e outros pregando morte a todos os judeus naquele blogue.»

Sim, eu também reparei nisso ao longo dos anos, por vezes de forma velada, outras vezes de forma bem explícita. Sobre Israel, por exemplo, o Bruno começou por dizer que não temos nada a ver com o assunto. Que devemos deixar Israel e os Árabes resolver as suas diferenças entre si. Quando eu fiz notar que a destruição de Israel implicaria uma nova vinda dos israelitas para a Europa ou então a morte de todos os isrealitas, ele ficou super-defensivo, balbuciando atabalhoadamente "ai, isso não é problema nosso, isso não interessa a ninguém!"

O problema é que interessa e interessa muito! As consequências de uma eventual destruição de Israel seriam terríveis para a Europa, porque os líderes europeus quereriam imediatamente acolher os judeus que vivem actualmente no Médio Oriente. Estamos a falar de mais de 6 milhões de pessoas! Seria um caos!

Mas haveria outra opção... matá-los a todos! E eu estou convencido que é precisamente isso que o Bruno quer, apesar de nunca o ter dito explicitamente. Por exemplo, o Bruno nunca foi capaz de condenar o encontro entre Mohammed Amin al-Husseini, o Mufti de Jerusalém, e o Adolfo Hitler, em 1941. Esse encontro teve como objectivo específico a obtenção de apoios para acabar com os judeus do Médio Oriente.

Tudo isto apenas demonstra a estupidez monumental do sujeito: já há milhões de judeus a viver no Ocidente, destruir Israel apenas faria com que passasse a haver ainda mais, mas agora sem qualquer possibilidade de serem reenviados para o Médio Oriente. Fica também demonstrado que ele, tal como seu ídolo de bigodinho, não passa de um genocida sanguinário cujo único objectivo de vida é matar judeus.





João José Horta Nobre disse...

«Não me parece que possamos fazer muito mais do que isso, porque corremos o risco de ganhar os pagãos e os ateus à custa dos cristãos. E quando se olha para os dois lados dessa balança num país onde 90% das pessoas ainda dizem acredita em Deus, acho que estamos a correr um grande risco!»

Os cristãos já são uma minoria. Estou a falar dos cristãos a sério, ou seja, os praticantes. Eu por exemplo, nos censos também estou registado como cristão, mas não o sou. Já fui cristão e deixei de o ser, porque comecei a estudar a história do Cristianismo e depois aprofundei o aspecto teológico e percebi que o Cristianismo - a par do Islão - é possivelmente a maior fraude da história humana.

Há dias estava num café com amigos a beber um copo e reparei que ali à mesa, nenhum de nós era cristão, mas todos estávamos a contar nas estatísticas como cristãos...

A Igreja hoje é isso mesmo caro Afonso, um tigre de papel. Não passa disso, o seu poder e glória já desapareceram há muito e não voltam mais. Como patriota, não quero ver o meu País entregue a uma seita medieval, porque acredito que essa gente ultra-cristã representa mesmo uma ameaça para todos os patriotas. Querem usar os nacionalistas para atingir os seus objectivos políticos que são acima de tudo os de restaurar a força antiga da Igreja e colocá-la novamente no poder. No fundo, não passam de traidores, pois estão ao serviço de um Estado estrangeiro chamado Vaticano...

Depois há outra questão. O Afonso há-de reparar que 99% do clero actual é internacionalista. Ora, como é que nós podemos dar sequer a mão a quem apoia aqueles que nos querem destruir?!? A Igreja é nossa inimiga em toda a linha e a semana passada, foi o próprio Papa Xico que excomungou colectivamente, de facto, todos os nacionalistas em conjunto com o Donald Trump.

Abraço

João José Horta Nobre disse...

Caro Renato Santon e Afonso, caguem para essas disputas entre nazis e semitas. Isso só nos prejudica, eles que se entendam entre eles.

Não vale a pena perder tempo com os lunáticos dos ervilhas e companhia limitada...

Afonso de Portugal disse...

«Como patriota, não quero ver o meu País entregue a uma seita medieval, porque acredito que essa gente ultra-cristã representa mesmo uma ameaça para todos os patriotas.»

Certo, eu não discordo desse objectivo, discordo apenas da estratégia. Devemos atacar os clérigos, não os fiéis. Denunciar os clérigos faz os fiéis abrir o olhos, atacar os fiéis fá-los ficar de pé atrás. O FireHead e o Sr. Hamsun, por exemplo, têm-se fartado de criticar o Papa Chico(-esperto) e se todos os cristãos tivessem a mesma clarividência provavelmente a Igreja funcionava de outra forma.



«Querem usar os nacionalistas para atingir os seus objectivos políticos que são acima de tudo os de restaurar a força antiga da Igreja e colocá-la novamente no poder.»

Provavelmente isso é verdade, mas eu ainda não estou totalmente convencido. Acho que há alguns cristãos que são de facto traidores, mas há outros estão genuinamente convencidos que o Cristianismo é uma força benigna e querem apenas preservar a identidade portuguesa. É preciso ter presente que há pessoas que foram educadas desde tenra idade para serem cristãs e isso cria laços emocionais e afectivos muito fortes para com o Cristianismo. E depois há outros fenómenos ainda mais complicados, de índole sócio-cultural.

Por exemplo, os meus pais cresceram em pequenas localidades do Norte do país e contam que, durante a maior parte da sua vida, qualquer pessoa que não fosse regularmente à missa aos domingos era mal vista pela comunidade. Havia sté pessoas que chegavam a recusar cumprimentar, fazer negócios com ou a servir pessoas tidas como "hereges".

E embora este fenómeno se tenha esbatido consideravelmente nas últimas décadas, eu sei por experiência própria que ainda acontece. Em certos círculos sociais, organizacionais e familiares, não ser cristão praticante ou simplesmente dizer mal da igreja pode trazer grandes dissabores às pessoas. É por isso que eu ainda não estou preparado para declarar todos os cristãos como meus inimigos. Alguns ainda estão reféns da sua educação e circunstâncias de vida.


«O Afonso há-de reparar que 99% do clero actual é internacionalista. Ora, como é que nós podemos dar sequer a mão a quem apoia aqueles que nos querem destruir?!?»

Há que perceber que os cristãos nacionalistas vêem o clero como uma cambada de oportunistas traidores. Talvez não todos, mas uma grande parte. Não acredito que o José Pinto-Coelho, por exemplo, que é um católico assumido, tenha gostado de ouvir aquilo que o Bergoglio tem dito ao longo dos anos.

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Não vale a pena perder tempo com os lunáticos dos ervilhas e companhia limitada...»

Eu também acho que não, mas como o Renato chegou recentemente a este lado da blogosfera e até agora só tinha lidado com Brunácios, convém que ele tenha conhecimento dos podres do outro lado.

Não é que o Renato precise, que ele já demonstrou ser muito inteligente e percebeu perfeitamente as nulidades que estão do outro lado. Mas como eles agora fazem ameaças e depois apagam (o aspirante a delinquente que assina como "Thor" andou a ameçar o Caturo com agressões físicas, mas depois apagou tudo não fosse alguém meter a polícia ao barulho, que era exactamente o que ele merecia) convém que o seu comportamento vá ficando registado nalgum lado.

Abraço!

João José Horta Nobre disse...

«Por exemplo, os meus pais cresceram em pequenas localidades do Norte do país e contam que, durante a maior parte da sua vida, qualquer pessoa que não fosse regularmente à missa aos domingos era mal vista pela comunidade. Havia sté pessoas que chegavam a recusar cumprimentar, fazer negócios com ou a servir pessoas tidas como "hereges".

E embora este fenómeno se tenha esbatido consideravelmente nas últimas décadas, eu sei por experiência própria que ainda acontece. Em certos círculos sociais, organizacionais e familiares, não ser cristão praticante ou simplesmente dizer mal da igreja pode trazer grandes dissabores às pessoas. É por isso que eu ainda não estou preparado para declarar todos os cristãos como meus inimigos. Alguns ainda estão reféns da sua educação e circunstâncias de vida.»

Agora já percebi tudo!

Reparei hoje que a maior parte das pessoas que me criticam e atacam, ou são do Norte, ou então são de famílias do Norte.

Eu, pelo contrário, sou algarvio e a minha família é 100% algarvia. Os algarvios e os alentejanos são os maiores hereges do País. Trata-se do "sul revolucionário". Já ouvi muita gente cá em baixo, mesmo até os mais velhos, a gozarem e a fazerem troça da religiosidade das pessoas do Norte. Nós nem sequer conseguimos levar esse pessoal ultra-religioso a sério...

Há uma profunda divisão religiosa entre o Sul e o Norte do País. Portugal só é um País católico no Norte, aqui no sul revolucionário, pode-se falar mal da Igreja à vontade que muito poucos se vão importar com isso...

João José Horta Nobre disse...

«Mas como eles agora fazem ameaças e depois apagam (o aspirante a delinquente que assina como "Thor" andou a ameçar o Caturo com agressões físicas, mas depois apagou tudo não fosse alguém meter a polícia ao barulho, que era exactamente o que ele merecia) convém que o seu comportamento vá ficando registado nalgum lado.»

O Thor também me ameaçou a mim, mas eu estou disposto a enfiar-lhe um taco de basebol pelo cu acima se ele quiser...

Renato Santon disse...

Sim, é fato que o Bruno, o nazi sem namorada, ameaçou o Caturo de morte na base do ferro ( no linguajar de marginal dele ferro é revólver).

Certamente não é homem para cumprir a ameaça, mas jurou de morte o Caturo do blog Gládio, disse com todas as letras que iria resolver isso na base da bala.

Se ele apagou isso eu não vi.

Aquilo serve de sessão humorística e nada mais. Mas no ponto que ele ameaça duas pessoas de morte a coisa talvez... não dê mais para levar na brincadeira.
Mas olhe a que ponto a coisa vai, que descontrole emocional esses nazi tem. Basta falar duas palavras contra Hitler que viramos inimigos mortais.


Sobre a Igreja concordo com o Horta Nobre, é de viés internacionalista e jamais foi nacionalista ou tradicional.

A guerra do Papa contra Donald J Trump foi emblemática nos últimos dias, um papa que após se encontrar com um KGB em Havana, um dia depois tenta interferir nas eleições americanas.

Pena que o santo padre foi desmoralizado, Trump ganhou de goleada.

Agora a maneira correta de levar os cristãos é complexa, se por um lado o voto da direita nem sempre é muitas vezes cristão, por outro se o candidato conservador não tocar nos pontos cruciais como aborto, gays, imigração, religião, ele acaba sendo considero fraco e não recebe a adesão dos eleitores.
Será considerado um covarde, um homem que fica em cima do muro, e as pessoas querem personalidades fortes para votar.

Os cristãos devem ser incluídos como parte do eleitorado e terem suas pretensões atendidas em certa parte, mas sem jamais serem colocados como prioridade e para isso podemos utilizar a boa justificativa do caráter secular da nação e da liberdade religião e pensamento.

Renato Santon disse...

Isso já passou dos limites da brincadeira virtual, recomendo um print dessa latrina chamada blog do ervilha no qual é pregado ABERTAMENTE o genocídio e esterilização de judeus.

Isso seria uma bobagem qualquer de internet se ele não estivesse realmente planejando agredir o Caturo e mais um outro, incluso esse sujeito já falou em explodir bombas e resolver a situação (políticos) pela violência em Lisboa.

É caso de polícia tanto ele como o "ervilha";

http://gangdaervilha.blogspot.com.br/2016/02/o-que-pensa-maioria-dos-judeus-sobre.html#comment-form

Só para confirmar, o tal Bruno afirma que vai cumprir as ameaças que prometeu:

Thor27 de fevereiro de 2016 às 13:17
já experimentei. experimentei isso muitas vezes.
experimentei em discussões com esses dementes sionistas, ignorar os insultos grotescos deles e continuar na minha a dizer o que tenho a dizer.
mas parece que, quanto mais uma pessoa ignora e segue em frente, mais os insultos sobem de tom e de gravidade, ao ponto de deixarem de utilizar insultos normais como "atrasado mental" ou "filho da puta" e insultos desse género que não perturbam ninguém, para começarem mesmo a usar cyber bullying, bocas e especulações sobre vida pessoal, comentários idiotas sobre o aspecto físico (mentirosos, mas enfim...)
é tudo mentiras, mas há muita gente a ler e muito filho da puta à espreita que lê e acredita.

eu experimentei isso tudo, mas não dá. com esta escumalha sionista não dá mesmo. quanto mais uma pessoa ignora, mais uma pessoa é grotescamente insultada, porque lhes fere imenso uma pessoa ignorar os insultos deles e continuar em frente, porque os insultos são precisamente destinados a "escorraçar" a pessoa e fazê-la desanimar e desistir pela força.

Brunos, namoradas, empregos, queixos pequenos, olhos assim e assado, é tudo cyber bullying criminoso e patológico de psicopatas sionistas que devem ser expulsos imediatamente do nosso espaço ou mesmo perseguidos e agredidos fisicamente, se necessário for.

e não vou apagar este comentário por "medo da polícia" como diz o escroque número um e delinquente número um, agente pago.

quando entramos por estes caminhos, isto deixa de ser "virtual", para passar a ser real. eles há muito que deixaram o caminho virtual para entrarem no real e no pessoal.
e portanto, as ameaças que eu fiz são justíssimas. e mais, vou cumpri-las."

__

Feio e grave, merece um print.
Tentando defender a liberdade de expressão e fazê-los desistir dessa boçalidade desumana chamada neo-nazismo acabei sendo "banido" pelo tal ervilha.
Apenas um neo-nazista tentando arregimentar seguidores cristãos para o lado dele, discorde... e quererão te matar. É isso.

Um grande orgulho essa ralé estar contra mim e os nacionalistas sérios.

E não demos ibope a esses bandidos.

Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Já ouvi muita gente cá em baixo, mesmo até os mais velhos, a gozarem e a fazerem troça da religiosidade das pessoas do Norte. Nós nem sequer conseguimos levar esse pessoal ultra-religioso a sério...»

Sim, parece haver uma maior tendência para a religiosidade à medida que se avança do Sul para o Norte. Mas o problema é não é tanto a crença em si, é pelo fenómeno social que a sustenta. Não consigo explicar porque é que isso aconteceu mais no Norte do que no Sul, talvez pela maior prevalência de mosteiros e conventos, ou talvez pela rivalidade histórica entre as dioceses portuguesas e galegas. De alguma forma, os nortenhos passaram a associar a religão à virtude. Felizmente, isso parece estar a perder-se.

Não creio, no entanto, que a defesa intrnsigente do Cristianismo seja um fenómeno exclusivo do Norte. O FireHead e o Sr. Hamsun, por exemplo, não são do Norte. Julgo que há nichos de forte religiosidade um pouco por todo o país.


«O Thor também me ameaçou a mim, mas eu estou disposto a enfiar-lhe um taco de basebol pelo cu acima se ele quiser...»

É melhor não ir por aí, porque o cretino é capaz de gostar dessas coisas!


«Certamente não é homem para cumprir a ameaça, mas jurou de morte o Caturo do blog Gládio, disse com todas as letras que iria resolver isso na base da bala.»

E convém que isso fique bem registado para que toda a gente veja a valenta merda covarde e nojenta que ele é!

Afonso de Portugal disse...

Aliás, ainda a propósito do aleijadinho do ex-ariano, mais uma vez se confirma a sua grande cara-de-pau e os motivos pelos quais não devemos perder tempo com ele. Repare-se bem: foi ele que foi falar de mim e do Caturo para o blogue da ervilha, numa altura em que ninguém estava a falar dele no Gladius ou aqui no TU. Foi ele -e só ele- que ameaçou espancar o Caturo e até matá-lo. E agora vem dizer, cheio de moral, que nós é que não o deixamos em paz? É preciso ter lata!

Diz que o insultamos, como se ele nunca tivesse insultado ninguém! Logo ele, que chegou até a gozar com o aspecto físico do Caturo e a dizer sem qualquer pudor: "ai, tu não sabes quem eu sou, mas eu sei quem tu és!"

Claro qe depois veio o karma e o porco mal lavado foi apanhado numa sala de computadores da Universidade Clássica de Lisboa, a rir-se como um deficiente mental de uma foto do Caturo que apanhou na net. Consta que olhou para ela durante mais de 10 minutos, acompanhando a visualizaço com risinhos, chiliques e tiques nervosos. As pessoas que o fotografaram mal podiam acreditar no ridículo a que estavam a assistir. E todos puderam verificar quem é que tem cara de alógeno afinal, além de uma total falta de vergonha e de carácter.

A partir desse ponto, o Brunoio saloio com cérebro de poio ficou completamente transtornado e cheio de sede de vingança. Mas está muito enganado se julga que mete medo a alguém. Desde logo, porque todos sabemos a valente merda desprovida de coluna vertebral que ele é, um cobardolas ranhoso e frustrado

Mas sobretudo porque se alguém aqui merece uma valente tareia é ele. Foi ele que foi ao Gladius e ao TU tentar gozar com as nossas caras. Levou o troco retórico merecido! Agora diz que quer passar para a estalada, logo ele, que já fugiu pelo menos duas vezes de confrontos directos: numa ocasião, outro nacionalista desafiou-o para se encontrarem os dois em Entrecampos (Lisboa). O Bruno concordou, mas depois -"surpresa"!- nunca chegou a aparecer! Noutra ocasião, o invertebrado cacarejante do Bruno chegou mesmo a dizer que jamais iria a um jantar nacionalista porque "poderia ser sovado por algum bisonte"! E é "isto" que agora anda a dizer que vai bater no Caturo!

Agora o gebo castrado e desonesto acusa-me de eu o ter ameaçado de morte por eu ter dito que aqueles que desprezam a ameaça islamista merecem sofrer as consequências às mãos dos terroristas! Diga-me por favor, caro Renato, se você consegue ver aqui alguma ameaça contra o Bruno:

http://totalitarismouniversalista.blogspot.pt/2014/09/foi-ha-treze-anos.html

Ou então por eu ter dito ninguém é realmente anónimo na net, como se isso fosse alguma mentira! As autoridades podem ver facilmente os nossos IPs e descobrir rapidamente quem somos, é um facto!

É por isso que não podemos perder nem mais um segundo com este animal. Ele distorce tudo o que dizemos e envenena tudo por onde passa. No fundo não passa de uma criança mimada, de um pobre coitado que nunca conseguiu passar à idade adulta. Uma verdadeira sanguessa emocional, como eu digo sempre. Ou então é exactamente aquilo de que nos acusa: um agente pago para dividir os nacionalistas. Eu não ficaria nada surpreendido!

Ignorêmo-lo de uma vez por todas. O que ele quer é precisamente esta atenção. Ele que se foda de uma vez por todas!

João José Horta Nobre disse...

Epa, isto aqui está mau. Já vi que essa tal Bruno agita as águas. Só não consigo perceber é como é vocês ainda prestam sequer atenção a um idiota desse calibre, ainda por cima um nazi assumido...

Afonso de Portugal disse...

«Só não consigo perceber é como é vocês ainda prestam sequer atenção a um idiota desse calibre, ainda por cima um nazi assumido...»

Agora é que o caríssimo JJHN disse tudo! Está na hora de reduzir o anormal àquilo que ele é: nada de nada!

A partir de agora, evitemos falar sobre ele. Renato, se estiver a ler isto, peço que não coloque aqui mais nada sobre o Bruno. Cada vez que falamos sobre ele estamos a dar-lhe exactamente o que ele quer, tempo de antena que ele não merece e que só serve para alimentar o seu transtorno de personalidade.

Eu acabei de adicionar o Renato no Google+. Se for mesmo necessário contactar-me por causa do Brunácio devido, por exemplo, a ameaças graves no blogue das ervilhas, peço que me contacte por mensagem privada no Google+. Se não souber como fazer isso:

http://www.wikihow.com/Send-a-Private-Message-on-Google%2B

Estou a falar a sério! Não levem a mal, mas não vou publicar nem mais uma linha sobre o desgraçado neste espaço. Este anormal não merece sequer a nossa consideração. Estamos a lidar com um frustrado crónico que julga que ainda está na escola secundária e que mete medo a homens feitos com as suas ameaças infantis e o seu bravado ridículo. Acabou!

Bilder disse...

Desculpem lá mas não posso deixar de dizer a respeito da Igreja católica romana(seja qual for a tendência ao longo dos séculos,mais conservadora ou mais liberal)que sempre foi um empreendimento universalista(mundialista ou globalista etc)e que suas estratégias foram sempre com essa ideia em mente(e no fim de contas os "nacionalismos" cristãos,como é bom exemplo Portugal,foram apenas instrumentos para avançar o catolicismo romano(cristianismo imperial).Aliás sabem o que significa Igreja Católica?Vão lá pesquisar se não sabem.

Anónimo disse...

Bilder, concordo em partes, mas há algumas questões a serem consideradas.

A igreja católica nos séculos anteriores representava uma cultura européia e uma civilização tradicional, a supremacia européia sobre o mundo.

Já atualmente temos o contrário, a doutrina católica foi transmutada gradualmente em algo insípido, muito parecido com os ditames da ONU, o politicamente correto, o culto aos falsos direitos humanos.

O catolicismo de identidade imperial européia que aculturava selvagens passou a ser co-irmão desses selvagens, transmutando-se em um culto semi-ecumênico terceiro mundista.
Não há mais identidade cristã, apenas princípios vazios de dogmática, que cada vez mais são preenchidos pelo conteúdo marxista, atualmente o Papa Francisco defende abertamente gays, lésbicas, o comunismo na Bolívia, defende os democratas progressistas nos EUA, faz acordo com Ex-KGB russo em Havana.
Diante do que estamos senhores ? Que farsa é essa ?

Já passa da hora de descartar o cristianismo como religião pois ele nada mais nos diz, e acabou acontecendo aquilo que os positivistas queriam e prenunciavam a substituição da religião pelo Império da Lei no âmbito social. Só espero que não sejam leis socialistas.

Renato Santin (desde um outro computador)

Afonso de Portugal disse...

«Não há mais identidade cristã, apenas princípios vazios de dogmática, que cada vez mais são preenchidos pelo conteúdo marxista, atualmente o Papa Francisco defende abertamente gays, lésbicas, o comunismo na Bolívia, defende os democratas progressistas nos EUA, faz acordo com Ex-KGB russo em Havana.
Diante do que estamos senhores ? Que farsa é essa ?
»

É a evolução natural de um credo que já não tem praticamente fiéis entre os europeus e que, por isso mesmo, está a tentar ir buscá-los a outras paragens. Este papa Chico é de longe o mais descarado, mas a tendência de abertura ao terceiro-mundo por parte da igreja já vem de longe.


«Só espero que não sejam leis socialistas.»

Infelizmente, serão provavelmenteleis socialistas para a classe média e leis capitalistas para os ricos. A superclasse está a conseguir conciliar as duas visões de forma a retirar o máximo proveito.

Veja-se a "crise dos refugiados", por exemplo. Utilizam-se argumentos humanitários (coitadinhos, fugiram à guerra, precisamos ajudá-los) e socialistas (os imigrantes são necessários para a manutenção do estado social) juntamente com argumentos capitalistas (é preciso manter um custo de mão-de-obra competitivo). No final quem lucra são sempre os mesmos. O povo sempre se ferra!