domingo, 20 de dezembro de 2015

O PNR denuncia as promessas que Costa cumpre e também as que não cumpre...


I. As promessas que Costa cumpre

«Na conferência final da última cimeira de 2015 de chefes de Estado e do Governo da União Europeia (UE), António Costa informou ter participado numa reunião de vários Estados-membros com o Primeiro-Ministro turco, Ahmet Davutoglu, e manifestou "disponibilidade para poder acolher refugiados".


Para estas questões, Costa cumpre as promessas. No que toca a ajudar os portugueses, ou não há condições, ou dá aumentos de miséria


II. As promessas que Costa NÃO cumpre

«Os aumentos para as pensões mais baixas, propostos pelo actual governo, são uma gota-de-água e não respondem às reais necessidades dos pensionistas. Ficámos a saber que os pensionistas mais necessitados podem, doravante, tomar café ou nalguns casos, uma meia-de-leite com um pão às secas.


O governo diz que é o aumento possível. Pelo nosso lado, não temos dados para o avalizar, mas temos voz para denunciar a propaganda mentirosa e trauliteira do fim da crise, porque, com estes aumentos, a crise está aí e é para durar! 

O PNR apresentou soluções para aumentar todas as reformas para a casa dos 600 euros e consequentemente reavaliar todas aquelas que não conferem dignidade de vida a quem muito trabalhou e não deveria passar necessidades. Para tal, devia cortar-se nas pensões mais altas a fim de se encontrar o equilíbrio e se resolver  muitos dos problemas da nossa Segurança Social.

Mas os partidos do sistema, e mesmo a Esquerda falaciosa, não têm coragem para o fazer, já que teriam de mexer no bolso de muitos dos seus boys. A melhor prova de que, ao darem um aumento de miséria, não têm pejo de acautelar os seus benefícios, é dada pela aprovação, para breve, da proposta que acaba com a suspensão da atribuição de subvenções a ex-políticos, que tenham rendimentos superiores a 2.000 euros.

Mas estes aumentos “à la Esquerda”, mostram, também, outra face desta classe política. Mostram que esta gente, com a cabeça toldada pelo igualitarismo, trata o igual como desigual e o desigual como igual. Seria de esperar que os aumentos maiores fossem para as pensões mais baixas. Mas como maus governantes que são, privilegiam os aspectos quantitativos e metem na gaveta os qualitativos. Desta forma, o fosso entre as pensões aumenta, porque todos foram tratados com a mesma bitola.

«A montanha pariu um rato» e a Esquerda vai provando que não é solução. É certo que, estando o país à beira do abismo, temos de ser contidos nas contas públicas, mas então, têm de dar o exemplo. Cortem nas pensões altas, cortem nos benefícios dos titulares de cargos públicos, cortem nos benefícios aos partidos. Assim, o exemplo vem de cima e sempre se arranja algum dinheiro para melhorar a vida de quem muito precisa.

Mas este discurso só é defendido pelos nacionalistas, daí o pânico que se instala nos poderes instituídos, quando algum partido nacionalista aumenta a sua expressão eleitoral.

Os mundialistas de Direita, porque defensores do globalismo económico e financeiro e os mundialistas de Esquerda, porque defensores do globalismo social e cultural, tremem de medo perante os patriotas e, qual “meninos chorões agitam todos os papões” que inventam para enganar o povo. Adiam apenas o “amanhecer europeu”, pois o povo somos nós. Os nacionalistas, porque herdeiros da tradição dos heróis de outrora são a esperança e a luz para um povo explorado, farto de mentiras e cada vez mais descrente da partidocracia, da falácia romântica do igualitarismo e do politicamente correcto.

Com o crescimento do nacionalismo, estamos diante de uma nova Era, com mais Pátria e mais Justiça Social!»

4 comentários:

João José Horta Nobre disse...

Não basta levar a elite a julgamento, é preciso também condená-la à morte:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2015/12/a-filha-da-putice-das-elites-reinantes.html

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Afonso de Portugal disse...

João José Horta Nobre disse...
«Não basta levar a elite a julgamento, é preciso também condená-la à morte»

Até pode acrescentar mais uma traição à lista constante nesse seu texto Professor: o Costa vai mesmo tentar o tal Espaço Schengen da Lusofonia!

http://www1.folha.uol.com.br/bbc/2015/12/1720671-portugal-quer-liberdade-de-circulacao-e-residencia-entre-paises-lusofonos.shtml

http://noticias.terra.com.br/mundo/portugal-quer-liberdade-de-circulacao-e-residencia-entre-paises-lusofonos-brasil-enxerga-ideia-com-cautela,02c42e400e0ef96d3cb74577f3b5a4d9gsg8edh8.html

Afonso de Portugal disse...

O comentário deixado a 20 de Dezembro de 2015 às 21:07 foi eliminado porque o Monhé Costa está permanentemente banido deste blogue.