segunda-feira, 30 de julho de 2018

Amanhã, pelas 12h30: o PNR vai protestar contra a hipocrisia monumental do Bloco de Esterco


     Julgo que todos os meus leitores portugueses estarão ao corrente do Caso Robles, que é um exemplo bem ilustrativo da verdadeira natureza dos políticos de Esquerda. Mas, para os meus leitores brasileiros e para aqueles que eventualmente tenham estado de férias isolados do resto mundo, aqui fica um excelente resumo feito pelo José Manuel Fernandes (sim, ele é um direitinha mas, neste caso em concreto, está 100% certo):




E um outro vídeo em que fica perfeitamente demonstrada a hipocrisia e o cinismo do artista:




Eu nem ia mencionar este caso aqui no TU porque, felizmente, a direitinha portuguesa condenou em uníssono esta grande pouca-vergonha nos mé(r)dia. Só que o único partido de verdadeira oposição em Portugal, o nacionalista Partido Nacional Renovador (PNR), decidiu ir mais longe e usar as tácticas da Esquerda contra a Esquerda:



Brilhante, simplesmente brilhante! Esta acção terá lugar amanhã e eu apelo a todos os lisboetas com disponibilidade que compareçam! Na sua página de Facebook, o PNR explicou o evento desta forma:
«Se temos esta vergonha de políticos medíocres, vigaristas e aldrabões, é porque há quem vote neles. A culpa é dos eleitores, que parece que gostam de ser roubados.
Nós não! Lutamos pela justiça e pela ética nos cargos públicos. Não toleramos esta constante pilhagem ao erário público, por parte dos "pulhíticos" do sistema, aldrabões e hipócritas, que se servem dos cargos em vez de servirem.
No dia 31, às 12:30 horas, vamos "oKupar" o prédio do político de Extrema-Esquerda-caviar.
Venha connosco mostrar a justa indignação daqueles que não são cúmplices desta imoralidade.»

Notem que o emprego do "k" em "okupar" é uma ironia deliberada que visa satirizar a incoerência dos movimentos "okupas" da extrema-esquerda, que se calaram que nem ratos perante o Caso Robles. Deixo também aqui este pertinentíssimo comentário de João Pais do Amaral, o Vice-Presidente do Partido Nacional Renovador (PNR):

«Os milhões da hipocrisia
Ainda não percebi a surpresa acerca do negócio que o Ricardo Robles, do Bloco de Esquerda, concretizou. A Esquerda vive do capitalismo, vai buscar financiamento ao capitalismo, convive bem com o mesmo, não abdica do luxo, das comodidades, da vida fácil e até dos maneirismos. São muito polidos, educados e cheios de cursos universitários. Se virmos bem, estes “representantes” do povo, não sabem o que é o trabalho, vivem das negociatas e da especulação que tanto criticam, mas estão sempre dispostos a repartir a riqueza dos outros. Esta Esquerda e a sua extrema, são aquelas que se apoderaram dos despojos do 25 de Abril, os seus filhos e netos são os que hoje ditam as leis, controlam os meios de comunicação social e todo o aparelho produtivo do Estado para o qual todos nós contribuímos.


Os seus pais, os revolucionários, são os que controlam o capital, os capitalistas que lhes pagam as contas e lhes permitem ter uma qualidade de vida acima do resto da população. Os partidos do sistema estão repletos deles, numa dinastia democrática, em que só obtém título, aqueles que nasceram no seu seio ou estão dispostos a prostituírem-se em benefício próprio.
Hoje não existe Esquerda, extrema-Esquerda ou Direita. Existem sim, uns milhares de privilegiados, e seus descendentes, que se apoderaram do sistema partidário e que através do sistema eleitoral, com a conivência do pior do capitalismo e da comunicação social, vão-se mantendo no poder e partilham entre si os dividendos. Enquanto os portugueses trabalham por tostões, todos estes transpiram milhões.»

Aqui fica uma foto com a fachada do prédio em causa, para aqueles que quiserem participar na acção do PNR. Recordo que a morada é: Rua Terreiro do Trigo, nº 14, Lisboa.


Para aqueles que, tal como eu, não forem de Lisboa, deixo aqui um mapa com a localização do prédio (clicar na imagem para aumentar o seu tamanho). O prédio do Robles fica a escassos metros do Museu do Fado:


sábado, 28 de julho de 2018

Paul Joseph Watson: «São Francisco é uma merda!»
(com legendas)


     Em rigor, o Sr. Watson disse "shithole", que é calão para "retrete" ou para um local nauseabundo, mas vai dar ao mesmo: merda, literalmente merda! "Como assim, literalmente?" - perguntarão vocês. É simples, caros amigos, há cada vez mais MERDA, cocó, fezes, excrementos, caca, dejectos, estercos, trampas, enfim, o substantivo que vocês preferirem nas ruas de São Francisco! Porque será? Vocês até já estão a adivinhar, mas o Paulo das InfoWars confirma...

O vídeo tem um pequeno erro de tradução por volta dos 1m20s: 20 libras (unidade de massa) equivale a cerca de 9 quilos e não a apenas 9 gramas.

Acções de rua do PNR e das associações Escudo Identitário e Portugueses Primeiro


     Os movimentos nacionalistas portugueses têm estado a trabalhar bem nos últimos tempos. No passado dia 13 de Julho, um pequeno grupo de militantes do único partido nacionalista português (o PNR) fez uma contra-manifestação contra o racismo anti-branco da extrema-esquerda, em Lisboa. A contra-manifestação foi convocada com apenas 24 hora de antecedência, pelo que a comparência dos militantes em causa é absolutamente louvável. Excelente trabalho!



 Bela faixa, há que reconhecer! 😛


Pouco antes, nesse mesmo dia, a Associação Escudo Identitário tinha realizado uma acção excelente, com uma tarja enorme em plena Rua Augusta que depois foi içada sobre o Arco Triunfal, perto do Terreiro do Paço (muito obrigado! ao Paulo por me ter informado acerca deste evento):



A Associação Escudo Identitário explicou a acção desta forma:
«Esta foi uma acção que serviu para sensibilizar a população sobre o verdadeiro panorama nacional. Aquele que as agências de notícias e o Governo preferem ignorar, ou pior, ocultar.

Migrações em massa, falsos refugiados, substituição populacional são alguns dos pontos em que queremos abordar e informar com esta iniciativa.
Portugueses contra o fatalismo!»
De referir que a Associação Escudo Identitário tem estado muito activa recentemente, tendo realizado uma conferência e várias acções de rua, tanto em Lisboa como no Porto. Bem-hajam, razapes!


Por último, quero mencionar a sempre impecável Associação Portugueses Primeiro (APP), que continuou a sua campanha "Lisboa, não sejas francesa", com alguns activistas a distribuírem panfletos informativos e a falarem com diversos residentes, ouvindo a viva voz daqueles que ainda resistem, as suas preocupações e as ameaças que enfrentam, bem como as suas propostas para que se possa fazer algo para mudar o rumo das coisas. Com efeito, a APP promete lançar, nos próximos dias, um documento com as suas propostas, em forma de petição com carácter legislativo.




Ou seja, o Nacionalismo português está bem de saúde e recomenda-se cada vez mais! Apelo aos leitores do TU, sobretudo aos mais jovens, que se juntem a estas associações patrióticas e as ajudem a crescer ou, em alternativa, criem outras nas suas localidades! E não se esqueçam de apoiar o único partido nacionalista português, o Partido Nacional Renovador (PNR)!

Planned Parenthood = organização criminosa


     Este vídeo já tem uns mesitos, mas eu nunca o tinha publicado aqui no TU, pelo que mais vale tarde do que nunca. Parece que a maior organização abortadeira dos EUA, a Planned Parenthod, apoiada pelo partido "democrata" do mulato merdama e da pérfida bruxa hilária, não se fica apenas pela matança em grande escala de bebés indefesos... tal como sucede com todas as grandes multinacionais, o segredo está na diversificação dos "negócios", pá!

domingo, 22 de julho de 2018

Paul Joseph Watson: a verdade sobre os imigrantes (com legendas)


     Em mais um excelente vídeo, aliás, um dos seus melhores trabalhos de sempre, o Sr. Watson começa por mostrar-nos mais uma prova de que os sul-coreanos são de facto um povo extremamente inteligente:  quinhentos mil sul-coreanos (sim, 500 k, meio milhão!) assinaram uma petição contra a imigração muçulmana!!! Porquê? Porque os sul-coreanos têm estado atentos àquilo que se tem passado no Ocidente, sobretudo aqui na Europa... e não querem que lhes aconteça o mesmo que aconteceu a nós, os paspalhos dimiescos da Eurábia!

Pretogal: The Next Generation


     Como eu já praticamente já não vejo futebol, não fazia ideia de que a "nossa" selecção de sub19 está nas meias-finais do campeonato da Europa. Para os amantes da "diversidade", a notícia não podia ser melhor:



Eu conto 7 "jovens" e pelo menos 3 meios-"jovens" nesta fotografia, sendo que há vários outros com um aspecto bastante duvidoso... mas se os portugueses gostam disto, quem sou eu para protestar? Afinal, "o futebol é um desporto identitário, pá"! 😜

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Porque é que a imigração para o Ocidente não pode continuar indefinidamente


Via O Adamastor

     Aqui fica um vídeo muito interessante sobre a questão da imigração. Roy Beck, jornalista norte-americano, usa algumas centenas de pastilhas elásticas para explicar porque é que a imigração para o Ocidente (usando os EUA como exemplo) é insustentável. Recordo aos leitores que 1 bilhão (BR) = 1000 milhões (PT).

Esta apresentação já deve ter alguns anos, porque os números estão desactualizados. A população mundial que ainda vive em "pobreza abjecta" diminuiu consideravelmente nas últimas décadas, sendo agora menos de metade dos 3 mil milhões mencionados no vídeo, e com tendência para diminuir ainda mais no futuro. Mas a questão de fundo mantém-se: a imigração só será travada quando os países do terceiro-mundo se tornarem suficientemente desenvolvidos para conseguir reter as suas populações autóctones. E isso será o melhor para todos nós, ocidentais e resto do mundo.

O (des)governo da 'geringonça' quer acabar de vez com o Interior de Portugal


Vamos fazer como nas telenovelas e começar por recordar as cenas dos últimos capítulos:
Esta recapitulação é necessária para contextualizar melhor a medida verdadeiramente criminosa que o "nosso" (des)governo pretende tomar a seguir. Um muito obrigado! ao Nuno por nos ter trazido aqui esta notícia:
«O ministro do Ambiente defendeu este sábado que terá de se apostar numa política de imigração, para garantir que "não haverá territórios abandonados" no país nos anos mais próximos.
Face à evolução demográfica do país e ao facto de algumas partes do territórios nacional terem um número "exíguo de mulheres em idade fértil", a forma de garantir que não haverá territórios abandonados nos anos mais próximos passa por uma aposta numa "política de imigração", afirmou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.»

Ou seja, estes autênticos animais que nos (des)governam tiveram várias décadas para inverter a desertificação do interior, mas nunca o quiseram fazer. Agora, a pretexto de haver poucas mulheres em idade fértil -um cenário que nunca os incomodou no passado-, vão importar estrangeiros para zonas onde há poucos portugueses e assim operar uma autêntica substituição populacional!

Além de que já se sabe, a maioria dos iminvasores tendem a ser homens em idade militar. Tendo as zonas em causa poucas mulheres disponíveis para procriar, o que é que acham que vai acontecer às comunidades locais? 

«Para os territórios de baixa densidade não passarem a ser territórios abandonados, é necessário "pagar o conjunto de ecossistemas que dão ao país", assim como terem mais pessoas, "seja para actividades tradicionais", seja mão-de-obra para novos projectos empresariais.
 Os descarados dos mé(r)dia mostram-nos sempre famílías de refugiados...


...quando, na verdade, a maioria dos que vêm são "refugiados"!
Nesse sentido, o Governo, em conjunto com as câmaras municipais, vai "construir uma política de imigração activa para todas as áreas do território" nacional, "muito dirigida a estudantes, jovens qualificados ou reagrupamento familiar de trabalhadores agrícolas", além de continuar a apoiar uma "política de promoção da natalidade".
A atracção de pessoas para o interior é um dos dez objectivos do plano, sendo que João Pedro Matos Fernandes considera que territórios que são hoje de baixa densidade "muito provavelmente o serão no futuro", apesar da convicção do Governo de que o país vai ser "muito mais atractivo do que repulsivo nos anos mais próximos".»


Tendo em conta a explosão populacional africana (ver gráfico em baixo), qualquer pardieiro de Portugal vai passar a ser muito atractivo, quanto mais não seja como lugar de passagem ou porta de entrada na Europa! 

(bn = milhares de milhões, Fonte: Nações Unidas)

«O importante, vincou, é "separar em definitivo" o que é um território de baixa densidade do que é um território abandonado, sublinhando que é preciso regras para que nunca nenhuma das partes do país seja "um território abandonado".
O novo modelo territorial, "ao contrário do passado", deixa de ser exclusivamente urbano e passa a reconhecer "um conjunto de vulnerabilidades", vincou. (...) São reconhecidos três tipos de sistemas urbanos, um conjunto deles a valorizar, nomeadamente as áreas metropolitanas de Aveiro, Coimbra, Viseu e Algarve, que "são sistemas muito claros e que são sistemas âncora do ponto de vista da competitividade".

Percebe-se perfeitamente que a ideia destes filhos da mãe é redistribuir os imigrantes das zonas mais iminvadidas para as zonas menos iminvadidas, provavelmente com o intuito de diminuir os problemas decorrentes da "diversidade" e manter o povo português adormecido em lume brando durante mais tempo, usando a velha metáfora do sapo na panela ao lume...
«No que concerne às duas grandes áreas metropolitanas - Porto e Lisboa -, que "concorrem na cena internacional", será necessário "uma oferta de habitação muito alargada e acessível com base no mercado de arrendamento e um sistema de mobilidade muito mais sustentável e eficaz do que aquele que temos hoje".

E quem vai pagar tudo isto? Adivinhem!!!
«Relativamente ao interior, é necessário pensar-se que o interior não é homogéneo, sendo identificados "sistemas urbanos a consolidar, estruturados em torno das cidades médias que existem, e dois a valorizar que correspondem aos territórios mais frágeis", apontando para o Douro Superior e Internacional e o Pinhal Interior, zona muito afectada pelos grandes incêndios de 2017.»

Ou seja, justamente duas das regiões mais desertificadas e empobrecidas do nosso país, flageladas por décadas de emigração (com 'e', porque é para o exterior, para fora de Portugal) e com uma população dramaticamente envelhecida, vão ser escolhidas para receber hordas de iminvasores! Isto só pode correr bem, não é? Nem se está a ver o que vai acontecer aos autóctones nem nada, pois não?... Continuem a votar PS/PSD/BE/CDU/CDS/PAN, portugueses... depois não se queixem!

____________
Ver também:


Costa persegue os "refugiados" que fugiram de Portugal para a Alemanha 
Bosta das Índias: «Portugal precisa da imigração para resolver problema demográfico»
O Costa das Índias defende expulsão do PS de eurodeputado "racista"
O Costa das Índias quer que os árabes comprem dívida portuguesa!
Costa das Índias gaba portugueses emigrados no Catar e faz pedinchice aos árabes

domingo, 15 de julho de 2018

Acabou o Mundial de Futebol de 2018...


Espero que tenham gostado!... E não se esqueçam que "o futebol é um desporto identitário"! 😜

100% identidade! 100% França!!!


 "Hihihihihihi... chupem, nacionalistas! Globalism wins!"

sábado, 14 de julho de 2018

Se alguém ainda tinha dúvidas...


...o execrável Al-Público explica-nos claramente por que equipa devemos torcer na final de amanhã:


Além disso,
  • A Croácia foi injustamente eliminada pela selecção pretoguesa no Euro 2016. Os croatas foram claramente superiores aos "pretugas" durante praticamente todo o jogo, mas o cigano todo tatuado Quaresma estava em dia de grande mija e marcou ao cair do pano (minuto 117).
  • A Croácia já tinha chegado às meias-finais no Mundial de 1998, onde foi eliminada pela França mestiça do argelino Zidane por 2-1, mas conseguiu assegurar o 3º lugar frente à Holanda com o mesmo resultado. Recordo que a França mestiça do argelino Zidane acabou por se sagrar campeã do mundo nesse ano, esmagando o favorito Brasil dos mestiços Ronaldo, Rivaldo, Bebeto e Roberto Carlos por 3-0.
  • Além disso, a Croácia chegou merecidamente à final deste mundial, apesar de ter pouco mais de 4 milhões de habitantes; algo que países como Portugal, Grécia e Polónia nunca conseguiram fazer, apesar de terem muito mais população.

Nigel Farage ataca a filha da Stasi e o seu lacaio bebedolas pela política de imigração da UE


Sempre bem, o Sr. Farage! Precisávamos de uma versão portuguesa aqui no rectângulo...

sexta-feira, 13 de julho de 2018

"A geração mais bem preparada de sempre" (5)


     Já tínhamos visto mais abaixo que mais de metade dos alunos do 9º ano tiveram negativa no exame nacional de matemática. Mas ainda há mais, caros leitores:



Ou seja, um terço de 49 mil, algo como 16,3 mil alunos que não conseguiram passar sequer dos 10% (ou 2 valores, na escala 0-20). Fabuloso! E as boas notícias não ficam por aqui:
  • A média das classificações do exame nacional de matemática do 9º ano ficou em 47% (média negativa)
  • 2346 alunos (4,8% das negativas) tiveram ZERO no exame!
  • Pouco mais de um terço dos alunos teve mais de 60% na prova
  • Só 19 mil alunos (20% do total) conseguiram igualar ou ultrapassar a marca dos 75%

____________
Ver também:


"A geração mais bem preparada de sempre" (4): metade dos alunos do 9% chumbou a matemática
Exactamente como os globalistas querem...
"A geração mais bem preparada de sempre" (3): resposta errada vale 75% da cotação"
"A geração mais bem preparada de sempre" (2): escolas estão a passar alunos com NOVE negativas!
"A geração mais bem preparada de sempre": as noites loucas dos jovens portugueses 

O Dr. Guilherme Valente denuncia o ódio dos imigrantes africanos aos portugueses brancos que os acolheram



     Aqui fica mais uma excelente crítica à recente vaga de ataques à História de Portugal levada a cabo pelo esquerdalho e pelas "minorias étnicas" por ele atiçadas. É algo reconfortante constatar que há pessoas a levantar-se contra o revisionismo histórico neomarxista, mas ainda somos muito poucos. Urge passar a palavra!
"Somos a França traduzida em calão."
-Eça de Queirós
«A chantagem com o passado colonial de Portugal, o coro permanente de invenção de racismos e discriminações (como se fosse necessário inventá-las), a manifestação contra uma figura da nossa história de reconhecido mérito universal [o padre António Vieira], a reivindicação de museus e estátuas da escravatura, o ódio aos Descobrimentos que académicos se prestaram a ornamentar [caso do "Museu dos Descobrimentos"], a agressividade dominante em todas estas intervenções são exemplos do que parecem ser preliminares de aquecimento num programa que visa mais longe.

É o que parece revelar, pelo seu conteúdo impositivo e tom provocador, um artigo há dias divulgado pelo Público (22/6), com o título "Não a um museu contra nós": 
«Nós, negras e negros em Portugal [‘em’ Portugal e não ‘de’ Portugal, note-se, estrangeiros portanto] exigimos à CML uma aposta séria num memorial de homenagem às pessoas escravizadas, num Museu do Colonialismo, da Escravatura ou da Resistência Negra, que descortine os aspectos essenciais e até aqui secundarizados daquilo que foram os reais impactos da empresa colonial de Portugal no mundo, suas consequências no presente e daquilo que foram os reais contributos das pessoas negras na resistência a esse sistema».
Não pedem, não fundamentam a necessidade de um museu que trate a História desse período com rigor. Exigem um museu da escravatura... portuguesa. E da islâmica e africana que tornou possível que o tráfico atlântico atingisse a dimensão quantitativa que atingiu? Algo que o museu livre e rigoroso, que não querem, terá de referir e documentar.
O que querem impor não é um museu onde a História seja apresentada com rigor e o mérito universal da epopeia dos Descobrimentos seja tratado e promovido como é justo e nos cumpre. O que exigem, como escreveu Eduardo Lourenço, é a convocação metafórica de um «quase tribunal da Inquisição» para «pôr na pira a história do nosso pequeno país, que não o merece». Exigem-nos a promoção masoquista das sombras que existem em todas as empresas humanas e a omissão do que deve ser consagrado como exemplo. Isto é, querem impor-nos uma vitimização absurda, igual à que tem condenado o mundo deles a um destino trágico.»
Estamos perante uma tentativa de intrusão na nossa memória, no âmago da nossa individualidade, nesse reduto último da dignidade humana que o totalitarismo sempre tentou violar. Algo da mesma natureza dos campos de reeducação maoístas, dos asilos psiquiátricos soviéticos, do gulag siberiano e mesmo da ‘solução final’ nazi (tudo filhos do mesmo pai).
Pior, essa chantagem com o passado colonial e a época épica dos Descobrimentos (que os trouxeram, afinal, até ao refúgio que Portugal lhes oferece) assenta numa mistificação, na ocultação da escravatura árabe-muçulmana e intra-africana que começou sete séculos antes, durou mais tempo e ainda não foi mesmo abolida em vários Estados muçulmanos. Por que não alertam para a escravatura, visível ou discreta, que hoje continua a verificar-se no Médio Oriente e na África? É essa, é aí, que é preciso combater. E por que não promovem um memorial aos intelectuais que combateram, combatem, morreram e morrem por um islão iluminista nos lugares de onde terão fugido seguramente muitos dos subscritores do tal artigo? E quem são estes «negras e negros em Portugal» para falar da história de Portugal e fazer exigências à Câmara Municipal de Lisboa?
Deve temer-se que a sucessão de provocações racistas em crescendo suscite nas pessoas menos advertidas e informadas uma reacção de enviesamento na visão esclarecida da História. Provocações que poderão suscitar na sociedade comportamentos inaceitáveis. Será este o objectivo?»

Reparem que o texto do Dr. Valente é tão bom (à parte do emprego do aborto ortográfico) que eu não o interrompi com os meus comentários até agora, ao contrário do que é habitual. Mas aqui vou mesmo ter de o fazer: sim, é esse o objectivo, foi sempre esse o objectivo do revisionismo histórico da esquerda, enfurecer as "minorias", radicalizá-las, atiçá-las contra a nossa civilização e contra o nosso povo e traduzir essa raiva em votos ou pior, em movimentos e programas políticos que visam a supressão dos direitos dos brancos, como a criminosa acção afirmativa.

«Quem quiser conhecer o futuro próximo de Portugal olhe para a França. Foi sempre assim entre nós. O exemplo anterior dessa recorrente importação de ideologias é na Educação, com a devastação perpetrada na Escola, cujas consequências são hoje gritantes (Portugal está no fundo do ranking de indicadores culturais dos países da UE...). Importações de que só conseguimos livrar-nos sempre muitos anos depois de varridas no lugar de origem.
Para terminar, volto à boutade de Eça em epígrafe. A aliança clara na França entre a esquerda radical e o fundamentalismo islâmico (por cá ainda tacticamente oculta ou discreta) revela a etiologia da aliança entre nós da esquerda radical com o activismo auto designado antirracista, mas na realidade racista. É o adversário de sempre que a explica, o capitalismo, a sociedade liberal, a liberdade.
E é no registo de ‘seita milenarista fanática’, que está na natureza da esquerda radical, que esta se encontra com o islamismo fundamentalista, julgando poder ter nele um aliado. O seu objectivo - entre nós ainda tacticamente (mal) escondido - é sempre a realização delirante da profecia sanguinária de Marx: a revolução mundial apocalíptica, recorrentemente falhada.
Por isso, é bem revelador o ódio que partilham com o antirracismo racista aos  Descobrimentos, por terem tido um papel decisivo na criação de um mercado mundial.
Não aprenderam nada.»

Nem vão aprender. Isso requereria que estivessem dispostos a ser razoáveis e a aceitar a verdade contida nos factos concretos. Mas eles só estão dispostos a seguir cegamente a sua ideologia genocida até ao seu último suspiro, independentemente de tudo o resto. O marxismo e seus derivados assentam numa das emoções mais primárias e poderosas do ser humano, que é a inveja. Os marxistas querem por isso ver o mundo todo a arder, porque acreditam que depois irão reconstruí-lo na forma de um paraíso. Antigamente, chamava-se a esta atitude arrogância e narcisismo, mas agora chamam-lhe "humanidade" ou algo ainda mais desonesto. Humanidade é combater o marxismo, isso sim. O único marxista bom é o marxista reformado... e, no caso de alguns deles, o marxista morto!

Os frutos do feminismo (4): FIFA pede às televisões para não filmarem mulheres bonitas nos estádios de futebol


      Depois de a Fórmula 1 ter banido as 'grid girls', de a NFL considerar banir as suas 'cheerleaders' e de o concurso 'Miss América' ter banido o desfile de biquínis das candidatas, eis que a inquisição feminista chega finalmente ao "desporto-rei" (da selva):
«A FIFA pediu às cadeias de televisão que parassem de filmar "mulheres atraentes" entre os adeptos que assistem aos jogos do Campeonato do Mundo, na Rússia.

Federico Addiechi, responsável pela sustentabilidade e diversidade da FIFA, explicou que a advertência foi feita tanto às "emissoras individuais" como aos "serviços de transmissão" da FIFA.

Segundo Piara Powar, directora executiva do grupo antidiscriminação "Fare Network", diz que foram documentados "mais de 30 casos" de sexismo no Campeonato do Mundo, mas acredita-se o número real de incidentes possa ser dez vezes superior.»




Mais uma cedência vergonhosa de uma grande organização desportiva à demagogia e ao dogmatismo ideológico da escumalha feminista! A beleza das nossas mulheres, outrora motivo de celebração, está a transformar-se cada vez mais em objecto de censura, quando não de vergonha!

Mesmo que seja verdade que houve mesmo "30 casos documentados de sexismo" -o que é altamente duvidoso, porque hoje em dia até um simples olhar é sexismo- o que é que isso tem a ver com as mulheres bonitas aparecerem na televisão?! Nada, rigorosamente NADA! Não vai deixar de haver "sexismo" só pelo facto de elas deixarem de ser filmadas!!!

O objectivo das femiestalinistas é o mesmo de sempre: intimidar -e, a seu tempo, criminalizar- a celebração da beleza feminina por parte dos homens, perseguir implacavelmente a sexualidade masculina (que é baseada fundamentalmente na atracção física) e envergonhar todos os homens que, SAUDAVELMENTE, manifestam o seu apreço e entusiasmo pelas mulheres bonitas, sobretudo quando os homens e as mulheres envovid@s são branc@s!

Infelizmente, a maioria dos ocidentais continuam sem compreender que o feminismo foi criado para virar os homens e as mulheres uns contra os outros, para criar ódios e ressabiamentos entre os sexos e depois capitalizar nas urnas, ou nas taxas de fertilidade, ou nas políticas coercivas de "redistribuição" da riqueza por parte do Estado. Feminismo é marxismo com outro nome e com o público feminino como alvo específico.

"A geração mais bem preparada de sempre" (4)



Não esquecer que os exames nacionais são cada vez mais acessíveis, pelo que isto só pode ser um péssimo indicador quanto ao futuro de Portugal. Não admira, por exemplo, que pouco mais de metade da nossa população adulta saiba calcular um juro simples e apenas 39,5% saiba calcular juros compostos.

___________
Ver também:

Exactamente como os globalistas querem...
"A geração mais bem preparada de sempre" (3): resposta errada vale 75% da cotação"
"A geração mais bem preparada de sempre" (2): escolas estão a passar alunos com NOVE negativas!
"A geração mais bem preparada de sempre": as noites loucas dos jovens portugueses