sábado, 8 de novembro de 2014

Terroristas do ISIS tinham avisado a família do jihadista abatido recentemente


«Foi a família de Sandro Monteiro, mais conhecido em Monte Abraão (Sintra) como ‘Funa’, que informou as autoridades portuguesas da morte do jovem jihadista, de cerca de 30 anos. Os familiares dos outros portugueses que continuam na Síria pedem o regresso dos jovens.»

Eles pedem o regresso, eu peço que nunca mais regressem. Enfim, idiossincrasias...

«A família de ‘Funa’ terá sido avisada pelos amigos de Sandro, também eles jihadistas, que se encontram na Síria a lutar pelo Estado Islâmico (ISIS). Mas a notícia também pode ter sido transmitida pelos líderes da organização terrorista, que controlam de perto os acessos aos emails e redes sociais dos recém-recrutados.

"Estando o português no ISIS, e sendo esta organização terrorista de base territorial, dificilmente haveria um aviso oficial às autoridades portuguesas", explicou o presidente do Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo (OSCOT), Rui Pereira.
 

A morte de Sandro Monteiro, de origem cabo-verdiana mas nascido em Portugal, na sequência de um bombardeamento aéreo das forças da coligação, em Kobane, no fim de Outubro, veio reforçar o sentimento de apreensão nas famílias dos jihadistas lusos.»

Que comovente, até tenho uma lágrima no canto do olho... ops, afinal era só uma pestana!

No Facebook, são muitos os pedidos para que Fábio Poças, de 22 anos, volte para casa. O jovem deixou em Mem Martins (Sintra) a mãe e duas irmãs gémeas e não tem contacto com a família. 

 "Tenho muitas saudades tuas mano", escreveu uma das irmãs na legenda de uma fotografia em que aparece ao lado de Fábio Poças. Logo surgiram inúmeras mensagens de apoio e esperança: "Deus vai trazê-lo de volta." Os bombardeamentos massivos que têm ocorrido nas últimas semanas, sobretudo em Kobane, têm provocado elevadas baixas nas fileiras do ISIS. Esta forma de ataque é um golpe brutal nas reservas do grupo terrorista, dado que é difícil substituir de imediato os jihadistas por novos combatentes. (...)


De navio para a guerra

Os candidatos a jihadistas que pretendem juntar-se às fileiras radicais na Síria e no Iraque estão a viajar cada vez mais em navios de cruzeiro para iludir os controlos apertados nos aeroportos internacionais. As viagens são reservadas para países próximos, como a >>Turquia<<, de onde é fácil chegar aos países em conflito.

O alerta partiu da Interpol, que sugere o alargamento aos navios de cruzeiro do tipo de controlo de listas de passageiros actualmente realizado nas viagens aéreas.

A Turquia assegura estar a cooperar no controlo do terrorismo e diz ter deportado nos últimos meses centenas de suspeitos jihadistas detidos em aeroportos e em estações de autocarro.»

Comentário do blogueiro: portanto, temos aqui vários assassinos da pior espécie, que deviam ser julgados por crimes contra a humanidade mas, ainda assim, a nossa imprensa degradante insiste em tentar fazer deles coitadinhos! Entendam uma coisa, "jornalistas" da "Tugolândia": os portugueses não querem os animais do ISIS de volta e não vão passar a querê-los independentemente do vosso relativismo cultural!

Entretanto, vale a pena verificar que estes terroristas tugas, como bons animais islâmicos que são, já tiveram vários filhos apesar de ainda serem relativamente jovens:


 Continuemos pois a acolher esta gente sem qualquer restrição, portugueses. A seu tempo, eles vão certamente agradecer-nos da maneira que melhor sabem: cortando-nos as cabeças ou sujeitando-nos à dimitude.

____________
Ver também:   

Secretas vigiam regresso de jihadistas a Portugal
"Dois ou três" portugueses no Estado Islâmico querem regressar a Portugal
Jihadistas "tugas" ligados aos vídeos do ISIS
Doze perguntas e respostas sobre os portugueses na Jihad
Mais "portugueses" a caminho do Estado Islâmico (ISIS)
Mais cinco "portugueses" aderem ao terrorismo islâmico
Ângela, a "noiva da jihad" tuga, casou-se na Síria
No Algarve: fã de Bin Laden tinha arsenal e queria ir para a Síria

1 comentário:

Anónimo disse...

sinceramente falao tanto dos portugueses que forao para siria que sao assassinos bandidos sao rebeldes ? enquanto aqui perto de nós existe pessoas matando sem dó nem piedade matao-se uns aos outros pai mata a catanada a filha ,filho mata o pai avó viola a neta filho mata a mae matao-se por 5 euros e ainda tém medo dos que estao longe? tu que so sabes fazer comentários sem saberes na realidade o que acontece ou acontecerá em teu redor pensa bem antes de o fazeres pensa na tua familia no teu sobrinho no teu filho e se fores uma pessoa sozinha na vida luta simplesmente para seres feliz para teres o que é teu pois tambem podes cair no erro de dar um passo em falso e ai estaras morto ninguem te defende ninguem te levanta as luzes se apagao tens que lutar no escuro fingir de morto para poderes subreviver e assim é a vida