domingo, 20 de janeiro de 2019

Arte Europeia (2): ânfora grega com figura de caça (cerca de 505-525 a.C.)


Em barro. Esta pequena maravilha foi concebida pelo menos três décadas antes da mítica batalha de Maratona. Terá sido criada na cidade de Clazómenas, pólis portuária da Grécia antiga, localizada na costa da Anatólia, no mar Egeu e que corresponde (infelizmente) à actual cidade de Urla, na Turquia.

Local de exposição: Museu Nacional do Hermitage de São Petersburgo (Rússia)


____________
Ver também:

Arte Europeia: enócoa etrusca em trifólio (cerca de 600 a.C.)

sábado, 19 de janeiro de 2019

A última machadada na credibilidade da psicologia:
APA declara guerra à "masculinidade tradicional"


      A Frontpage Magazine publicou este excelente artigo a propósito do infame anúncio da Gillette, no qual é denunciada uma realidade simplesmente aterradora: a APA (Associação dos Psicólogos Americanos)  decidiu não apenas reconhecer o "patriarcado" e a "masculinidade tóxica" como conceitos válidos mas também publicar linhas de guia "para lidar com os homens e com os rapazes". A título de exemplo, no comunicado da APA podem ler-se alarvidades como:

«Apesar de os homens beneficiarem do patriarcado, eles também sofrem as imposições do patriarcado.

(...) 

Antes da segunda vaga feminista dos anos 60, toda a psicologia era a psicologia dos homens. Todos os grandes estudos eram realizados só com homens e rapazes brancos, que eram usados em representação dos seres humanos como um todo. Os investigadores assumiam que a masculinidade e a feminidade eram pólos opostos de um mesmo espectro e que ser psicologicamente saudável implicava identificar-se fortemente com os papéis de género conferidos pelo sexo biológico de uma pessoa.»

Reparem na linguagem empregada no comunicado da APA, caros leitores: "patriarcado", "homens e rapazes brancos", "papéis de género"... tudo mitos e falácias ideológicas feministas, marxismo cultural em estado puro que a APA, supostamente uma organização científica séria, usa e abusa como conceitos legítimos! Mas isto ainda não é nada... vejam o que os génios da APA escreveram a seguir:

«A masculinidade tradicional  -marcada por estoicismo, competitividade, dominância e agressão- é, no seu todo, prejudicial.»

 Um homem de verdade, segundo a APA.


Eu juro que não inventei a passagem que realcei a cor vermelha mais acima, caros leitores! Ela está mesmo aqui, preto no branco, por mais absurdo e surrealista que pareça! E não pensem que a coisa fica por aqui:

«(...) quanto mais os homens aderem às normas masculinas, maior a probabilidade de considerarem normais os comportamentos de risco como consumir álcool em excesso, usar tabaco e evitar o consumo de vegetais.
Esta relutância masculina em relação ao autocuidado estende-se à procura de ajuda psicológica. (...) Os homens que subscrevem noções de masculinidade tradicionais são menos propensos a procurar os profissionais de saúde mental do que aqueles com atitudes de género mais flexíveis.»

Tradução: os homens mais masculinos tendem a agir como rebeldes indisciplinados e com vontade própria, o que dificulta imenso o nosso trabalho de lhes lavar o cérebro todinho e fazer deles eunucos obedientes e resignados. É preciso acabar com esta insubordinação, pá! Temos de obrigar os homens do futuro a submeterem-se à cornice mansa que os senhores do mund... eeer.... perdão, que nós, psicólogos sérios e dedicados, entedemos ser a melhor para o bem comum!!!

Causas do "populismo" para totós (2)


Muito tempo? Não! 11 anos passam num instante! Em 11 anos só é possível tirar dois cursos universitários!


Vêem como o Einstein tinha razão? 11 anos passaram a ano e meio... o tempo é relativo, depende do referencial de quem observa a sua passagem: o que seriam 11 anos para um pobre coitado, é apenas ano e meio para um Vara que se sabe mover rapidamente no meio pulhítico!


Mais um episodiozinho catita para os fãs do bilderbergue "dos afectos": por que carga de diabos é que o presidente de Portugal condecorou um pulhítico globalista cujas acções visaram contrariar a vontade do povo de um estado soberano expressa em referendo?

____________
Ver também:

Causas do "populismo" para totós

Atenção ao Amigo de Israel 2.0!


     Adicionei a nova versão do Amigo de Israel, o Amigo de Israel 2.0, à coluna da "blogosfera relevante". O Amigo de Israel dispensa apresentações: é simplesmente o melhor blogue do movimento contra-jihad escrito em língua portuguesa. Actualizado regularmente, soberbamente bem escrito e quase sempre complementado com muitos vídeos e hiperligações, o AdI tem sido, ao longo dos anos, uma das minhas fontes preferidas de informação fidedigna sobre a islamização do Ocidente.

O blogue original foi alvo de denúncias por parte de cretinos covardes que não suportam a verdade, pelo que insto todos os amigos de Israel a passarem pela nova morada do Oliveira da Figueira & C.ª:




Já sei que grande parte daqueles que passam por aqui não concordam comigo em relação a esta matéria (ser amigo de Israel), mas a minha posição aqui no TU tem sido bem clara ao longo dos anos: considero o Estado de Israel como uma coisa boa e a sua existência altamente desejável, tanto para os judeus, como para os europeus. Todos os povos têm direito à sua soberania e autodeterminação, pelo que um nacionalista coerente só pode apoiar o Estado Hebraico.

E se isso enfurecer alguns nazis que passarem por aqui (e não só), tanto melhor: eu sou nacionalista, mas não sou socialista. Considero que todas as formas de concentração de poder no Estado ou em privados conduzem inevitavelmente ao totalitarismo e à opressão. E não, isto não quer dizer que os judeus estejam acima de crítica. Só um perfeito atrasado mental pode ler isso naquilo que escrevi. A questão é que se um judeu atentar contra o Ocidente, então devemos criticar esse judeu como indivíduo, não a sua etnia ou a religião, a menos que o indivíduo se declare como pertencente a um "grupo superior", como acontece sistematicamente no caso dos muçulmanos e alguns judeus. A maioria dos judeus só quer viver em paz e sossego, tal como nós, europeus. E isto é ainda mais verdade no caso dos judeus em Israel. O resto é conversa de perdedores ressabiados que não conseguem distinguir o essencial do acessório e que só têm servido para atrasar a ascensão do Nacionalismo.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

God save the Queen!


Ainda sobre o anúncio imperdoável da Gillette


      Tenho tido várias conversas (e até discussões acaloradas) acerca do anúncio da Gillette que vos trouxe aqui ontem e cheguei à conclusão de que a maioria das pessoas -incluindo os homens- não percebe (ou não quer perceber) o quão reprovável é a mensagem transmitida! Por conseguinte, trago-vos aqui mais três vídeos sobre o caso, sendo que o primeiro é aquele que melhor traduz as minhas objecções ao anúncio. Numa altura em que a demografia do Ocidente está sob a mais séria ameaça de toda a sua história, é inconcebível que se continue a criminalizar a masculinidade, sobretudo quando apenas a masculinidade do homem branco é alvo de críticas, como acontece no anúncio.






Este último é o mesmo vídeo do Paul Joseph Watson que já tinha partilhado ontem, mas agora com legendas em português do Brasil:

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Uma breve nota sobre o tal anúncio misândrico da Gillette que tem dado muito que falar


     Uma a uma, as grandes corporações multinacionais do Ocidente vão mostrando a sua verdadeira face. Ontem, a Gillette decidiu presentear os homens do "mundo civilizado" -precisamente o público-alvo da maior parte dos seus produtos- com esta pérola da hipocrisia feminista, um dos anúncios mais desonestos, mais imbecilmente politicamente correctos e, sobretudo, mais anti-homem que eu já vi em toda a minha vida:



Nas últimas horas houve muitas reacções contra e a favor do anúncio um pouco por todo o mundo, inclusivamente aqui em Portugal. A execrável Maria João Marques, por exemplo, aquela marxista cultural despudorada que se faz passar por liberal no Observador da direitinha, elogiou copiosamente este anúncio criminoso, invocando "argumentos" absolutamente estapafúrdios e chegando a citar "estudos" da treta das "ciências" sociais em que os autores confundiram, de uma forma grosseira e provavelmente deliberada, correlação com causalidade.

Não tenho tempo para desconstruir este anúncio condenável como eu gostaria e seria desejável.  Felizmente, há quem já o tenha feito por mim, como é o caso do Paul Elam no excelente vídeo mais abaixo. O mais surreal é que há montes de cretinos -alguns dos quais se dizem até nacionalistas- que são capazes de jurar que "a masculinidade não existe", que "é apenas uma construção social", ou "cultural", ou o caralho a quatro, como se a masculinidade não fosse objectivamente observável um pouco por todo o reino animal... mas depois, esses mesmos cretinos apoiam esta merda de anúncio e outros do género! Se "a masculinidade não existe", então porque é que tem de haver anúncios como este a maldizê-la e a tentar erradicá-la??? Filhos da puta! Grandessíssimos filhos da puta!!!




Actualização: o grande Paul Joseph Watson também se pronunciou acerca desta autêntica calamidade:




E também o Mark Dice...

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

O "pai da democracia" abrilina ganhou o euromilhões, mas o Salazar é que era mau, pá!


     Ainda a propósito da passagem do Mário Machado pelo programa folcórico do rabeta Goucha, há quem ainda tenha o descaramento de disputar o FACTO de que o Salazar não fez fortuna com a sua governação durante o Estado Novo.

Não, não estou a defender o Mário Machado, nem o Salazar, muito menos o Estado Novo, estou apenas a defender a VERDADE.

Nesta grandessíssima FRAUDE indecentemente chamada de "Polígrafo", afirma-se que quando o Mário Machado disse que Salazar “terminou a sua vida exactamente com o mesmo dinheiro que quando entrou para a política”, ele estava a ser "impreciso". Só que não estava. Com todos os seus defeitos, o MM não disse mentira nenhuma, Salazar morreu mesmo sem ter enriquecido à custa do Estado, por muito que isso custe à comunada raivosa e à direitinha impotente.

E a pouca-vergonha deste "polígrafo" da treta fica bem patente quanto confrontamos o trajecto de Salazar com o do "pai da democracia" abrilina:


Ou seja, Salazar morreu com o mesmo dinheiro que tinha antes de ser governante, mais escudo, menos escudo.  Já o "democrata" Soares, herói supremo da escumalha abrilina, acumulou o equivalente ao primeiro prémio do euromilhões para deixar aos seus herdeiros!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Um louvor ao Ilo Stabet...


...por este texto absolutamente notável que ele escreveu no seu Portugal Integral acerca da "entrevista" do Mário Machado ao larilas Goucha da TVI. É muito raro eu concordar com outro blogueiro a 100%. Mas, no caso deste magnífico texto do Ilo, é precisamente isso que acontece.

Encorajo por isso os leitores do TU a passarem por lá!...


domingo, 6 de janeiro de 2019

Damas e cavalheiros, eis a "mulher" ocidental! (8)


Tradução: "Apesar de eu ter cara de cavalo e até um certo ar de traveco, passei a minha juventude a abrir orgulhosamente as pernas a tudo o que se mexia e a coleccionar doenças venéreas... mas agora estou confusa e não percebo porque diabo é que ainda estou solteira! Só pode ser porque os homens são todos uns porcos machistas, cheios de medo das mulheres fortes e independentes como eu!"

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Um breve comentário à passagem do Mário Machado pelo programa televisivo do rabeta Goucha


Caros leitores,

Peço desculpa por não ter respondido aos vossos comentários mais recentes. Obrigado por terem participado, sobretudo no que respeita ao Ilo Stabet, ao FdT e ao Stonefield, que deixaram aqui mais uns quantos casais mistos para a nossa estatística (sim, NOSSA, porque o trabalho e o mérito não tem sido só meu, também tem sido VOSSO).

Faço esta posta apenas para escrever algumas linhas acerca do mais recente caso me(r)diático envolvendo a "extrema-direita" portuguesa. Como todos vocês saberão, a esquerdalhada e a direitinha nos mé(r)dia (e não só) passaram os últimos dias todas indignadinhas e raivosas. Porquê? Porque o sodomita Goucha entrevistou, no seu circo televisivo matinal da TVI, o neonazi Mário Machado, líder do projecto de partido político Nova Ordem Social (NOS).




Não quero aqui pronunciar-me acerca do Mário Machado, muito menos sobre a NOS. Tudo o que tenho a dizer sobre ele e sobre todos os que pensam como ele, eu já disse neste vídeo. E tudo o que tenho a dizer sobre a NOS também já o escrevi nesta posta.

Gostava no entanto de colocar uma questão que me parece por demais pertinente: porque é que o Mário Machado teve direito a uma entrevista no programa do larilas da TVI quando a nenhum dirigente do PNR - que é o único partido nacionalista que pode concorrer a eleições no nosso país - foi concedida a mesma "honra"? É quase "como se" houvesse gente nos mé(r)dia apostada em fazer do Mário Machado o posterboy do nacionalismo português...

_____________________
Leitura complementar: 

Mário Manchado (Portugal Integral)
A intolerância esquerdista (Porta da Loja)
O caciquismo censório e ideológico do [Al-]Público (Porta da Loja)
Os caça-fantasmas (Helena Matos no Observador da direitinha -cuidado que é "premium"!)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

"Abaixo o caviar, viva o kebab!"


Isto, caros leitores, terá sido fotografado algures em Paris... que vibrante, pá! Quantos neomarxistas terão ficado com as cuequinhas todas molhadas ao ver isto? 😝


segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Vou ficar por aqui.


Caros camaradas e leitores, 

Depois de muito ponderar, decidi deixar de actualizar este blogue. Tudo o que vos posso dizer é que a minha cabeça e o meu coração estão noutro lado, não consigo arranjar tempo nem disponibilidade emocional para continuar com as actualizações. Estou numa fase da minha vida em que não me posso dar ao luxo de ficar zangado ou deprimido, um efeito secundário inevitável de lidar com as notícias de interesse nacionalista. Também não vos consigo dizer se isto é uma decisão definitiva, só o tempo dirá. 

Ainda assim, vai haver uma excepção: pedia-vos que me continuassem a trazer os vossos avistamentos de casais mistos, pois tenciono ir actualizando as tabelas. Nos próximos tempos, essa será a única coisa que farei no âmbito do combate nacionalista.

Quero agradecer a todos os que foram passando por aqui ao longo dos anos, em especial àqueles que contribuíram com links e comentários. Que a vida vos dê tudo de bom! 

Saudações nacionalistas!

Paul Joseph Watson: «A verdade sobre a música pop» (com legendas)


     Um muitíssimo obrigado! ao Rui por ter traduzido e legendado este excelente vídeo do PJW, no qual o repórter das InfoWars fala sobre o declínio da arte musical no Ocidente...



_______________________
Mais Paul Joseph Watson:


Paul Joseph Watson: «As Últimas Atrocidades na Arte Moderna(ça)» (com legendas)
Paul Joseph Watson: «Drag Queen muçulmano causa confusão» (com legendas)
Paul Joseph Watson: «Homem transgénero mulher identifica-se como um cão» (com legendas)
Paul Joseph Watson: «Por que o meme NPC faz a esquerda pirar» (com legendas)
Paul Joseph Watson denuncia a verdadeira face dos "homens" feministas (com legendas)
Paul Joseph Watson: «Cala a boca, Serena Williams!» (com legendas)
Paul Joseph Watson: «A verdade sobre as redes sociais» (com legendas)
Paul Jospeh Watson: «A verdade sobre a Grã-Bretanha alquebrada» (com legendas)
Paul Jospeh Watson entrevista o Sargão da Acádia sobre a censura nas redes sociais (com legendas)
A CNN atacou o Paul Joseph Watson! (com legendas)
Paul Joseph Watson sobre o filme "Pantera Negra" (com legendas)
Paul Joseph Watson comenta mais um episódio da "modernidade"... (com legendas)
Paul Joseph Watson: «A guerra contra os homens» (com legendas)